jesus carregando a cruz - Priscila e Maxwell Palheta_thumb

Conheça a Jesus como Ele é! –...

(Walter de Lima Filho - Terça - 15/04/2014) Se preferir faça o download: Filipenses 2:5-8 “Jesus Foi Humilde, Obediente e Honrado Por Deus!” ...

banner_site_voce_nao_e_1_23

Diga “NÃO” à hipocrisia

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: CRESCIMENTO: Leia: Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. (Romanos 12:9 – NTLH) ...

jesus03

Ah se você soubesse!

(Walter de Lima Filho - Domingo - 13/04/2014) Se preferir faça o download: Lucas 19 41-44 Nós estamos nos aproximando da Páscoa, quando se come...

banner_site_voce_nao_e_1_22

O perigo de julgar

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: Leia: Não julguem os outros para vocês não serem julgados por Deus. (Mateus 7:1 – NTLH) Pergunte: O que...

Mensagens de Domingo

jesus03

Ah se você soubesse!

(Walter de Lima Filho - Domingo - 13/04/2014) Se preferir faça o download: Lucas 19 41-44 Nós estamos nos aproximando da Páscoa, quan...

Mensagens de Terça-feira

jesus carregando a cruz - Priscila e Maxwell Palheta_thumb

Conheça a Jesus como Ele é! – Parte 8

(Walter de Lima Filho - Terça - 15/04/2014) Se preferir faça o download: Filipenses 2:5-8 “Je...

Você não é 1!

banner_site_voce_nao_e_1_23

Diga “NÃO” à hipocrisia

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: CRESCIMENTO: Leia: Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. (Romanos 12:...

Conheça a Jesus como Ele é! – Parte 8

(Walter de Lima Filho – Terça – 15/04/2014)

Se preferir faça o download:

Filipenses 2:5-8

“Jesus Foi Humilde, Obediente e Honrado Por Deus!”

Nós temos uma tendência: ficamos nos defendendo o tempo todo diante daqueles que nos acusam e deixamos de fazer as Obras de Deus. Existe uma boa razão para termos tal atitude. O livro de Provérbios diz:

icon_biblia O bom nome vale mais do que muita riqueza; ser estimado é melhor do que ter prata e ouro. (Pv.22:1 NTLH)

No entanto, a quem estamos tentando agradar: Deus ou homens? Jesus foi um exemplo de humildade e obediência ao Pai, mostrando que uma vida que se satisfaz em Deus, Dele receberá o Seu amor, reconhecimento e honra.

Este verso fala de duas coisas importantes: “o bom nome” e “ser estimado”. Ter “um bom nome” significa ter uma boa reputação como um monumento. “Ser estimado” significa ser valioso ou agradável. Sem dúvida, quando conseguimos essas coisas nós vivemos mais felizes.

Entretanto, nem sempre isso é possível e principalmente, no meio religioso. Por quê? Porque é um meio cheio de disputas e competições, seja por cargos ou prestígio. Basta alguém perceber que Deus está usando alguém e os religiosos de plantão, que se sentem ameaçados por essa pessoa, passam de algum modo a difamá-la.

Jesus foi difamado muitas vezes e a calúnia foi impiedosa. Os boatos sobre a Sua Pessoa não cessavam. Diziam meias verdades sobre Ele e no final da Sua vida sobre a Terra, Jesus foi desonrado em Jerusalém e morto como um “maldito” na cruz! As mesmas pessoas que o aclamaram como Rei, O crucificaram como “mais um” criminoso.

Entretanto, é possível perceber o quanto Deus revelava o Seu esplendor ou glória na Pessoa de Jesus, mesmo sob difamações e calúnias. Quando nós meditamos sobre os boatos, calúnias e difamações, que os religiosos faziam sobre a sua vida e ministério. Eles faziam isso o tempo todo, porque se sentiam ameaçados pelo Seu poder, humildade e sabedoria.

1. Eliminar a desonra nem sempre faz parte dos planos de Deus.

1.1. Os religiosos difamaram a Jesus, chamando-O de bastardo!

Nós sabemos que Maria, a mãe de Jesus, engravidou antes de se casar! José não era o pai da criança. O escândalo seria inevitável! Imaginemos o falatório! Nós podemos perceber como os religiosos usaram esse fato durante o ministério de Jesus.

Em João 8, Jesus expôs publicamente o pecado e a falsidade dos religiosos da Sua época e chegou a dizer que eles eram filhos do Diabo (no grego, “Acusador”). Eles, por sua vez, logo usaram o fato do Seu nascimento. Veja:

icon_biblia Vocês estão fazendo o que o pai de vocês fez. Eles responderam: – Nós não somos filhos ilegítimos; nós temos um Pai, que é Deus! (Jo.8:11 NTLH)

Eles estavam chamando a Jesus de bastardo, alguém nascido de pais não legitimamente casados. Entretanto, que esplendor glorioso há por trás dessa difamação? Maria ficou grávida antes de se casar? Sim. José não era o Seu pai legítimo? Sim, mas Jesus não era filho ilegítimo. Há aí uma realidade: Ele era o “Filho de Deus”!

icon_biblia O anjo respondeu (a Maria): – O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. (Lc.1:35 NTLH)

O que o anjo disse a Maria foi que o Deus que é capaz de fazer o que quer, viria sobre ela com a Sua glória, a mesma nuvem brilhante que se posicionou sobre o Tabernáculo no deserto e que encheu o Templo de Salomão no dia da sua dedicação. Essa glória a envolveria com todo o seu esplendor, poder e dessa visitação Divina Jesus seria gerado em Maria!

Não houve na história nenhum outro nascimento como esse e sabe por quê? Porque existe apenas um único Filho de Deus, um único ser humano imaculado, um único Deus-Homem, um único Cordeiro perfeito para tirar o pecado do mundo. Esta é a nossa crença gloriosa, que o Diabo tenta perverter!

1.2. Os religiosos difamaram a missão de Jesus.

Ao difamarem a Jesus, eles estavam ofendendo a estratégia Divina de amor. De momento, a única maneira de procurar silenciar a Verdade era caluniar. Eles usaram com Jesus o mesmo artifício que usaram com João Batista.

icon_biblia 18 João Batista jejua e não bebe vinho, e todos dizem: “Ele está dominado por um demônio.” 19 O Filho do Homem come e bebe, e todos dizem: “Vejam! Este homem é comilão e beberrão! É amigo dos cobradores de impostos e de outras pessoas de má fama.” Porém, é pelos seus resultados que a sabedoria de Deus mostra que é verdadeira. (Mt.11:18,19 NTLH)

Nestes versos nós encontramos uma dificuldade: “Porém é pelos seus resultados que a sabedoria de Deus mostra que é verdadeira.”O que esta frase de Jesus significa? Significa que no final de tudo, ou seja, pelos resultados ou obras finais, as pessoas verão com quem a verdadeira sabedoria de Deus está. Afinal, assim como os frutos provam o caráter e a natureza de uma árvore, assim também os frutos espirituais revelam quem é ou não de Deus.

João veio e viveu no deserto, chamou reis de adúlteros, não realizou nenhum milagre e morreu por causa da perversidade de uma dançarina imoral. Jesus veio como a Verdade, o Cordeiro para salvar aquele que Nele cresse, conviveu com o povo, foi a festas, fez um vinho maravilhoso em um casamento, foi atrás dos maiores pecadores e deixou que uma prostituta lavasse os Seus pés. No entanto, para os religiosos, nada do que se viu em João e em Jesus era aceitável!

Tanto João como Jesus eram pedras de tropeço para a religião da época e por quê? Porque ela e seus líderes eram corruptos e não suportavam a Verdade Divina. No entanto, por trás dessas difamações a Jesus, estava a glória de Deus.

icon_biblia 31 (Jesus disse aos religiosos) – Os que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 32 Eu não vim para chamar os bons, mas para chamar os pecadores, a fim de que se arrependam dos seus pecados. (Lc.5:31,32 NTLH)

1.3. Os religiosos difamaram o poder de Jesus contra Satanás.

Um homem dominado por um demônio e que o impedia de falar foi trazido a Jesus. Assim que o Senhor expulsou aquele demônio, o homem passou a falar! Todos diziam nunca terem visto tal coisa, mas o que os religiosos disseram?

icon_biblia Mas os fariseus diziam: – O chefe dos demônios é quem dá a esse homem poder para expulsar demônios. (Mt.9:34 NTLH)

Jesus disse algo muito sério em Mateus 12:28-31 sobre pecar contra o Espírito Santo:

icon_biblia 28 Na verdade é pelo poder de Deus que eu expulso demônios, e isso prova que o Reino de Deus já chegou até vocês. 29 – Ninguém pode entrar na casa de um homem forte (Satanás) e roubar os seus bens, sem primeiro amarrá-lo. Somente assim essa pessoa (Jesus) poderá levar as coisas que ele tem em casa. 30 – Quem não é a meu favor é contra mim; e quem não me ajuda a ajuntar está espalhando. 31 Por isso eu afirmo a vocês que as pessoas serão perdoadas por qualquer pecado ou blasfêmia que disserem contra Deus. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. (Mt.12:28-31 NTLH)

Por trás dessa calúnia imperdoável, estava a manifestação da glória e do poder de Deus em Jesus. Ele era mais forte que Satanás e seus demônios. Jesus, com o Seu poder, tirava das mãos de Satanás os que eram controlados por eles. Os cativos são libertos!

1.4. Os religiosos difamaram a Jesus na cruz.

icon_biblia 41 Os chefes dos sacerdotes, os mestres da Lei e os líderes judeus também caçoavam dele, dizendo: 42 – Ele salvou os outros, mas não pode salvar a si mesmo! Ele é o Rei de Israel, não é? Se descer agora mesmo da cruz, nós creremos nele! (Mt.27:41,42 NTL)

Onde estava o esplendor da glória de Deus em Jesus por trás dessa zombaria? Podemos descobrir pelo que Jesus disse certa vez aos religiosos:

icon_biblia Jesus respondeu (aos religiosos): – Derrubem este Templo, e eu o construirei de novo em três dias! (Jo.2:19 NTLH)

Além do mais, Jesus fez uma declaração poderosa sobre a Sua vida e missão:

icon_biblia 17 – O Pai me ama porque eu dou a minha vida para recebê-la outra vez. 18 Ninguém tira a minha vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade. Tenho o direito de dá-la e de tornar a recebê-la, pois foi isso o que o meu Pai me mandou fazer. (Jo.10:17,18 NTLH)

1.5. Jesus não exerceu o Seu ministério para alcançar a glória dos homens, mas para glorificar a Deus.

icon_biblia Este é o meu Filho querido, que me dá muita alegria! (Mt.3:17 NTLH)

Viver para glorificar a Deus deve ser o alvo de todo verdadeiro cristão e ele só conseguirá viver desse modo, quando tiver plena satisfação em Deus. Jesus viveu desse modo, a fim de nos servir de Exemplo.

2. O exemplo de Jesus deve ser imitado, para que sejamos Igreja.

2.1. Que eu tenha o mesmo modo de pensar que Jesus tinha.

icon_biblia Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar que Cristo Jesus tinha. (Fp.2:5)

2.2. Que eu jamais tome o lugar de Deus em minha vida.

icon_biblia Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. (Fp.2:6 NTLH)

2.3. Que eu aprenda a ter a natureza de servo ou “escravo” (doulos) de Deus.

icon_biblia Pelo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano. (Fp.2:7 NTLH)

2.4. Que a minha humildade a Deus, seja comprovada pela minha atitude de obediência a Ele.

icon_biblia Ele foi humilde e obedeceu a Deus até a morte – morte de cruz. (Fp.2:8 NTLH)

Ser reconhecido e amado por Deus é o único bom nome que importa. Esta é a nossa verdadeira riqueza: sermos reconhecidos por Deus como servos humildes e obedientes!

Diga “NÃO” à hipocrisia

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO:

CRESCIMENTO:

  • Leia:
    • Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. (Romanos 12:9 – NTLH)
  • Pergunte:
    • Como deve ser o nosso amor?
    • Como o nosso amor pode ser autêntico?

EXPLORANDO:

  • O que é ser hipócrita? (página 210 – parágrafo 01)
  • Como vivem os hipócritas? (página 210 – parágrafo 02)
  • Qual a definição de hipocrisia dada pelo Senhor Jesus? (página 211 – parágrafo 01)
  • Por que normalmente nos escondemos por tras de máscaras? (página 211 – parágrafo 02)
  • Como podemos colocar em prática o ensino do Senhor Jesus sobre não ser hipócrita? (página 212 – parágrafos 01)
  • Por que mesmo sabendo que estão tendo uma vida de hipocrisia, as pessoas não mudam? (página 212 – último parágrafo e página 213 – parágrafo 01)
  • Como podemos terminar com uma vida de hipocrisia? (página 213 – parágrafo 02)
  • Por que viver para impressionar a Deus nos dá liberdade? (páginas 213 – parágrafo 02)

APLICANDO:

  • Existe alguma situação ou relacionamento em sua vida em que usar máscara se tornou algo confortável?
  • Por que se esconder atrás de uma máscara se tornou confortável?
  • Quais prejuízos sua vida tem por viver usando máscaras?
  • O que você precisa fazer para tirar todas as máscaras?

Ah se você soubesse!

(Walter de Lima Filho – Domingo – 13/04/2014)

Se preferir faça o download:

Lucas 19 41-44

Nós estamos nos aproximando da Páscoa, quando se comemora a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Hoje, eu gostaria de compartilhar alguns aspectos da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Apesar de ser recebido como Rei, uma semana depois, Jesus seria crucificado pela maioria daqueles que celebravam Seu nome e estendiam suas capas pelo caminho por onde Ele passava. (cf. Lc.19:36)

Através do nosso texto bíblico, eu pretendo lhe mostrar nesta meditação que:

  • Deus sempre visita o Seu povo, seja para julgar ou para salvar.
  • Nós podemos ignorar as intenções da visitação Divina.
  • Às vezes, pode ser tarde demais para que alguém seja abençoado por Deus.
  • A intenção de Deus é nos dar a oportunidade de termos paz com Ele.

Permitam-me iniciar esta meditação com uma história verídica, de um médico cristão:

Casado e pai de três filhos, um médico é voluntário para uma missão perigosa de seis meses, num lugar onde havia uma epidemia de uma doença rara. Além do mais, as pessoas daquela região eram hostis a estrangeiros. Devido ao seu treinamento especial, ele assume a missão para lidar com aquele tipo epidemia.

Os dias e os meses vão passando lentamente e todos em casa sentem a falta do esposo e do pai. O dia do seu retorno se aproxima e todos se enchem de grande emoção. As crianças gritam pela casa: “O papai está voltando!” No dia seguinte, um taxi pára em frente à casa e o médico, muito magro e barbudo, desce do carro com muita dificuldade e todos atravessam a porta da frente como foguetes, para abraçá-lo. Primeiro, ele se ajoelha e abraça forte e carinhosamente as crianças e depois a sua esposa. Então, todos pedem que ele olhe para o banner exposto que dizia: “Bem vindo ao lar e como é bom tê-lo de volta.” Ele entra na casa, se assenta no sofá e começa a chorar sem parar! Todos percebem a sua emoção. A esposa corre para a cozinha, a fim de lhe trazer alguma coisa para beber e o abraça novamente.

No entanto, há um detalhe nessa história: o médico sabia de algo que a sua família não sabia. Ele tinha apenas uma ou duas semanas de vida, pois havia contraído a doença da região, para a qual foi voluntário!

Nessa história há uma mensagem de alegria e tristeza ao mesmo tempo. Se você puder imaginar na sua mente os olhos do médico ao rever a sua família, perceberá neles a maior felicidade, mas também a maior tragédia da sua vida.

1. A entrada triunfal de Jesus revela a mistura do esplendor da alegria com a tragédia da tristeza!

1.1. O povo que honrou a Jesus foi o mesmo que O rejeitou!

O nosso texto expressa a alegria de Jesus ao entrar em Jerusalém, sob a exaltação popular. Mas, ao mesmo tempo, ele nos fala da Sua tristeza, pois sabia que as mesmas pessoas que O celebravam como Rei, iriam abandoná-Lo e crucificá-Lo uma semana depois! Era uma mistura de alegria com tristeza.

Na descida do Monte das Oliveiras, Jesus era ovacionado pelas pessoas como Rei de Israel e elas louvavam a Deus tanto pela Sua chegada como por tudo o que tinham visto. (vs.37,38) Todos estavam muito alegres e até o ar se enchia de alegria, mas Jesus sabia de algo que eles não sabiam: Ele teria uma semana de vida!

1.2. É difícil entender a mente de Deus!

É muito difícil entender a mente de Deus. O modo como Ele age em certas situações, a forma como Ele governa todas as coisas no Universo, o procedimento que Ele toma para realizar os Seus planos e cuidar de Seus filhos fogem dos limites da nossa mente. Às vezes, Ele vem com uma fúria incrível e nos livra de situações terríveis e noutras, Ele permite que passemos por lutas intensas. Entretanto, só Deus sabe as razões, que nós desconhecemos.

1.3. Deus sempre está à nossa frente, pois Ele sabe de coisas que não sabemos.

Jesus sempre sabe algo que nós não sabemos e isso faz parte da Sua providência, ou seja, o modo como Deus lida com as situações e o tempo determinado para que Seus propósitos se cumpram.

O médico teve uma chegada triunfal, porém trágica! Jesus teve uma entrada em Jerusalém triunfal, mas também trágica!

É claro que há uma grande diferença entre a história do médico e a de Jesus, porém, no olhar de ambos, tanto no do médico como no de Jesus, havia uma mistura de alegria e de tristeza ao mesmo tempo.

Muitos daqueles que gritavam “Hosana” (no “Hebraico” quer dizer: “Salva-nos agora, ó Tu que habitas nas maiores alturas”), iriam gritar uma semana depois: “Crucifica-O!” Até mesmo os Seus discípulos iriam abandoná-Lo e desapareceriam no jardim do Getsêmani.

O que Jesus fez ao olhar para Jerusalém? Ele chorou porque teve pena dela e chorou, pelo menos por duas razões:

  • Ela ignorou a oportunidade para ter paz ou comunhão com Deus. (v.42)
  • Ele previu o julgamento terrível que viria sobre Jerusalém e seus habitantes. (vs.43,44)

2. Jerusalém sempre tratou a visitação Divina com descaso e violência. (v.42)

2.1. O descaso de Jerusalém para com as visitações de Deus.

O verso 44 diz que Jerusalém “você não reconheceu o tempo em que Deus veio para salvá-la.

A ideia deste verso é a seguinte: “Jerusalém, você tratou com descaso o tempo determinado por Deus para visitá-la, a fim de estabelecer o seu futuro!”.

A Bíblia ensina que a visitação Divina pode trazer salvação ou julgamento. Certa vez, José profetizou aos seus irmãos sobre a visitação Divina e a salvação do seu povo do Egito:

icon_biblia Certo dia José disse aos irmãos: – Eu vou morrer logo, mas estou certo de que Deus virá ajudá-los e os levará deste país para a terra que ele jurou dar a Abraão, a Isaque e a Jacó. (Gn.50:25 NTLH)

Jesus está constantemente nos visitando, para nos lembrar do seguinte: Ele voltará e quando voltar, nos levará para si e para as moradas que já nos preparou de antemão. Nós temos tratado o Seu retorno com seriedade ou com descaso?

Quando Jesus ressuscitou o filho da viúva de Naim, a reação de todos os que estavam presentes foi a seguinte:

icon_biblia Todos ficaram com muito medo e louvavam a Deus, dizendo: – Que grande profeta apareceu entre nós! Deus veio salvar o seu povo! (Lc.7:16 NTLH)

As pessoas tiveram provas suficientes de que Jesus era a visitação Divina, a fim de que pudessem voltar a ter tanto comunhão como intimidade com Deus. Portanto, uma vez que Deus Se manifestava em Cristo, por meio de sinais, ações e palavras, as pessoas não tinham razões para desprezarem o tempo de Deus, mas assim fizeram!

Não era difícil para eles entenderem o quanto precisavam crer e confiar verdadeiramente em Deus e no Seu Governo soberano. Jesus certa vez disse:

icon_biblia 54 Quando vocês vêem uma nuvem subindo no oeste, dizem logo: “Vai chover.” E, de fato, chove. 55 E, quando sentem o vento sul soprando, dizem: “Vai fazer calor.” E faz mesmo. 56 Hipócritas! Vocês sabem explicar os sinais da terra e do céu. Então por que não sabem explicar o que querem dizer os sinais desta época?(Lc.12:54-56 NTLH)

Jesus não está falando sobre os sinais que Ele fazia, ou seja, milagres e curas, mas dos sinais de uma época, que já tinha sido anunciada por Deus. Jesus nos alertou sobre os sinais da nossa época (cf. Mt.24:3-8) Jesus alertou sobre falsos “messias” ou “cristos”, guerras e rumores de guerras, fomes e aumento de terremotos, o crescimento da maldade, falsos profetas ou pregadores, que enganariam a muitos, a rivalidade entre filhos e pais, etc.

Entretanto, como nós estamos vendo e tratando a nossa “época”? Nós estamos reparando nos sinais? Nós estamos atentos às palavras de Jesus e de Seus apóstolos? Nós estamos tratando a Palavra de Deus com seriedade ou com descaso? Nós nunca presenciamos na história da Igreja Cristã, tanta ignorância ou desconhecimento acerca de Deus e da Sua vontade, por não estudarmos e meditarmos como deveríamos na Palavra de Deus!

2.2. O descaso de Jerusalém para com as visitações Divinas resultou em uma atitude de ignorância e violência à Palavra de Deus.

Quando nós tratamos com descaso as coisas que deveríamos tratar com seriedade, não nos aplicamos ao conhecimento cristão do que pode definir o nosso futuro. Jesus disse no verso 42: “Se hoje mesmo você soubesse o que é preciso para conseguir a paz!

A imagem que devemos ter de Jesus chegando a Jerusalém é a de um Rei que Se aproxima pela última vez da mesma, mas que encontra um povo rebelde e resistente à Sua autoridade legítima.

Quando Jesus disse sobre o que era preciso para se conseguir a paz, Ele não estava falando que Deus nunca lhes havia feito esse pedido anteriormente, pois Ele já havia enviado vários mensageiros da Sua parte, para lhes falar sobre seus os seus erros e pecados. Jesus certa vez disse a Jerusalém:

icon_biblia Jerusalém, Jerusalém, que mata os profetas e apedreja os mensageiros que Deus lhe manda! Quantas vezes eu quis abraçar todo o seu povo, assim como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram! (Lc.13:34 NTLH)

O que as pessoas queriam era um Rei que pudesse livrá-las da tirania romana, que trouxesse a eles o livramento de seus mais graves problemas pessoais e não alguém que ficasse mostrando seus erros.

Isso não é diferente em nossos dias, pois vemos inúmeras pessoas indo às igrejas, pelas promessas que lhes são feitas de vários tipos de livramentos. Para essas pessoas, obter é o alvo principal e não pertencer a Deus.

2.3. O Reino poderoso de Deus, proposto por Jesus, não é um governo terreno que os olhos humanos podem ver.

Certa vez, Jesus foi interrogado pelos religiosos, sobre quando e como seria a chegada do Reino poderoso de Deus:

icon_biblia Alguns fariseus perguntaram a Jesus quando ia chegar o Reino de Deus. Ele respondeu: – Quando o Reino de Deus chegar, não será uma coisa que se possa ver.(Lc.17:20 NTLH)

Então Jesus complementou:

icon_biblia Ninguém vai dizer: “Vejam! Está aqui” ou “Está ali”. Porque o Reino de Deus está dentro de vocês. (Lc.17:21 NTLH)

O Reino de Deus não é visto por meio de sinais e milagres, pois a própria Palavra de Deus nos alerta que o Inimigo pode fazer essas coisas facilmente, a fim de produzir confusão e engano. Nós não podemos alegar que onde há abundância de sinais, ali está o Reino de Deus. O Reino de Deus está onde as pessoas reconhecem os seus erros morais e se arrependem com sinceridade, reconciliam-se com Deus e seguem a Cristo!

Jesus disse; “Ah! Jerusalém! Se hoje mesmo você soubesse ou conhecesse…”

Jesus sabe de algo que eles não sabem! Deus não aprovava a maneira como eles estavam vivendo e nem aceitava o modo como eles praticavam a religião. Certa vez, Jesus falou de um julgamento que acontecerá no futuro, onde Ele usa o verbo “saber ou conhecer” no sentido de onisciência:

icon_biblia 22 Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” 23 Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocêsAfastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!” (Mt.7:22,23 NTLH)

Muitos estão vivendo dentro de uma igreja, praticando a religião de Jesus, mas com uma vida que Deus não aprova e só Deus conhece isso! Assim como Jerusalém era culpada e passível de julgamento, essas pessoas também são. Elas são culpadas por terem anulado a Verdade de Deus e não poderão negar a sua conduta diante do Grande Juiz.

icon_biblia Do céu Deus revela a sua ira contra todos os pecados e todas as maldades das pessoas que, por meio das suas más ações, não deixam que os outros conheçam a verdade a respeito de Deus. (Rm.1:18 NTLH)

3. O julgamento terreno e eterno de Jerusalém.

3.1.  Jerusalém era indesculpável diante de Deus, pois conhecia as Suas leis morais.

O povo de Deus sabia como deveria viver perante Ele e conhecia os termos Divinos de paz, mas, em vez disso, rejeitou a Palavra de Deus, o Seu Messias, matou os mensageiros de Deus, andou no prazer das práticas imorais, se esqueceu da viúva e do órfão e escolheu o descaso, que os conduziu à ignorância. Não à toa, que Jesus disse:

icon_biblia Mas agora isso está oculto aos seus olhos. (Lc.19:42 NTLH)

Em outras palavras: “Ah! Jerusalém! Agora é tarde demais!”

Essa frase de Jesus significa que Deus resolveu ocultar de seus olhos a possibilidade de ver, de suas mentes a possibilidade de entender e de receber a redenção Divina. Deus, em Cristo, chorou! Foram tantos os avisos, as visitações, mas o descaso de todos fez com que celebrassem a sua própria ignorância.

Os pais deixaram de ensinar seus filhos sobre o temor ou respeito a Deus e passaram a viver pelo exemplo de seus próprios pais, que estavam afastados Dele. Em vez de buscarem a real presença de Deus, se encheram de regras tão pesadas, que até aqueles que as ensinavam não conseguiam praticá-las. Quando as Verdades de Deus deixam de ser praticadas, todo tipo de atos imorais cresce!

Por essa razão, nós lemos que: “Quando se aproximou e viu a cidade, Jesus chorou sobre ela.” O Seu choro tem um significado: “Ah! Jerusalém! Você conhecia os termos de paz que lhe dariam condições de terem uma vida presente e futura tremendamente abençoada, mas você os rejeitou!”

Leia os versos 43 e 44 novamente:

icon_biblia 43 Virão dias em que os seus inimigos construirão trincheiras contra você, e a rodearão e a cercarão de todos os lados. 44 Também a lançarão por terra, você e os seus filhos. Não deixarão pedra sobre pedra, porque você não reconheceu o tempo em que Deus a visitaria. (Lc.19:43,44 NTLH)

Isso se deu no ano 70 d.C, quando o General Romano Tito entrou em Jerusalém com as suas tropas, matando adultos, crianças, incendiando casas e derrubando o Templo Sagrado, não ficando pedra sobre pedra!

Olhemos o mundo à nossa volta! Foi essa a vida que Deus planejou para nós, seres humanos? Claro que não! Os seres humanos estão sob um julgamento presente, o qual não se compara ao que virá no futuro. Os verdadeiros cristãos, não devem deixar de confiar no controle que Deus tem sobre as épocas. Tudo está ocorrendo dentro do Seu tempo determinado.

Jesus foi a Pessoa que mais falou sobre o “inferno” (uma dimensão eterna de afastamento de Deus e de terríveis sofrimentos), a fim de abrir os olhos das pessoas para as maravilhas de Deus e para que valorizem a Sua misericórdia.

Lucas registrou esse texto que lemos, para nos informar sobre o destino de todos aqueles que continuam sendo rebeldes a Deus e que ainda fazem-No chorar e chorar! No entanto, esse mesmo texto bíblico nos informa o quanto Jesus está ansioso e disposto a oferecer o Seu amor, vida e graça a todos que aceitarem os Seus termos de paz!

Portanto, no dia de hoje, reconcilie-se com Deus. Se você está me ouvindo ou lendo todo este texto, reconcilie-se com Deus! O apóstolo Paulo disse:

icon_biblia 19 Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. 20 Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus. (2 Co.5:19,20 NTLH)

 

O perigo de julgar

GUIA DE ESTUDO

CRESCIMENTO:

  • Leia:
    • Não julguem os outros para vocês não serem julgados por Deus. (Mateus 7:1 – NTLH)
  • Pergunte:
    • O que não devemos fazer?
    • Por que não devemos fazer?

EXPLORANDO:

  • Quais são os três princípios modelados e ensinados pelo Senhor Jesus que já aprendemos? (página 203 – parágrafo 01)
  • Qual é o quarto princípio que estudaremos e por que ele é turbulento? (página 203 – parágrafo 02)
  • O que existe por trás do ensino sobre julgamento dado pelo Senhor? (página 204 – parágrafo 02)
  • O que o ensino sobre julgamentos pode fazer em nossos relacionamentos? (página 204 – parágrafo 02)
  • Como são as pessoas que vivem o ensino do Senhor Jesus sobre julgamentos? (página 204 – parágrafos 02)
  • Como os sogros do autor agiam, baseados no ensino do Senhor Jesus sobre julgamentos? (página 205 – parágrafo 01)
  • O que precisamos fazer para que as palavras do Senhor Jesus sobre julgamentos tenham o impacto correto sobre nossas vidas? (página 205 – parágrafo 02)
  • Como devemos agir diante das circunstâncias a partir do ensino sobre julgamento do Senhor Jesus? (páginas 205 – último parágrafo e página 206 – parágrafo 01)
  • O que é exercer julgamento? (página 206 – parágrafo 02)
  • Por que precisamos do conhecimento especializado sobre julgamento do Senhor Jesus? (página 206 – parágrafo 03)
  • O que o Senhor Jesus ensina sobre como agir sem atitudes condenatórias? (página 206 – parágrafo 03)
  • Quando normalmente somos hipócritas, íntegros ou misericordiosos? (página 207 – parágrafo 01)

APLICANDO:

  • Existem áreas de sua vida em que você tem a tendência de julgar os outros?
  • Existem situações em sua vida em que você evitou algum tipo de confronto para não ser confrontado?
  • O que precisa fazer para se tornar uma pessoa mais íntegra e misericordiosa?

Cuidado com os seus julgamentos

(Walter de Lima Filho – Domingo – 06/04/2014)

Se preferir faça o download:

João 8:1-11

Como nós precisamos de muito “tato” para lidar com pessoas! Tato é ter prudência e habilidade no encaminhar determinados assuntos. Muitas vezes, nós erramos no tato. Afinal, todos erram! Na verdade, nós erramos por não sabermos descrever os outros, tal como eles se julgam. Por quê? Porque nós nos tornamos partidários, devido às nossas próprias fraquezas emocionais.

Quando não vamos muito com “a cara” de uma pessoa, ainda que ela seja boa e tenha motivações corretas, nós a criticamos negativamente. No entanto, quando gostamos de uma pessoa, mesmo que ela seja toda errada e para não perdermos “uma amizade interesseira”, nós a inocentamos.

Além do mais, nós não gostamos de confrontações, críticas e palavras que tentam mudar o nosso comportamento, ou estilo de vida. Vez ou outra, nós tanto ouvimos como falamos essa frase: “viva a sua vida que eu vivo a minha”.

Há pessoas que usam a “Verdade Divina”, apenas com o intuito de condenar os outros e se esquecem de que serão julgados pela mesma Verdade, na mesma medida ou proporção em que julgarem os outros. Elas olham para as pessoas de cima para baixo como se fossem superiores. Elas usam palavras muito duras e condenatórias.

Esse tipo de pessoa gosta de massacrar outras pessoas com a “filosofia da Verdade”, em vez de levantá-las com os ensinamentos da própria Verdade, que provém do Evangelho. No entanto, quando ela mesma é confrontada pela Verdade proveniente do Evangelho, se irrita e foge! Ela acha que entende a Verdade Divina, mas na verdade, ela a usa teoricamente, a fim de rebaixar pessoas e colocá-las não em um espírito de culpa, mas de condenação.

O nosso texto está baseado em um julgamento sobre uma mulher que foi apanhada em flagrante adultério, mas os seus “acusadores” tentaram usar erroneamente citações do Velho Testamento para fins pessoais.

Eles se sentiam ameaçados com o ministério de Jesus e queriam destruí-Lo a qualquer custo. Para tentar condenar Jesus, eles mascararam a Verdade e ainda, com uma motivação errada. Diante de todos, eles pareciam verdadeiros, mas no íntimo eram enganadores e maus, ou seja, sem misericórdia, hipócritas e falsos aos olhos de Deus.

O nosso texto bíblico está baseado em bons e maus exemplos, ou seja, em atitudes que devemos adotar e as que devemos evitar.

1. A área do ministério de Jesus à qual Ele deu mais ênfase foi a do ensino. (8:2)

Quando lemos os Evangelhos, dificilmente vemos Jesus pregando, mas se repararmos bem, O veremos sempre ensinando. O fato de Jesus ressaltar o ensino no Seu ministério significa que o povo de Deus deve estar sempre pronto para aprender a Sua Palavra.

Infelizmente, como há falta de pastores-mestres e mestres-pastores em nossos dias! Pela falta deles, o Evangelho tem se tornado uma ferramenta que visa apenas atender a necessidades materiais ou emocionais das pessoas. Os apelos são:

“Você quer ganhar mais dinheiro? Venha à determinada reunião e…”, ou então, “Você está sem sorte no amor? Venha a essa reunião específica e Deus irá dar um jeito nisso!”

Entretanto, esse não era o modo como Jesus ensinava e chamava as pessoas para perto de Si; antes, insistia com elas para que se arrependessem de seus erros e vivessem suas vidas pelos princípios de Deus, por meio do Seu Evangelho.

icon_biblia Chegou a hora, e o Reino de Deus está perto. Arrependam-se dos seus pecados e creiam no evangelho. (Mc.1:15 NTLH)

Em outras palavras:

“Por fim, chegou o tempo determinado por Deus e o Seu Reino está próximo. Mudem suas mentes e comportamentos, para que sejam aprovados ou aceitos por Deus e se comprometam com um espírito de fidelidade à mensagem que é dada por Ele, que vem pelo Evangelho.”

Para que uma vida seja aceita e aprovada por Deus, é necessário um comprometimento com o Evangelho de Jesus e para isso, a pessoa precisa estar constantemente ouvindo e aprendendo as Verdades de Deus, a fim de que sua vida seja sempre confrontada com o Evangelho.

Por meio dos Seus ensinamentos, Jesus oferecia às pessoas a oportunidade de terem comunhão com Deus, com a Sua graça e o poder do Seu Reino!

É fato que o Evangelho irrita e incomoda muitas pessoas, pois ele julga atos errados e nós sabemos como é difícil ouvir uma palavra que exige mudança dos nossos pensamentos e comportamentos.

Que nós tenhamos o hábito constante e ardente de aprender a Palavra de Deus, pois esta é a vontade de Jesus para todos nós.

2. Jesus ensinava por palavras e ações. (8:1-11)

No texto que lemos, nós vemos Jesus ensinando tanto por palavras como por ações. Suas palavras são princípios Divinos que nós devemos praticar e Suas ações são atitudes Divinas, que nós devemos imitar.

Então, nós devemos prestar muita atenção nas palavras e ações dentro do nosso texto bíblico, a fim de descobrirmos o que devemos praticar ou não.

2.1. Nunca tente usar ou torcer as Escrituras para “prejudicar” pessoas ou até o próprio Deus. (3-6ª)

Os líderes religiosos armaram uma trama para destruir a vida e o ministério púbico de Jesus. Eles trouxeram a Jesus uma mulher pega em flagrante adultério, a fim de que Ele emitisse o “Seu juízo” sobre ela. Eles estavam transformando aquele momento em uma corte a céu aberto e disseram:

icon_biblia 4 Eles disseram: – Mestre, esta mulher foi apanhada no ato de adultério. 5 De acordo com a Lei que Moisés nos deu, as mulheres adúlteras devem ser mortas a pedradas. Mas o senhor, o que é que diz sobre isso? (Jo.8:4,5 NTLH)

No entanto, o modo como citaram a Lei Mosaica, não coincidia com as palavras de Moisés. Veja:

icon_biblia Não tenha relações com a mulher de outro homem; isso torna você impuro. (Lv.18:20 NTLH)

Deus deu leis duras ao Seu povo, para que Israel fosse uma nação com ordem moral:

icon_biblia Se um homem cometer adultério com a mulher de outro, ele e a mulher deverão ser mortos. (Lv.20:10 NTLH)

icon_bibliaSe um homem casado for encontrado na cama com a esposa de outro, os dois serão mortos, o homem e a mulher. Assim vocês tirarão o mal do meio do povo de Israel. (Dt.22:22 NTLH)

Repare que a Lei de Moisés falava da sentença de morte tanto para o adúltero como para a adúltera. Então, onde estava o homem que adulterou com a mulher? Eles trouxeram somente a mulher! Portanto, isso não era um julgamento sério, mas uma trama para pegar Jesus em alguma contradição.

2.2. Nunca se envolva em tramas hipócritas para julgar e prejudicar pessoas. (6ª-7)

Sem dar atenção a eles, Jesus se inclina para escrever no chão, e por quê? Nós cremos que Jesus é Deus e sabia perfeitamente tudo o que iria acontecer. Além do mais, conhecia o que se passava dentro do coração daqueles homens. Jesus, sendo Deus, é onisciente, ou seja, Ele conhece todas as coisas.

No entanto, Jesus vivia dentro do regime da Lei de Moisés e deveria acatar a punição declarada por Moisés àquela mulher, porque segundo a Lei Mosaica, ela deveria ser apedrejada pelo seu ato. Todavia, Ele conhecia o íntimo daqueles homens e também as suas reais intenções.

“A minha opinião” sobre Jesus ter se inclinado para escrever no chão é a seguinte: Não era o Seu papel participar daquele julgamento, pois Ele não veio a este mundo para ser juiz das pessoas, pois os verdadeiros juízes das causas do povo de Israel estavam diante Dele. Ora, se eles como juízes sabiam o que deveria ser feito àquela mulher, por que pediram o Seu juízo sobre ela?

O fato é que eles sabiam que Jesus era bom, mas por não gostarem e se sentirem ameaçados por Ele e pelos Seus ensinamentos, estavam dispostos a ouvirem uma palavra contraditória da Sua boca.

Eles queriam que Jesus assumisse o papel de juiz, mas Ele nem fazia parte do Sinédrio! (uma corte de 70 homens que julgavam as causas do povo de Israel e da qual aqueles mestres faziam parte) Eles eram os juízes e não Jesus.

Jesus veio para salvar as pessoas de um mundo pecaminoso, que desafia os princípios de Deus. Ele não veio em carne para ser juiz, portanto, Ele não veio para condenar pessoas, mas para conduzi-las à presença de Deus.

icon_biblia Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo. (Jo.3:17 NTLH)

icon_biblia 46 Eu vim ao mundo como luz para que quem crê em mim não fique na escuridão. 47 Se alguém ouvir a minha mensagem e não a praticar, eu não o julgo. Pois eu vim para salvar o mundo e não para julgá-lo. (Jo.12:46,47 NTLH)

Por que eles queriam que Jesus agisse como um juiz? Se Jesus inocentasse a mulher adúltera, eles diriam que Ele estava contra a Lei de Moisés. Se Jesus dissesse a condenasse ao apedrejamento, Ele contrário às Leis Romanas, pois só eles tinham o direito de sentenciar uma pessoa à morte.

2.3. Lembre-se que Deus o julgará na mesma medida em que você julga as pessoas. (7-9)

Como eles insistiram tanto, Jesus pára de escrever no chão, se levanta e lhes diz:

icon_biblia Quem de vocês estiver sem pecado, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher! (Jo.8:7)

Jesus pronuncia Suas palavras usando o pronome “quem”, ou seja, “aquele entre vocês…”. Então, Ele dá uma ordem reflexiva: “que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher!”

O que Jesus fez? Ele fez com que as pessoas pensassem ou refletissem sobre sua condição espiritual ao julgarem aquela mulher. Ela era uma pecadora, apanhada em flagrante adultério e a sua condenação era evidente, mas e eles? A resposta de Jesus os aterrorizou, pois mostrou a eles e a todos os presentes, que eles eram homens sem misericórdia e que por isso, não eram transparentes, mas hipócritas!

Depois disso, encerraram a sessão e foram embora, primeiro os líderes religiosos mais experientes e depois, os aspirantes à liderança. Jesus não os julgou, mas procurou fazer com que pensassem e se arrependessem de seus maus caminhos, mas o orgulho deles fez com que se afastassem de Jesus, deixando a mulher ali em pé.

2.4. Não condene pessoas; antes, julgue os seus erros e se esforce para conduzi-las a Deus. (10,11)

Jesus endireitou o corpo e isso quer dizer que Ele se dirigiu a ela com dignidade. “Onde estão os que estavam te acusando? Não ficou nenhum juiz para condená-la?” Eu creio que Jesus tenha proferido estas palavras para que os que estavam ali pudessem ouvi-las muito bem e aprender com a Sua atitude.

Ela respondeu a Ele que ninguém a havia condenado, ou seja, que “todos foram embora e não decretaram verbalmente nenhuma sentença contra mim!”

Então, em outras palavras, Jesus disse a ela: “como Eu não vim para ser juiz, também não te condeno, mas pare de pecar e viva conforme a Palavra de Deus”.

3. Antes de querer tirar o cisco dos olhos do seu próximo, repare na trave de madeira que está no seu próprio olho!

icon_biblia 1 – Não julguem os outros para vocês não serem julgados por Deus. 2 Porque Deus julgará vocês do mesmo modo que vocês julgarem os outros e usará com vocês a mesma medida que vocês usarem para medir os outros. 3 Por que é que você vê o cisco que está no olho do seu irmão e não repara na trave de madeira que está no seu próprio olho? (Mt.7:1-3 NTLH)

Jesus não está dizendo que devemos aceitar tudo o que as pessoas estão fazendo de errado. O verbo “julgar”, no grego, tem o significado de “separar, selecionar ou julgar em um sentido forense”, ou seja, sermos juízes das pessoas e decretarmos de antemão a sua sentença.

Todos nós somos seres humanos limitados e sujeitos a falhas. Entretanto, atos errados que contrariam a Palavra de Deus têm que ser considerados impróprios, porém, só Deus tem o poder de julgar a motivação ou as intenções das pessoas.

Foi isso o que Jesus fez com os líderes religiosos. Ele julgou as suas intenções. Eles conheciam a Verdade Divina, mas tinham uma motivação totalmente errada. Eles não estavam confusos e nem vivendo sob um drama psicológico, mas por decisão própria, agiram em contrariedade a Deus. A finalidade da atitude que tomaram não era exercer a justiça, mas praticar a maldade, tanto com a mulher como com Jesus.

A mulher não era hipócrita, pois ela era o que era, mas eles eram dissimulados, tanto diante de Deus como dos homens. Portanto, não use regras pessoais para julgar ou condenar pessoas, mas faça como Cristo fez: se você ama a Deus e sabe que depende da Sua graça em Cristo, porque é um pecador, esforce-se para aproximar as pessoas Dele. Dê sempre aos outros a mesma graça que você recebeu de Deus, em Cristo.