banner_site_voce_nao_e_1_36

A GRANDE PERGUNTA

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: CRESCIMENTO: Leia: Façam aos outros a mesma coisa que querem que eles façam a vocês. (Lucas 6:31 – NTLH) Pe...

banner_site_voce_nao_e_1_35

A OPÇÃO DIÁRIA PELA HUMILDADE

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: CRESCIMENTO: Leia: Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação. (Filipenses 4:13 – NTLH) ...

130551498837

Defendendo a fé em tempos de aposta...

(Walter de Lima Filho - Terça - 09/07/2014) Se preferir faça o download: Judas 1 "Aqueles a quem Jesus protege" Nós estamos meditando sobre ...

banner_site_voce_nao_e_1_34

A VIDEIRA E OS RAMOS

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: CRESCIMENTO: Leia: — Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito f...

Mensagens de Domingo

stress

A ponto de estourar – Parte 1

  (Walter de Lima Filho - Domingo - 06/07/2014) Se preferir faça o download: 2 Conrintios 1:8 Há quem pense que por se tornar cristã...

Mensagens de Terça-feira

130551498837

Defendendo a fé em tempos de apostasia – Parte 5

(Walter de Lima Filho - Terça - 09/07/2014) Se preferir faça o download: Judas 1 "Aqueles a q...

Você não é 1!

banner_site_voce_nao_e_1_36

A GRANDE PERGUNTA

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO: CRESCIMENTO: Leia: Façam aos outros a mesma coisa que querem que eles façam a vocês. (Lucas 6:31 – NTLH...

A GRANDE PERGUNTA

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO:

CRESCIMENTO:

  • Leia:
    • Façam aos outros a mesma coisa que querem que eles façam a vocês. (Lucas 6:31 – NTLH)
  • Pergunte:
    • O que devemos fazer aos outros?

EXPLORANDO:

  • Qual é o último princípio sobre relacionamentos que aprenderemos? (Página 315 – parágrafo 03)
  • Por que o último princípio de relacionamentos é chamado de regra de ouro? (Página 315 – parágrafo 03)
  • Como devemos lidar com a pergunta que fica em nossa mente quando tentamos ignorar a regra de ouro? (Página 315 – último parágrafo e página 316 – parágrafo 01)
  • Qual é a pergunta que fica em nossa mente quando tentamos ignorar a regra de ouro? (Página 316 – parágrafo 02)
  • Qual é a grande resposta para essa grande pergunta? (Página 316 – parágrafo 04)
  • O que a regra “façam aos outros o que querem que eles lhes façam” nos proporciona? (Página 316 – parágrafo 04)
  • Como é melhor percebida a regra de ouro? (Página 317 – parágrafo 02)
  • Por que normalmente não utilizamos a regra de ouro em nossos relacionamentos e quais são os prejuízos? (Página 317 – último parágrafo)
  • Quais as três regras relacionais mais comuns? (Páginas 318 e 319)
  • Como funciona a regra “recíproca” e quais são suas consequências? (Página 318 – parágrafo 01)
  • Como funciona a regra “do ricochete” e quais são suas consequências? (Página 318 – último parágrafo e página 319 – parágrafo 01)
  • Como funciona a regra “da motivação” oculta e quais são suas consequências? (Página 319 – parágrafo 02)
  • Qual a diferença entre a regra de ouro e as três regras comuns? (páginas 318 e 319)
  • O que fazer para que a regra de ouro deixe de ser apenas belas palavras? (Página 319 – parágrafo 04)
  • Por que normalmente não conseguimos praticar a regra de ouro? (Página 319 – último parágrafo e página 320 – parágrafo 03)
  • De quem é a vez de suprir as necessidades do outro em um relacionamento? E como agir? (Página 320 – parágrafo 01)
  • Como romper com o ciclo vicioso onde ninguém quer suprir a necessidade do outro? (Página 320 – último parágrafo)
  • Como podemos agir de forma altruísta com as outras pessoas? (Página 320 – último parágrafo)

APLICANDO:

  • Você normalmente é grato por Deus pelo privilégio de suprir as necessidades dos outros?
  • O que precisa fazer para ter suas necessidades atendidas, através do atendimento das necessidades dos outros?
  • Quais relacionamentos precisam romper com o ciclo da incapacidade de atender as necessidades dos outros?

A OPÇÃO DIÁRIA PELA HUMILDADE

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO:

CRESCIMENTO:

  • Leia:
    • Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação. (Filipenses 4:13 – NTLH)
  • Pergunte:
    • O que o Senhor Jesus Cristo nos dá?
    • O que posso fazer com que o Senhor Jesus no dá?

EXPLORANDO:

  • Como enfrentamos o teste diário da humildade? (página 305 – parágrafo 01)
  • Como conseguimos escolher a humildade? (página 305 – parágrafo 01)
  • O que o relato do Senhor Jesus como servo deve ser para nós? (página 306 – parágrafo 03)
  • O que significa considerar o outro mais importante? (página 306 – parágrafo 04)
  • Quais a duas atitudes que matam um relacionamento? (página 306 – último parágrafo até página 307 – parágrafo 01)
  • Por que a ambição egoísta é destrutiva para os relacionamentos? (página 307 – parágrafo 02)
  • Baseado em I Pedro 5:5-6 o que podemos aprender sobre ser humilde? (página 307 – último parágrafo até página 308 – parágrafo 01)
  • Quais as duas ações simples que o autor nos convida a fazer? (página 308 – último parágrafo)
  • Por que tenho que admitir que sou orgulhoso? (página 308 – último parágrafo)
  • Como devo agir de forma humilde? (página 308 – último parágrafo)
  • Por que agir com humildade, mesmo não sendo espontâneo não é hipocrisia? (página 308 – último parágrafo até página 309 – parágrafo 01)
  • Por que não posso tentar me sentir humilde? (página 308 – parágrafo 01)
  • O que é ser humilde? (página 308 – parágrafo 01)
  • Que tipo de liberdade a humildade nos proporciona? (página 310 – parágrafo 03)

APLICANDO:

  • Existe algum ponto repulsivo de orgulho que tem ignorado na sua vida?
  • Faça a tarefa do cartão (página 308) essa semana e avalie os resultados.
  • Faça o teste diário de grandeza que se encontra nas páginas 309 e 310.

Defendendo a fé em tempos de apostasia – Parte 5

(Walter de Lima Filho – Terça – 09/07/2014)

Se preferir faça o download:

Judas 1

“Aqueles a quem Jesus protege”

Nós estamos meditando sobre as pessoas para as quais, Judas escreveu a sua carta. No verso 1, o escritor os denomina como:

Aqueles “que foram chamados”, ou seja, aqueles que Deus resgatou das coisas e práticas profanas do mundo.
“Aqueles a quem Deus, o Pai, ama”, ou seja, aqueles que se dedicaram ou se separaram para Ele, a fim de viverem para a manifestação da Sua glória. Por causa dessa atitude, eles são amados pelo Pai.

Dando sequência ao que temos visto, Judas diz que seus leitores são “aqueles a quem Jesus protege”. Nós precisamos entender este termo, para pensarmos corretamente sobre o seu significado.

1. Deus só protege aquele que aceita a Sua proteção.

O verbo “proteger” (no grego – tereo) usado por Judas em sua carta significa alguém, que Deus mantém guardado, conservado, protegido em um determinado estado. O sentido é que só Jesus Cristo tem o poder de conservar na fé verdadeira, aqueles que querem ser protegidos por Ele e é dessa maneira que eles protegem a sua fé. Para isso, eles abandonam as coisas profanas deste mundo e se dedicam a Deus em amor, a fim de cumprir os Seus propósitos.

Vamos ler o verso 6:

icon_biblia Lembrem dos anjos que não ficaram dentro dos limites da sua própria autoridade, mas abandonaram o lugar onde moravam. Eles estão amarrados com correntes eternas, lá embaixo na escuridão, onde Deus os está guardando para aquele grande dia em que serão condenados. (Jd.6 NTLH)

Neste verso, há duas coisas a se considerar sobre os anjos decaídos:

Primeiro: Os anjos “que não ficaram dentro dos limites”. A ideia é que eles não conservaram o estado original, estabelecido por Deus. Eles não guardaram, não conservaram, não protegeram o modo como Deus os criou, mas seguiram o engano e a mentira de Lúcifer.

Segundo: “Deus os está guardando”. Significa que Deus os mantém guardados e conservados, para o dia em que serão eternamente condenados ao Inferno, com o seu líder Satanás.

Vamos ler o verso 13:

icon_biblia  Eles são como as ondas bravas do mar, jogando para cima a espuma das suas ações vergonhosas; são como estrelas sem rumo, para as quais Deus reservou, para sempre, um lugar na mais profunda escuridão. (Jd.13 NTLH)

Este verso fala dos imorais, que gostam de viver na luxúria, que levam as pessoas a pecar, que zombam e desprezam os poderes malignos, que agem sem o bom senso bíblico, que seguem o caminho da inveja e do ódio, materialistas, avarentos, fascinados pelo dinheiro, não obedecem a Deus, são anárquicos, glutões e vivem se embebedando. (cf. Jd.7-12)

Ao dizer que Deus “reservou, para sempre…”, Judas está dizendo que o Senhor tem guardado, conservado, preservado um lugar que Ele mesmo protege, para o sofrimento eterno dessas pessoas!

Diante de tudo isso, aprendamos o seguinte: Deus protege aquele que quer ser protegido por Ele! Quem quer ser protegido por Deus, se protege abandonando as coisas profanas deste mundo e se dedicando ao Pai completamente, a fim de ser amado por Pai em Cristo. Então, nós temos grande responsabilidade no que se refere a sermos protegidos por Deus.

2. A nossa responsabilidade em nos conservarmos em Cristo.

Vamos ler Judas 21:

icon_biblia  E continuem vivendo no amor de Deus, esperando que o nosso Senhor Jesus Cristo, na sua misericórdia, dê a vocês a vida eterna. (Jd.21 NTLH)

Uma vez que abandonamos as coisas profanas deste mundo e nos dedicamos a Deus completamente, Judas pede que cooperemos com o Pai, vivendo em amor e na esperança de que Jesus, na Sua misericórdia, nos dê a vida eterna.

O apóstolo Pedro diz que as mais ricas bênçãos que Deus guarda para o Seu povo, estão guardadas na eternidade, onde elas não perdem o seu valor, não se estragam e não são destruídas. (cf. 1 Pe.1:4)

No entanto, Pedro afirma que essas bênçãos serão daqueles que, por meio da fé, permitem ser guardados (tereo = conservados, protegidos, preservados) pelo poder de Deus. Vejamos:

icon_biblia Essas bênçãos são para vocês que, por meio da fé, são guardados (tereo) pelo poder de Deus para a salvação que está pronta para ser revelada no fim dos tempos. (1 Pe.1:5 NTLH)

Deus nos provê do Seu poder para que fiquemos firmes na fé, enquanto manifestamos a fé verdadeira. Dessa forma, ninguém pode nos conduzir para longe do amor do Pai contra a nossa vontade.

Porém, o que acontece quando o cristão passa a agir como um não cristão? A promessa Divina ainda se aplicará a ele, mesmo tendo mudado a sua conduta? A Carta aos Hebreus 4:1,2,11, nos diz claramente que eles perdem a proteção Divina; portanto, eles perdem a salvação e as ricas bênçãos eternas.

icon_biblia  1 Deus nos deixou a promessa de que podemos receber o descanso de que ele falou. Portanto, tenhamos muito cuidado para que Deus não julgue que algum de vocês tenha falhado, deixando assim de receber esse descanso. 2 Pois, assim como aquelas pessoas ouviram, também nós ouvimos a boa notícia. Elas ouviram a mensagem, porém ela não lhes fez nenhum bem porque, quando a ouviram, não a receberam com fé. 11 Portanto, façamos tudo para receber esse descanso, e assim nenhum de nós deixará de recebê-lo, como aconteceu com aquelas pessoas, por terem se revoltado. (Hb.4:1,2,11 NTLH)

Há na Carta aos Hebreus um texto mais longo, mas que diz a mesma coisa aos que relaxam na fé.

icon_biblia  12 Meus irmãos, cuidado para que nenhum de vocês tenha um coração tão mau e descrente, que o leve a se afastar do Deus vivo. 13 Pelo contrário, enquanto esse “hoje” de que falam as Escrituras Sagradas se aplicar a nós, animem uns aos outros, a fim de que nenhum de vocês se deixe enganar pelo pecado, nem endureça o seu coração. 14 Pois seremos companheiros de Cristo se continuarmos firmes até o fim na confiança que temos tido desde o princípio. 15 É isso o que as Escrituras Sagradas dizem: “Se hoje vocês ouvirem a voz de Deus, não sejam teimosos como foram os seus antepassados quando se revoltaram contra ele.” 16 Quem foi que ouviu a voz de Deus e se revoltou contra ele? Foram todos os que Moisés tirou do Egito. 17 Com quem foi que Deus se irritou durante quarenta anos? Foi com os que pecaram e caíram mortos no deserto. 18 E de quem é que Deus estava falando quando fez este juramento: “Eles nunca entrarão na Terra Prometida, onde eu lhes teria dado descanso”? Ele estava falando das pessoas que se revoltaram. 19 Portanto, vemos que elas não puderam entrar na Terra Prometida porque não tiveram fé. (Hb.3:12-19 NTLH)

Embora sejamos protegidos em Cristo Jesus, é nossa a responsabilidade de nos conservarmos Nele e na fé que Ele nos deu. Deus requer essa atitude: que nos mantenhamos no Seu amor, ou seja, que abandonemos as coisas profanas deste mundo e nos dediquemos a Ele completamente, a fim de sermos Seus cooperadores nesta terra.

A VIDEIRA E OS RAMOS

GUIA DE ESTUDO CRESCIMENTO:

CRESCIMENTO:

  • Leia:
    • — Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque sem mim vocês não podem fazer nada. (João 15:5 – NTLH)
  • Pergunte:
    • Como o Senhor Jesus se define?
    • Como o Senhor Jesus nos define?
    • O que a unidade com o Senhor Jesus nos faz?
    • Qual consequência para aquele que não tem unidade com o Senhor Jesus?

EXPLORANDO:

  • Por que não podemos focar somente na grandeza ou somente na humildade? (página 298 – parágrafo 01)
  • O que o Senhor Jesus Cristo nos ensinou a partir do exemplo da videira e do ramo? (página 298 – parágrafo 02)
  • O que Deus não quer para nós e o que Ele quer para nos? (página 298 – parágrafo 02)
  • Como o Senhor Jesus Cristo define o tipo de vida que devemos ter, baseado no ideal de Deus para nós? (página 298 – último parágrafo e página 299 – parágrafo 01)
  • Quem é Deus na parábola da videira? Qual é o Seu papel? (página 299 – parágrafo 02)
  • Quem é o Senhor Jesus Cristo na parábola da videira? Qual é o Seu papel? (página 299 – parágrafo 03)
  • Como devemos tratar o Senhor Jesus Cristo segundo a parábola da videira? (página 299 – parágrafo 03)
  • Como somos representados na parábola da videira? Qual o nosso papel? (página 299 – último parágrafo)
  • Como deve ser o ramo que permanece unido com a videira? (página 300 – parágrafo 01)
  • O que é ser frutífero e o que é fruto? (página 300 – parágrafo 01)
  • O que é necessário para que um ramo seja frutífero? (página 300 – parágrafo 02)
  • Por que o ramo precisa ser podado? (página 300 – parágrafo 03)
  • Por que Deus nos poda e como Ele nos poda? (página 301 – parágrafo 02)
  • O que significa permanecer? (página 301 – último parágrafo)
  • Por que temos que permanecer unidos com o Senhor Jesus? (página 302 – parágrafo 01)
  • O que é permanecer unido com o Senhor Jesus Cristo? (página 302 – parágrafo 02)
  • O que é mais importante nos os atos de permanecer unido com o Senhor Jesus? (página 302 – último parágrafo)
  • Como permanecer conectado no amor do Senhor Jesus Cristo? (página 303 – parágrafo 01)
  • Qual é a conclusão que o autor chega sobre o amor do Senhor Jesus Cristo? (página 303 – parágrafo 01)
  • Como é o fruto que produzimos em união com o amor do Senhor Jesus? (página 303 – parágrafo 02)

APLICANDO:

  • Como tem tratado a poda de Deus em sua vida?
  • Você tem se posicionado como um ramo na videira? Como tem agido?
  • Como reage quando recebe uma poda de Deus em sua área de maior vigor?

A ponto de estourar – Parte 1

 

(Walter de Lima Filho – Domingo – 06/07/2014)

Se preferir faça o download:

2 Conrintios 1:8

Há quem pense que por se tornar cristão nunca mais terá problemas emocionais, pois Deus sempre o livrará de qualquer situação de pressão, seja ela interna ou externa. No entanto, isso não é totalmente verdade, pois todos os homens e mulheres de Deus, em algum momento de suas vidas, tiveram que enfrentar pressões (externa) e ficaram emocionalmente abalados (interna).

Há na Palavra de Deus, princípios que nos ajudam tanto a pensar como a agir de modo correto nessas situações de pressões. Esses princípios, quando observados, nos garantem vida e as bênçãos Divinas. Nas próximas reuniões, eu quero compartilhar alguns desses princípios com vocês. Hoje nós iniciaremos com o seguinte princípio:

SENDO VERDADEIRO QUANTO ÀS FRUSTRAÇÕES

1. Aceite as pressões como parte da vida.

Eu ouvi um pregador dizendo pelo programa de rádio, que Deus “não está” com uma pessoa que demonstra estar emocionalmente abalada! No entanto, a Bíblia ensina outra coisa e uso dois exemplos:

“Elias” estava desapontado com a situação do momento e, abalado emocionalmente, pensou em desistir de tudo. Elias permitiu que Deus o convencesse de que estava errado e voltou a cumprir sua missão. (cf. 1 Re.19:1-18)
“Jeremias” estava desapontado com tudo o que lhe aconteceu, com Deus e com o Seu povo, pelas coisas que passou ao pregar contra os pecados do povo e de seus líderes. (cf. Je.20)
Nós devemos saber que as pressões fazem parte da vida, e que sem elas, nós estaríamos mortos, pois necessitamos sempre de alguma pressão para realizarmos qualquer coisa.

Pegue por exemplo, um violão: se não apertarmos as cordas com firmeza, não obtemos nenhum som e assim é com qualquer instrumento de cordas. Quando vamos estudar, nós precisamos de alguma pressão para que nós não desanimemos nos estudos. Portanto, tudo na vida exige alguma força ou pressão.

2. Saiba que quando a pressão é exagerada, ela gera dor e frustração.

Quando eu ensinava violão, eu dizia ao aluno que ele deveria aprender a pressionar as cordas, mas não com muita violência para não ferir demasiadamente os dedos, pois isso o faria desanimar. Eu dizia: “Vá com calma, vá treinando e adquirindo o jeito de fazer a pressão adequada sobre as cordas. Tenha paciência!”

Nós sabemos que a pressão é necessária, mas quando ela é exagerada, nos sentimos muito mal. Muitos, e talvez vários aqui, se encontram sob tamanha pressão e pensam estar chegando a um ponto de ruptura, de estourar, explodir ou desmoronar.

A pressão exagerada pode criar muitas emoções negativas como: ansiedade, preocupação, medo, culpa, vergonha, desânimo e depressão. Isso tudo revela o sentimento interior de desapontamento ou frustração que muitos têm com Deus, com as circunstâncias, terceiros ou com eles próprios.

Voltemos ao exemplo do violão: para afiná-lo, é necessário esticar cada corda até o ponto de se conseguir a sua afinação ou tom. Caso as estiquemos demais, elas vão se partir pelo fato de não suportarem a pressão que foi além do ponto suportável.

Nós temos aprendido com o apóstolo Paulo o seguinte:

icon_biblia 12 Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair. 13 As tentações que vocês têm de enfrentar são as mesmas que os outros enfrentam; mas Deus cumpre a sua promessa e não deixará que vocês sofram tentações que vocês não têm forças para suportar. Quando uma tentação vier, Deus dará forças a vocês para suportá-la, e assim vocês poderão sair dela. (1 Co.10,12,13 NTLH)

Como eu já expliquei em reuniões anteriores, as tentações não vêm do Diabo, mas do interior do nosso ser, dos nossos próprios desejos. (cf. Tg.1:13-15) Portanto, tanto o desapontamento como a frustração e o desânimo, são sentimentos que surgem do nosso interior e o Diabo usará essas emoções, para tentar nos destruir. Porém, nós devemos dar graças a Deus, que sempre nos fortalece com a força do Seu poder, para enfrentarmos esses sentimentos negativos como “Aquele” (Diabo) que deles se aproveita, a fim de superá-los.

Este é o nosso desafio:

Entender que não estaremos livres das pressões nesta vida.
Que nesses momentos precisamos confiar em Deus, para aprendermos a pensar nas atitudes corretas que deveremos tomar.

3. Enfrente as emoções negativas com coragem e não mascare a situação.

Por que temos medo das emoções negativas? Porque nós não sabemos o que fazer com essas emoções, mas percebemos o estrago que elas nos fazem. Muitos cristãos, por não saberem como agir nesses momentos de pressão, preferem fingir que não estão sentindo nada! Eles usam uma máscara e tentam ignorar a dor. Eles tentam esconder no íntimo os seus sentimentos negativos como a sua fragilidade a eles.

Você vê uma pessoa com o olhar triste e a expressão do seu rosto diz que ela não está bem. Então, perguntamos sobre como ela está e geralmente, a resposta é: “Nunca estive tão bem! Deus está comigo! Estou firmado na Rocha!

Eles agem dessa forma, porque aprenderam em certas igrejas que ao dizerem estar com algum abalo emocional, entristeceriam a Deus e não demonstrariam fé. O que tem sido ensinado é que se deve dizer pela fé no poder do nome de Jesus, que se você está com alguma dor, diga que não está! O princípio errado é que você deve demonstrar que é mais forte do que a dor que está sentindo.

Muitos pensam que essa é a maneira espiritual para lidar com essas situações. Entretanto, eu pergunto: É isso o que Deus quer? É assim que a Palavra de Deus ensina? Voltemos ao nosso texto base e observemos a sinceridade do apóstolo Paulo:

Irmãos, queremos que saibam das aflições pelas quais passamos na província da Ásia. Os sofrimentos que suportamos foram tão grandes e tão duros, que já não tínhamos mais esperança de escapar de lá com vida. (2 Co.1:8 NTLH)

4. Confie na presença de Deus, pois Ele sempre está perto para oferecer ajuda.

Deus não nos ensina a usarmos máscaras ou fingir. Foi Deus Quem criou as nossas emoções, Ele nos conhece muito bem e pode nos dar a capacidade para agirmos do modo correto. Por isso, Deus quer que expressemos o que sentimos a Ele.

icon_biblia  Confie sempre em Deus, meu povo! Abram o coração para Deus, pois ele é o nosso refúgio. (Sl.62:8 NTLH)

Saibamos que os desapontamentos fazem com outros sentimentos negativos se acumulem dentro de nós, e se não lidarmos rapidamente com eles, seremos destruídos!

  • Pegue uma lata de Coca-Cola, deixe-a fora da geladeira e depois de um tempo passe a sacudi-la. Em seguida, puxe o lacre! Você sabe o que acontece, não é?

Ao acumularmos esses sentimentos em nosso interior, efervescermos nossas vidas e a qualquer momento poderemos explodir! Então, não adianta ignorar o problema, negar que ele não existe ou fingirmos que tudo está bem, mascarando a situação.

Alguns dizem: “Eu já procurei a Deus, mas parece que Ele está a quilômetros de mim!” Saiba que Deus nunca está longe de nós! Ele jamais nos abandona! Talvez, devido à nossa ansiedade, não O sentimos, mas Ele está muito perto, vê e sabe tudo o que está acontecendo.

icon_biblia  Fiquei com medo e pensei que ele havia me expulsado da sua presença. Mas ele ouviu o meu grito quando o chamei pedindo ajuda. (Sl.31:22 NTLH)

Diante das frustrações ou desapontamentos:

  • Aceite as pressões como parte da vida.
  • Saiba que quando a pressão é exagerada, ela gera dor e frustração.
  • Enfrente as emoções negativas com coragem e não mascare a situação.
  • Confie na presença de Deus, pois Ele sempre está perto para oferecer ajuda.

A minha esperança é que aceitemos esses desafios do Espírito de Deus, pois se Ele nos desafia com Suas propostas, é porque o Senhor está conosco e neste lugar. Afinal, nós servimos a um Deus que cumpre Suas promessas, que dá força ao enfraquecido para que enfrente as pressões e consiga sair delas, que sempre está pronto para ouvir nossas orações e ser o nosso “Abrigo” e que jamais lança fora o que busca pela sua ajuda e companhia.