A importância da oração - Parte 1

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Texto Bíblico:

& 7 — Nas suas orações, não fiquem repetindo [palavras inúteis] o que vocês já disseram, como fazem os pagãos. Eles pensam [presumem, supõem, imaginam] que Deus os ouvirá porque fazem orações compridas. 8 Não sejam como eles, pois, antes de vocês pedirem, o Pai de vocês já sabe o que vocês precisam. (Mt.6:7,8 NTLH)

Para muitos, a oração é um momento de desespero, a última “tábua de salvação”! Para outros, é um prazer, um momento de se submeter à direção de Deus e de receber Dele o que realmente precisam. Para estes, o momento da oração é a expressão da confiança em um Ser que nunca os abandona e que agirá com toda a providência necessária. Eles são gratos, alegres e pacientes, submetendo-se à vontade do SENHOR.

A oração é maneira de você se comunicar com Deus. A oração é o veículo para o diálogo diário com Aquele que o criou. A importância da comunicação diária através da oração não pode ser tratada com desdém, pois ela é mencionada mais de 250 vezes nas Escrituras. Se você ama a Deus, com certeza, falará com Ele diariamente.

Por que a oração diária é tão importante? Porque é por meio dela que,

  • Você compartilha todos os aspectos da sua vida com Deus.
  • Você expressa a sua gratidão pelas coisas que Ele lhe oferece.
  • Você confessa as suas fraquezas e pecados e pede ajuda para superá-los.
  • Você recebe forças para servir e adorar o SENHOR, o Deus Todo-Poderoso.
  • Você reconhece Quem deve estar no controle da sua vida.

Saiba que orar é um ato de obediência, pois a Palavra de Deus nos ensina que devemos orar constantemente. Veja:

& "Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres; aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre." (Rm.12:12 NTLH)

Por que muitos cristãos vivem uma vida cristã sem brilho e sem alegria? Porque lhes falta a esperança em Deus; quem não tem esperança se torna impaciente. Esse tipo de gente acaba se tornando presa fácil das artimanhas daqueles que se apresentam como ajudadores, mas que são, de fato, apenas falsos motivadores e aproveitadores da dor alheia. A finalidade deles é tirar benefícios da dor do próximo.

Segundo o apóstolo Paulo, a oração constante na vida daquele que crê e que guarda no coração a Palavra de Deus, terá mais paciência em meio às lutas, pois ele aprende pelos princípios da Bíblia que Deus está no controle de todas as coisas e, portanto, nunca lhe falta a esperança no SENHOR.

1. Na sua oração diária, compartilhe todos os aspectos da sua vida com Deus.

As situações da vida mudam minuto a minuto e, às vezes, elas mudam do bem para o mal rapidamente! Deus, então, o chama para que apresente a Ele as suas preocupações, e assim, encontre disposição e toda a força espiritual e mental necessária.

1.1. Ore com a disposição de aceitar o melhor de Deus. (Mt.7:7-11)

& 7 "— Peçam [supliquem, roguem, desejem] e vocês receberão [o suprimento necessário]; procurem [empenhem-se em meditar, pensar] e vocês acharão [descobrirão pela reflexão e compreensão]; batam, e a porta será aberta para vocês." 8 "Porque todos aqueles que pedem recebem; aqueles que procuram acham; e a porta será aberta para quem bate." 9 Por acaso algum de vocês, que é pai, será capaz de dar uma pedra ao seu filho, quando ele pede pão? 10 Ou lhe dará uma cobra, quando ele pede um peixe? 11 Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai de vocês, que está no céu, dará coisas boas aos que lhe pedirem! (Mt.7:7-11)

O verso 7 me faz lembrar a conversa que Jesus teve com Nicodemos, o qual queria conhecer o caminho para desfrutar do Reino de Deus. Jesus lhe disse sobre a necessidade de nascer de novo, a fim de tanto “enxergar como entrar” no Reino dos Céus. (cf. Jo.3:3-5)

Vamos entender o sentido das palavras de Jesus em Mateus 7:7-11.

Mt.7:7. Jesus diz que devemos pedir ou suplicar o suprimento necessário e, no caso, para cada situação. Então, quando Ele nos diz para procurarmos, o sentido é de pensarmos ou refletirmos a cerca do que realmente precisamos. Jesus ensina que é por meio da reflexão ou da meditação, que nós “enxergamos” o que de fato precisamos. Por fim, Ele pede que batamos à porta para que ela seja aberta, a fim de “entrarmos” por ela e desfrutarmos de tudo de bom (útil) que o SENHOR pode nos dar.

Mt.7:8. Neste verso, Jesus dá as razões para agirmos do modo como Ele ensinou no verso 7.

Mt.7:9,10. Quando Jesus usa a palavra “acaso”, o sentido é de criar uma situação fictícia, uma simulação de alguma circunstância entre pais e filhos. Jesus quer que eles pensem. Em outras palavras: “Pensem como pais: Se acaso, o seu filho lhe pedir um pedaço de pão, você substituiria o pão por uma pedra? E se ele lhe pedisse um peixe, você o substituiria por uma cobra?

Mt.7:11. Jesus fala da condição humana aos olhos de Deus e mesmo o homem sendo mau, ele dá coisas boas aos seus filhos. Então, imagine Deus!

1.2. Quando orar, submeta-se a Deus e não às loucuras da mente.

Jesus está mostrando que a oração não deve consistir em um ato de loucura da mente, que apela para os desejos ou interesses humanos! Toda vez que você for orar, dirija-se a Deus com respeito e esteja disposto a receber o que de bom ou de útil que Ele poderá lhe dar.

Saiba que nem sempre Deus dará o que você deseja, mas o que é útil ou necessário em uma determinada situação. Deus espera que você “enxergue”, “entre” pela porta que Ele mesmo abre, e que desfrute com alegria e maturidade a provisão ou a capacitação necessária para o seu momento.

Por acaso, o seu filho lhe pede uma soma em dinheiro e o que você faz? Eu penso que você irá lhe perguntar sobre onde e para o que ele a usará. Então, você percebe que a explicação do filho é um tanto estranha, excêntrica ou esdrúxula. O que você faz? Penso que tentará conversar com bons termos, a fim de convencê-lo a mudar a sua atitude, a qual foge dos bons padrões. E se ele insiste e impõe que você lhe dê a soma em dinheiro? Então, você terá que pensar e indagar a si mesmo: “Isso será útil ou bom para o meu filho? Eu estarei lhe prestando um grande favor? Isso o tornará melhor, mais maduro?” Se você tiver juízo dirá não e lhe proporá alguma outra coisa que lhe seja útil ou necessária.

Em nenhum momento, no texto de Mateus 7:7-11, Jesus está dizendo que Deus dará o que a pessoa quer, mas o que é “bom” para ela. Um ser humano que é mau por natureza, não dá ao seu filho tudo o que ele quer, mas o que lhe é “bom ou útil”. O mesmo se dá com Deus!

1.3. Quando orar, esteja disposto a obedecer a Deus sem medo.

Você se lembra do jovem rico que procurou Jesus, porque desejava desfrutar da vida eterna? (cf. Mc.10:17-22) Ele “queria saber” ou entender como poderia receber a vida eterna. Ele compareceu perante Jesus disposto a pensar, a compreender sobre o caminho divino para ele.

O jovem rico não era um “playboy”, mas um líder religioso e, uma pessoa como ele, desfrutava de muitos recursos financeiros e nós sabemos pela leitura das Escrituras, que os líderes religiosos extorquiam o povo. Jesus abriu a porta e lhe mostrou o que deveria fazer. Ele viu o caminho, mas não gostou do que viu! Com muito pesar deixou a presença de Jesus e foi embora.

Nem sempre o que Deus nos mostra é o que denominamos como “bom” para o nosso egoísmo, mas é “útil ou bom” para a nossa vida, para o aperfeiçoamento da nossa verdadeira espiritualidade e do nosso caráter, a fim de sermos aceitos por Deus.

Procure lembrar, neste momento, a experiência de Zaqueu com Jesus. (cf. Lc.19:1-10) Ele recebeu Jesus na sua casa, ouviu o Mestre, enxergou a si mesmo por meio do Evangelho e tomou a atitude correta. Ele roubava, pois era corrupto e, então, decidiu dar a metade dos seus bens aos pobres e, se acaso, tivesse roubado alguém, devolveria a essa pessoa quatro vezes mais da quantia que dela havia roubado.

1.4. Quando orar, reflita seriamente sobre os aspectos da sua vida.

Portanto, alguns, em suas orações, são sinceros ao apresentar os aspectos da sua vida com Deus, e outros não. O egoísta não gosta de orar e o motivo é óbvio! Imagine se um egoísta terá prazer em orar ou interceder por suas reais necessidades e pelas urgências de outras pessoas. É claro que não! Ele foge de Deus, só pensa em si mesmo, pois é egoísta!

Portanto, quando você for orar, esteja disposto a pensar, a refletir sobre todos os aspectos da sua vida, pois nem sempre Deus lhe dará o bem que quer, mas poderá lhe dar a capacidade e o caminho para obtê-lo. Afinal, você tem que decidir: o que ou quem dirige a sua vida? Seus desejos ou Deus?

Se Deus permitir, nós continuaremos na próxima semana.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail