Ame a Deus e odeie o mal

Texto Bíblico:

& "Vocês, que amam a Deus, o SENHOR, odeiem o mal; ele protege a vida dos que lhe são fiéis e os livra do poder dos maus." (Sl.97:10 NTLH)

Nós vivemos em um mundo completamente afastado ou desalinhado de Deus, dos Seus princípios e valores. Nós vivemos dentro de uma filosofia de vida que trata o Eterno com sarcasmo e O ridiculariza constantemente. Nós convivemos com seres que tentam calar o Criador e rasgar as páginas do Seu Livro Sagrado – a Bíblia.

Nesse ambiente hostil, nós precisamos adquirir o discernimento correto para falarmos na hora certa, e também a coragem, a fim de não nos calarmos em prol do Reino de Deus. Quando nós nos calamos, o “mundo” grita e expõe a sua alegria pela fanfarrice!

Nós somos chamados por Deus, a fim de vivermos uma vida de piedade, ou seja, para oferecermos a Deus o serviço espiritual que Ele merece. O nosso chamado envolve uma vida de devoção constante e isso significa que devemos amar o que Deus ama e odiar o que Ele odeia.

1. Odeie o mal com a mesma proporção que você ama a Deus. (Sl.97:10a)

& 10 "Vocês, que amam a Deus, o SENHOR, odeiem o mal. (NTLH)

O verso se refere àqueles que amam a Deus. Isso quer dizer que aquele que professa amar a Deus deve também odiar ou detestar o que é mal.

Jesus nos ensinou acerca de como devemos amar a Deus:

& 37 “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente.” 38 Este é o maior mandamento e o mais importante. (Mt.22:37,38 NTLH)

Entretanto, não basta amarmos a Deus, mas, por outro lado, praticarmos o que é mal ao nosso próximo. Por isso, Jesus disse:

& 39 E o segundo mais importante é parecido com o primeiro: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” 40 Toda a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas se baseiam nesses dois mandamentos. (Mt.22:39,40 NTLH)

Portanto, a prova que amamos a Deus é não produzir o mal que possa prejudicar o nosso próximo, tanto espiritual como moralmente falando.

2. Pratique o que é bom e se esforce para tratar os outros com respeito.

O apóstolo Paulo nos diz:

& 9 Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. 10 Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito. (Rm.12:9,10 NTLH)

O amor não deve se vestir com o fingimento e com a falta de sinceridade e de franqueza. (Rm.12:9a) Então, nós devemos tratar as pessoas com lisura, generosidade e sem a intenção de obtermos vantagens ou lucros. Devemos tratar as pessoas com respeito, ou seja, com reverência, preocupação ou zelo. (Rm.12:10) E como nós fazemos isso? Odiando o mal e seguindo o que é bom! (Rm.12:9b)

Entretanto, o que é bom e o que é mal? Bom é aquilo que saudável, útil, excelente, honesto, edificante e honrado. Falando de outro modo, é fazer com que a natureza do nosso ser e da pessoa com quem nos relacionamos, volte ao propósito Divino para o qual nós todos fomos criados, isto é, expressarmos a “imagem de Deus”. (cf. Gn.1:26)

Deus não nos criou para expressarmos inutilidades, desonestidade e desonra. Deus não nos criou para essas coisas nem para que as incentivemos. Ele nos criou para expressarmos a vida do Seu Filho Jesus, cujas características foram descritas pelo apóstolo Paulo em Gálatas 5:22,23. Ele as descreve como “o fruto do Espírito”.

Quem age dessa forma, não está se calando diante do mal, pois as suas atitudes são mais poderosas que palavras, e não nos tornamos coniventes com o que é mal.

O mal é tudo aquilo que conspira contra os princípios espirituais e morais estabelecidos por Deus nas Sagradas Escrituras. O propósito do mal é corromper o ser criado à imagem e semelhança de Deus, procurando fazer com que ele dissemine o oposto do propósito para o qual foi criado.

Para isso, Satanás usa as redes sociais, a TV, o rádio, o cinema, a imprensa, a literatura, as escolas, o governo, o povo, as ruas, e por que não as festas culturais? Ele procura de todas as formas separar as criaturas do Criador, por meio dos prazeres do pecado, e nós sabemos que o combustível deste é o orgulho, o egoísmo e os interesses pessoais.

Então, o mal está tanto dentro como fora de nós! Ele reside nos nossos corações, nos nossos desejos (alma) e nos nossos pensamentos (mente). Infelizmente, o mal pode ser implantado tanto dentro como fora das igrejas, quando estas deixam de amar a Deus como deveriam.

3. Seja fiel a Deus e conte com a Sua proteção contra o mal. (Sl.97:10b)

Ao ensinar os Seus discípulos a orar, Jesus disse que eles deveriam pedir a ajuda de Deus, a fim de serem livres do mal. No entanto, isso não depende somente de Deus, mas do nosso esforço por conhecer a vontade de Deus. O apóstolo Paulo declarou o seguinte:

& Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm.12:2 NTLH)

Na vida da Igreja não existe lugar para o relativismo, uma filosofia que nega toda a verdade absoluta e perene, assim como toda a ética absoluta, ficando a critério de cada indivíduo definir a sua verdade e o seu bem. De acordo com as Sagradas Escrituras, aquele que se torna filho de Deus e passa a pertencer à Sua Igreja, tem que ter posições claras.

O mundo prega a tolerância, porém, não é tolerante com as verdades e princípios da Bíblia. O mundo odeia a Palavra de Deus. Todavia, aquele que a ama, ama o mundo e quer vê-lo se aproximando de Deus, mas odeia o que o mundo faz e prega.

O mundo mente quando demonstra respeito aos direitos dos outros, mas quando estes discordam das suas ideias, são tratados com ódio. O mundo odiou Jesus e também odiará todo aquele que O seguir, aquele que se tornar Seu discípulo.

Não é fácil ser um cristão nesse mundo hostil! Porém, é nele e em todas as suas áreas de atuação, que nós, como filhos de Deus, precisamos tomar posições sólidas como:

  • Andarmos na “Luz” (Jesus) em um mundo de ignorância espiritual e moral.
  • Praticando o bem em uma dimensão governada pelo mal.
  • Andarmos na Verdade ao invés de sermos arrastados pela mentira.
  • Sendo dedicados a Deus e não aos deuses falsos da riqueza, da orgia e dos prazeres da carne.

O mal sempre se levantará contra o povo de Deus, porém, ele é vencido quando praticamos o bem. O mal berra contra a Verdade Divina, mas o povo de Deus a defende e pratica o bem. Afinal, as portas do Inferno não prevalecerão contra a Igreja de Jesus!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail