A soberania e a providência Divina - Parte 1

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Provérbios 19:21

Texto Bíblico:

& As pessoas fazem muitos planos, mas quem decide é Deus, o SENHOR.  (Pv.19:21 NTLH)

Muitos cristãos encontram grandes dificuldades para entenderem a soberania Divina e a Sua “providência”. A Bíblia nos ensina que o Criador governa todas as coisas no Universo. Este é um assunto complexo, mas por que não encará-lo no temor do Senhor?

1. Creia com todo o coração que Deus está no controle de todas as coisas.

Vejamos alguns exemplos:

Deus controla todo o Universo:

& "O SENHOR Deus colocou o seu trono bem firme no céu; ele é Rei e domina tudo." (Sl.103:19 NTLH)

Deus tem as nações sob o Seu controle:

& Pelo seu poder, ele governa para sempre, e os seus olhos vigiam as nações. Que ninguém se revolte contra Deus! (Sl.66:7 NTLH)

Deus controla o nascimento e o destino dos Seus:

& (...) Deus, na sua graça, me escolheu antes mesmo de eu nascer e me chamou para servi-lo. (Gl.1:15 NTLH)

Deus controla o sucesso e o fracasso humano:

& Derruba dos seus tronos reis poderosos e põe os humildes em altas posições. (Lc.1:52 NTLH)

Deus está no controle sobre a vida do Seu povo e o protege:

& Quando me deito, durmo em paz, pois só tu, ó SENHOR, me fazes viver em segurança. (Sl.4:8 NTLH)

A soberania ou a providência Divina é determinante para rejeitarmos a ideia de que tudo o que existe é governado por sorte ou pelo acaso.

2. Procure entender o objetivo da soberania ou providência Divina.

Para garantir que os Seus propósitos sejam cumpridos, Deus governa tanto os negócios dos homens como trabalha por meio da ordem natural das coisas.

& "Mas ele é ele! Quem poderá fazer-lhe oposição? Ele faz o que quer.” (Jó 23:13 NTLH)

Estas palavras de Jó têm o seguinte sentido: “Isso que me aconteceu é parte do plano de Deus e ninguém pode fazer Deus mudar de ideia. Tudo que quer, Ele faz.” (BV)

Olhemos para as leis da natureza: Elas têm poder em si mesmas? Trabalham de modo independente? Claro que não! Elas trabalham juntas, por meio de regras e princípios que o Criador estabeleceu para governar o funcionamento de todas as coisas, a fim de realizar todos os Seus propósitos.

Muitas vezes, nós pensamos que o ser humano tem o poder para realizar o que quer, fora do controle de Deus. Porém, isso não é verdade. Em muitas ocasiões, Deus permite que a maldade de terceiros nos leve a uma condição que não queremos, a fim de realizar os Seus propósitos.

Um exemplo do que estou dizendo está registrado nas Escrituras, nas palavras de José aos seus irmãos, os quais o venderam a uma caravana e, anos depois, o encontraram no Egito.

& 15 Depois da morte do pai, os irmãos de José disseram: Talvez José tenha ódio de nós e vá se vingar de todo o mal que lhe fizemos. 16 Então mandaram dizer a José: Antes que o seu pai morresse, 17 ele mandou que pedíssemos a você o seguinte: “Por favor, perdoe a maldade e o pecado dos seus irmãos, que o maltrataram.” Portanto, pedimos que perdoe a nossa maldade, pois somos servos do Deus do seu pai. Quando recebeu essa mensagem, José chorou. 18 Depois os próprios irmãos vieram, se curvaram diante dele e disseram: Aqui estamos; somos seus criados. 19 Mas José respondeu: Não tenham medo; eu não posso me colocar no lugar de Deus. 20 É verdade que vocês planejaram aquela maldade contra mim, mas Deus mudou o mal em bem para fazer o que hoje estamos vendo, isto é, salvar a vida de muita gente. 21 Não tenham medo. Eu cuidarei de vocês e dos seus filhos. Assim, ele os acalmou com palavras carinhosas, que tocaram o coração deles. (Gn.50:15-21 NTLH)

Responda: Deus estava ou não no controle de todas as coisas?

Fazendo um resumo, o Senhor permitiu que os irmãos de José o vendessem a uma caravana, e esta, por sua vez, o vendeu aos egípcios, onde ele se tornou um escravo nas terras do Faraó. Lá, José foi injustiçado e passou anos na prisão, até que revelou os sonhos do Faraó, os quais se tratavam de uma grande seca e fome que atingiriam os povos de toda aquela região. Depois disso, o Faraó elevou José ao mais alto posto do Egito, ou seja, como o governador de todas as suas terras.

Eu pergunto:

  • José entendia os planos de Deus para a sua vida desde o início?
  • Ele entendia que Deus estava agindo em favor de sua própria família e de outros povos, ao ser vendido a uma caravana e depois aos egípcios?
  • Ele entendia de imediato a injustiça que sofreu na casa de Potifar e os anos que passou na prisão como sendo os planos de Deus à sua vida?
  • Ele compreendia a grandeza dos planos de Deus, nos quais a sua vida estava envolvida?

Talvez, nós não consigamos explicar ou termos a compreensão exata de tudo o que nos está acontecendo neste momento. Então, o que devemos fazer? Entrarmos em desespero ou confiar na sabedoria ou providência Divina? Além do mais, como devemos proceder, enquanto confiamos na graça e no poder de Deus?

3. Pratique os princípios e verdades bíblicas, mesmo quando você não entende o momento da sua vida.

No Velho Testamento, nós encontramos uma declaração muito importante de Moisés:

& Há coisas que não sabemos, e elas pertencem ao SENHOR, nosso Deus; mas o que ele revelou, isto é, a sua Lei, é para nós e para os nossos descendentes, para sempre. Ele fez isso a fim de que obedecêssemos a todas as suas leis. (Dt.29:29 NTLH)

José não possuía o conhecimento dos planos de Deus para a sua vida, mas ele nunca se afastou dos princípios do temor e da obediência ao Senhor. Ele, “pela fé”, confiou a sua vida aos cuidados de Deus. José sempre agiu com integridade aos olhos do Senhor, pois Deus não viola a nossa responsabilidade como agentes morais e livres, nem nega a realidade de nossas escolhas.

Os irmãos de José agiram mal e violaram as os princípios de Deus. Em um determinado momento, eles precisaram se arrepender e reconhecer o erro que cometeram, pedindo perdão ao irmão e se humilhando perante o Criador.

Então, nós sabemos que Deus pode transformar o mal em bem, mas isso não quer dizer que podemos agir desregradamente, sem que recebamos alguma disciplina ou punição Divina, pois “o salário do pecado é a morte” (cf. Rm.6:23).

José, já entendendo os planos de Deus para a sua vida, não se vingou de seus irmãos, mas os perdoou e os abençoou.

& 4 E José disse: — Cheguem mais perto de mim, por favor. Eles chegaram, e ele continuou: — Eu sou o seu irmão José, aquele que vocês venderam a fim de ser trazido para o Egito. 5 Agora não fiquem tristes nem aborrecidos com vocês mesmos por terem me vendido a fim de ser trazido para cá. Foi para salvar vidas que Deus me enviou na frente de vocês. (Gn.45:4,5 NTLH)

Estas palavras de José devem nos fazer meditar na vida de nosso Senhor Jesus Cristo, pois Ele também foi vendido por Judas por 30 moedas de prata. Ele foi abandonado pelos Seus discípulos e, dias depois, retornou a eles para reagrupá-los e mostrar-lhes os planos de Deus através da Sua morte e ressurreição. Após ter feito isso, Jesus os enviou ao mundo para pregar o Seu Evangelho.

Quantas vezes nós mesmos negamos a Jesus e os princípios do Seu Evangelho em nossos caminhos ou ações? Fomos disciplinados, punidos e sofremos as consequências dos nossos erros, porém, não fomos abandonados! Jesus se voltou para nós, nos perdoou e nos deu as mesmas obrigações que deu aos Seus discípulos em Israel.

Nós somos embaixadores Dele em terras estranhas, a fim de levarmos o Seu Evangelho às pessoas que estão afastadas de Deus. Saiba que é nosso dever obedecer a essa ordem, pois para isso é que todos nós fomos chamados por Deus em Cristo.

Eu espero que Deus permita que continuemos a meditar sobre este assunto na próxima semana, sob a Sua graça e poder. Há muito para aprendermos e a minha esperança é que sejamos perseverantes na nossa fé e confiemos na soberania e na providência Divina.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail