Tomando decisões corretas em um mundo trapaceiro - Parte 5: Portas abertas e fechadas e as decisões divinas

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Apocalipse 3:7

Texto Bíblico:

& "— Ao anjo da igreja de Filadélfia escreva o seguinte: “Esta é a mensagem daquele que é santo e verdadeiro. Ele tem a chave que pertencia ao rei Davi; quando ele abre, ninguém fecha, e quando ele fecha, ninguém abre." (Ap.3:7 NTLH)

Eu tenho compartilhado com você alguns e eles nos ajudam a avaliarmos as nossas decisões neste mundo trapaceiro. Relembremos:

  1. A minha decisão contrariará os princípios morais estabelecidos por Deus? Ela é lícita ou moral? Ela contraria os mandamentos de Deus? Ela me levará a enganar pessoas?
  2. A minha decisão trará benefícios à minha família ou só para mim? Ela edifica a minha família em Cristo, ou só lhe dará confortos (ou bem-estar terreno)?
  3. A minha decisão tomará o lugar de Deus e da minha família em minha vida? Eu corro o risco de me tornar escravo de pessoas e do que pretendo alcançar?
  4. A minha decisão não me acusa, mas edificará ou fortalecerá outras pessoas em Cristo? Serei como uma pedra de tropeço para os mais fracos na fé ao fazer publicamente aquilo que não me condena, por questões de consciência?
  5. A minha decisão honrará a Deus? Ela expressará a Sua realidade, a Sua grandeza, poder, misericórdia, bondade e amor ou ela é apenas uma motivação pessoal para alcançar prestígio e ganhos particulares?

O nosso texto base fala da mensagem de Jesus à Igreja que se reunia na cidade de Filadélfia, que ficava na Ásia (Turquia). Os membros dessa igreja local eram verdadeiros, obedientes e dedicados à missão cristã e, por isso, o SENHOR os elogiou (cf. Ap.3:7-13)

Eu não vou falar sobre a mensagem de Cristo a esta Igreja, mas faço uso da última parte do verso 7, a fim de meditar com você essa verdade sobre Jesus: “quando ele abre, ninguém fecha, e quando ele fecha, ninguém abre.” Deus havia decidido que aquela igreja, mesmo sendo fraca e sem muitos recursos, seria um exemplo a todas as outras e aos cristãos de gerações futuras.

Há momentos em nossas vidas que nos deparamos com “portas fechadas e outras abertas”. Deus está sempre abrindo ou fechando portas em nossas vidas, de acordo com a Sua vontade e decretos pessoais. O salmista nos diz o seguinte:

& 8 O SENHOR é justo e bom e por isso mostra aos pecadores o caminho que devem seguir. 9 Deus guia os humildes no caminho certo e lhes ensina a sua vontade. (Sl.25:8,9 NTLH)

Eu encontro nestes versos bíblicos a implicação de que devo ser humilde diante de Deus, para não duvidar e nem questionar as Suas decisões, pois elas são “justas ou legítimas” e, ao mesmo tempo, elas são “boas”, ou seja, apropriadas ou convenientes num determinado momento. Através da Sua soberania, Deus está constantemente nos ensinando o caminho certo, a fim de que a Sua vontade seja feita neste mundo.

Uma das maneiras de Deus nos guiar é abrindo e fechando portas (o que chamamos de oportunidades). Por exemplo:

Você quer trocar de automóvel, pois surgiu uma grande oportunidade para essa troca. Existe algum pecado no desejo de fazer isso? Claro que não! É uma decisão amoral (que não agride as leis ou os princípios da moral – por exemplo, os Dez Mandamentos). Então, você ora a Deus e Lhe diz que quer substituir o seu carro por outro mais novo. Você tem o dinheiro e todas as condições no momento para realizar a transação. Porém, de repente, surge uma situação de doença na família e você precisa usar o dinheiro para esse fim. Você agora se encontra triste por não realizar o seu plano ou sonho e diz: “Deus não permitiu que eu trocasse de automóvel neste momento por alguma razão que desconheço!” Isso é correto. O incorreto seria dizer que Deus não quer que você substitua o seu veículo por outro e terá que conviver com ele até o fim da vida. Deus não quis naquele momento por alguma razão, a qual está acima da doença na família e do prazer da troca. Ele não diz qual é, mas simplesmente fechou a porta momentaneamente. Há várias razões que você poderia especular (pecado, compulsão, proteção, livramento de algo prejudicial futuro, etc.), entretanto, seja humilde e aceite com alegria a decisão divina naquele momento.

Nós lemos no texto base que a declaração de Jesus foi à Igreja que estava na cidade de Filadélfia, a qual se encontrava na região da Ásia Menor (hoje Turquia). Deus fez com que o Evangelho chegasse até eles, mas veja algo curioso registrado no livro de Atos:

& 6 Como o Espírito Santo não deixou que anunciassem a palavra na província da Ásia, eles atravessaram a região da Frígia-Galácia. 7 Quando chegaram perto do distrito da Mísia, tentaram ir para a província da Bitínia, mas o Espírito de Jesus não deixou. 8 Então atravessaram a Mísia e chegaram à cidade de Trôade. 9 Naquela noite Paulo teve uma visão. Ele viu um homem da província da Macedônia, que estava de pé e lhe pedia: “Venha para a Macedônia e nos ajude!” 10 Logo depois dessa visão, nós resolvemos partir logo para a Macedônia, pois estávamos certos de que Deus nos havia chamado para anunciar o evangelho ao povo dali. (At.6:6-10 NTLH)

Paulo desejava pregar o Evangelho na província da Ásia, mas Deus “fechou as portas”! Isso significa que não era o momento. Paulo e seus companheiros poderiam ter pensado que era o Diabo criando obstáculos e que eles deveriam ir a todo o custo àquela região (isso é o que muitos cristãos fazem no namoro, emprego, estudos, etc.), o que seria um erro e traria sérios problemas, naquele momento, ao Evangelho, ao Reino de Deus como à vida de todos.

Vejamos agora a declaração de Paulo sobre esse episódio:

& Quando cheguei à cidade de Trôade para anunciar o evangelho de Cristo, vi que o Senhor me havia aberto o caminho para o trabalho ali. (2 Co.2:12 NTLH)

Deus, muitas vezes, altera os nossos planos e não nos declara sobre o que é certo ou errado, o que devemos ou não fazer e o que vamos enfrentar. Ele, simplesmente, abre ou fecha as portas! Ele espera que sejamos humildes e por quê? Deus está constantemente testando o nosso caráter e compromisso com Ele!

Há cristãos que em um determinado momento de sua vida precisam ganhar mais dinheiro e, então, uma porta se abre para que ele trabalhe de domingo a domingo. Ele diz:

“Deus abriu uma porta neste momento para eu ganhar mais! Será só por algum tempo. Eu sei que terei que me ausentar da vida da Igreja por um período de tempo, mas não vou me esquecer do SENHOR e serei muito grato por esta oportunidade!

Eu penso que você já sabe o que irá acontecer: a pessoa que deixa de ouvir a Palavra de Deus e se afasta da comunhão da Família de Deus, logo se esfriará na fé (na sua fidelidade, obediência e compromisso). Ele deixa de honrar a Deus, se torna infrutífero, afasta-se da família natural e espiritual, a sua alma vai se tornando seca, avarenta, materialista, mesquinha e logo a sua vida com Deus se torna em uma lembrança! O mesmo se dá com namorado (a), festas, amizades, bens, imóveis e diferentes situações.

Pense: que tipo de pessoa você está tornando dentro da situação que escolheu? Mais maduro na fé, paciente, alegre, fiel, comprometido com a Palavra do SENHOR e a sua missão cristã? Você está crescendo no conhecimento e na graça de Jesus Cristo? (cf. 2 Pe.3:18) Você está respeitando mais a Deus do que antes, ou seja, o seu temor a Deus é crescente? (cf. Sl.111:10; Pv.1:7; 9:10; 15:33) CUIDADO!

Você provavelmente conheça a história de Jonas. Ele queria fugir da missão que Deus lhe havia dado para pregar em Nínive e preferiu ir para a Tarsis (na Espanha). Ele se dirigiu a Jope (hoje Tel-Aviv) e encontrou um navio pronto para sair ao destino planejado por ele. Era uma porta aberta às suas convicções. Ele tomou o navio e zarpou. Deus permitiu tudo isso. Todavia, já em alto mar, uma terrível tempestade se abateu sobre a nau, a qual trouxe enormes prejuízos à embarcação e aos comerciantes (muito da carga do navio foi atirada ao mar para aliviar o peso). Ele confessa ser o problema e é atirado ao mar. Um enorme peixe o engole e depois de três dias é regurgitado na praia. Ele estava de volta ao ponto da sua fuga ou partida.

Jonas queria se livrar de problemas que afetavam o seu espírito nacionalista, pois, ele era judeu e os ninivitas eram grandes inimigos do povo judaico. Jonas odiava Nínive e seus habitantes, mas Deus queria salvá-los dos seus pecados e imoralidades. Nada poderia mudar o decreto divino e, no caso, Deus já havia decidido que Jonas iria para lá, gostasse ou não!

A decisão de Jonas trouxe sérios problemas a ele e a terceiros! Para ele, as portas para a Espanha estavam abertas, o porto, o navio e o mar estavam à sua frente. Porém, Deus permitiu que ele subisse à embarcação, mas não lhe mostrou o que aconteceria na viagem e nem quanto ao seu futuro como mensageiro do SENHOR em Nínive. Tudo estava decidido na Eternidade!

Por outro lado, há situações em que a obediência a Deus o levará a um período de sofrimentos! Entretanto, eles ajudarão a fortalecer a muitos na fé, ou seja, a serem mais perseverantes e dedicados a Deus. Nós podemos ver isso na experiência de Paulo:

& 22 Agora eu vou para Jerusalém, obedecendo ao Espírito Santo, sem saber o que vai me acontecer lá. 23 Sei somente que em todas as cidades o Espírito Santo tem me avisado que prisões e sofrimentos estão me esperando. (At.20:22,23 NTLH)

Concluindo:

  1. Deus é Aquele que abre e fecha as portas, segundo a Sua vontade, mas, muitas vezes, Ele não revela os Seus planos.
  2. Cuidado com as portas abertas, pois elas não significam que passando por elas, você encontrará a aprovação divina.
  3. Não julgue as portas fechadas como uma decisão definitiva de Deus, pois Ele pode tê-las fechado por razões que desconhecemos.
  4. Não julgue os seus sofrimentos como resultados de decisões erradas. Seja fiel e persistente. Tenha paciência e aprenda e esperar no SENHOR sem indiferença ou apatia.
  5. Não julgue a sua vida tranquila como resultado de decisões corretas.

Há muitos que querem viver pela fé em Cristo, mas sabem pouco sobre o que esse tipo de vida significa. Eles não buscam a Deus, uma vida de compromisso com Ele e a única coisa que procuram é tentar usar o SENHOR para terem uma vida de bem-estar.

Na Bíblia você encontrará nas entrelinhas inúmeras situações de “portas abertas e fechadas” e todas elas serviram aos propósitos de Deus. Sem medo, seja a pessoa em quem Deus possa depositar a Sua confiança e prazer e, sem pavor, vivamos todos para a glória de Deus!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail