Tomando decisões corretas em um mundo trapaceiro - Parte 4: Seja o tipo de pessoa que Deus quer

 FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Provérbios 3:5-7

Texto Bíblico:

& 5 Confie no SENHOR de todo o coração e não se apóie na sua própria inteligência. 6 Lembre de Deus em tudo o que fizer, e ele lhe mostrará o caminho certo. 7 "Não fique pensando que você é sábio; tema o SENHOR e não faça nada que seja errado." (Pv.3:5-7 NTLH)

Na semana passada eu comentei que o filho de Deus, antes de tomar suas decisões, deve avaliá-las no SENHOR. Então, eu compartilhei alguns princípios para essa avaliação:

  1. A minha decisão contrariará os princípios morais estabelecidos por Deus? Ela é lícita ou moral? Ela contraria os mandamentos de Deus? Ela me levará a enganar pessoas?
  2. A minha decisão trará benefícios à minha família ou só para mim? Ela edifica a minha família em Cristo, ou só lhe dará confortos (ou bem-estar terreno)?
  3. A minha decisão tomará o lugar de Deus e da minha família em minha vida? Eu corro o risco de me tornar escravo de pessoas e do que pretendo alcançar?
  4. A minha decisão não me acusa, mas edificará ou fortalecerá outras pessoas em Cristo? Serei como uma pedra de tropeço para os mais fracos na fé ao fazer publicamente aquilo que não me condena, por questões de consciência?
  5. A minha decisão honrará a Deus? Ela expressará a Sua realidade, a Sua grandeza, poder, misericórdia, bondade e amor ou ela é apenas uma motivação pessoal para alcançar prestígio e ganhos particulares?

O espírito deste mundo é trapaceiro ou fraudulento e sempre o forçará a tomar decisões independentes dos princípios e das Leis divinas. Usarei a pessoa do rei Davi para mostrar que as nossas escolhas podem destruir a nossa vida com Deus e nossas famílias. Porém, quando confiamos em Deus e nos arrependemos sinceramente das nossas decisões pecaminosas, seremos honrados por Ele e abençoaremos muitas vidas e famílias.

1. Não confunda a sua inteligência com sabedoria. (v.5,7ª)

& 5 (...) não se apóie (não confie, não encontre repouso) na sua própria inteligência. 7 Não fique pensando que você é sábio (prudente para enxergar a vida do modo correto). (NTLH)

O que é a “inteligência”? Ela é aquilo que o distingue do animal. Ela é a sua capacidade natural (ou faculdade) de conhecer e de compreender. Ela é a habilidade que Deus lhe deu para entender e solucionar adversidades ou problemas.

A sabedoria, segundo a Palavra de Deus, é a capacidade que obtemos pela graça Dele de enxergarmos a vida com os Seus olhos e que nos faz andar com prudência.

Além do mais, é a sua inteligência que o faz capaz de adaptar-se a novas circunstâncias, pois, aquele que melhor se adapta às mudanças obterá mais vantagens ou sucesso, sobre o que pensa ser muito forte e inteligente.

No entanto, a nossa inteligência pode tomar sobre si vestimentas de esperteza e, quando ultrapassa os seus limites, com toda a certeza, em tempo oportuno, nos devorará. Nós podemos encontrar um exemplo do que estou falando na vida do rei Davi (o segundo rei de Israel):

Ele se apaixonou por Bate-Seba, a esposa de Urias. Davi a tomou para si em flagrante adultério e a engravidou. Ele pensou que poderia resolver a situação colocando Urias à frente de todos os soldados em uma batalha onde a luta era mais pesada, a fim de que fosse morto (cf. 2 Sm.11) e, pelas leis de Deus, ficaria livre para possuir definitivamente Bate-Seba.

De fato, Urias foi morto e Davi pensava ter resolvido a situação. Entretanto, ele se esqueceu de que não estava lidando apenas com seres humanos, aos quais podia enganar, mas Deus estava vendo tudo e enviou o profeta Natan para declarar o seu grande pecado e falar sobre as consequências do mesmo à sua vida e família (cf. 2 Sm.12)

Davi foi inteligente, mas não foi sábio nas suas decisões. Enganou aos seus comandados, mas a sua falta de sabedoria lhe trouxe vergonha e sérias consequências familiares (cf. 2 Sm.13).

A decisão de Davi ao se envolver com Bate-Seba não respeitou a Lei Moral divina, trouxe malefícios a si e à sua família, o seu prazer pessoal tomou o lugar de Deus na sua vida e da sua família, não fortaleceu espiritual e moralmente outras pessoas em Deus e não honrou o Pai Eterno. Davi não enxergou a vida com sabedoria, ou seja, ele não tomou decisões sábias, as quais o fariam enxergar a vida pela perspectiva divina e os resultados foram terríveis!

Todos nós conhecemos o Salmo 51 que expressa o seu arrependimento sincero pelos atos que cometeu, mas Deus não retirou as consequências danosas tanto a ele como à sua família, ainda que o tenha perdoado. Deus não retirou de sobre ele a responsabilidade acerca dos males que se abateriam à sua casa. A sua esperteza o devorou!

Sempre ouvimos que o mundo é dos espertos. Esta é uma trapaça ou fraude mundana. Todavia, ele é das pessoas dignas, verdadeiras, tementes a Deus e que buscam a Sua sabedoria. Um dia qualquer, a esperteza é descoberta e se transforma em vergonha. Por outro lado, o respeito a Deus que nos conduz a uma vida honesta sempre será um exemplo às gerações futuras. Uma destrói a vida; a outra eleva a alma.

O cristão inteligente, antes de tudo, desconfia de si mesmo nas suas decisões e pondera a vida à luz dos pensamentos e caminhos de Deus. (veja Is.55:8,9)

2. Reconheça a realidade na sua vida e seja ousado em confiar Nele. Seja o tipo de pessoa que Deus quer. (vs.5ª,6,7b)

& 5 Confie (tenha ousadia em confiar, em sentir-se seguro) no SENHOR de todo o coração. 6 Lembre de Deus (admitia-O, reconheça-O, distinga-O) em tudo o que fizer, e ele lhe mostrará (endireitará, corrigirá, aplainará, ajudará a encontrar) o caminho certo. 7 tema o SENHOR (tenha medo Dele, reverencie-O, admire-O, respeite-O) e não faça nada que seja errado (desvie-se ou afaste-se do que é mal, inútil aos olhos de Deus). (NTLH)

Quando refletimos nossas decisões em relação aos pensamentos e caminhos divinos, isso significa que Deus é real em nossas vidas. Jesus disse o seguinte:

& Então Jesus disse a eles (os líderes religiosos fanáticos): — Eu afirmo a vocês que isto é verdade: o Filho não pode fazer nada por sua própria conta, pois ele só faz o que vê o Pai fazer. Tudo o que o Pai faz o Filho faz também. (Jo.5:19 NTLH)

Este verso das Escrituras revela o respeito, o temor e o amor que Jesus tinha por Deus. Ele não agia pela emoção dos Seus interesses, mas pelo que Ele conhecia do Pai. Deus era real na Sua vida. Deus era o Seu verdadeiro companheiro e Jesus agia de modo a não trazer qualquer fratura a esse relacionamento. Sendo assim, nós devemos seguir o exemplo de Jesus.

Eu mencionei a pouco um incidente na vida do rei Davi. Vimos os seus erros e soubemos sobre o perdão que Deus deu a ele. Davi era uma pessoa comum, igual a cada um de nós e, portanto, passível de erro.

Quando ele se voltou para Deus, se arrependeu (se alinhou com o SENHOR) e, apesar das consequências dos seus pecados, Davi passou a agir com respeito a Deus e fez o que era correto. Deus o corrigiu e o ajudou a andar por caminhos honestos. Ele abandonou uma vida de orgulho e egoísmo, para retornar ao plano original de Deus à sua vida.

No livro dos Atos dos Apóstolos, encontramos a seguinte declaração sobra a sua vida:

& Depois que tirou Saul, Deus pôs Davi como rei e disse isto a respeito dele: “Encontrei em Davi, filho de Jessé, o tipo de pessoa que eu quero e que vai fazer tudo o que eu desejo.” (At.13:22 NTLH)

O que me impressiona neste verso é a expressão divina: “o tipo de pessoa que eu quero. Que tipo de pessoa seria esta? Aquela que faz o que Deus quer! Depois de ser desmascarado pelo profeta Natan, Davi passou por cima do seu orgulho e interesses pessoais e se humilhou perante Deus, pois sabia que essa era a atitude que Deus esperava dele naquele momento.

Tudo o que Davi desejava de Deus não era a solução para os problemas causados pelos seus erros, mas a Sua presença e a salvação do espírito trapaceiro deste mundo. Ele não se preocupou com o seu futuro na Terra, mas com a sua condição de momento.

A decisão de Davi não estava em continuar possuindo um reino, mas reconhecendo a sua pobreza espiritual e moral escolheu pelo Reino de Deus (cf. Mt.5:3). Davi reconheceu a sua fragilidade humana e ansiava receber o fortalecimento divino (cf. Mt.5:4). Davi se dispôs a entregar os seus direitos a Deus e depender das Suas promessas (cf. Mt.5:5). Davi, honestamente arrependido, se mostra ardentemente desejoso em fazer a vontade de Deus, a fim de ser nutrido pela vida verdadeira que sacia e cura a alma humana (cf. Mt.5:6).

A decisão de Davi não foi para alcançar algum benefício neste mundo, mas estar em Deus e andar com o SENHOR, independente do que ocorreria com ele depois. Neste momento da sua vida, Davi é um exemplo a ser seguido.

Por causa da sua decisão ele foi um grande rei e o seu descendente (seu filho Salomão) trouxe grande prosperidade e grandeza a Israel. Tanto o povo como o país foram abençoados por Deus. Davi foi tão honrado por Deus, que por dezessete vezes no Novo Testamento Jesus é chamado de “Filho de Davi”! (veja as palavras do profeta Natan a Davi em 2 Sm.7:12-17) Em Cristo, o reino de Davi nunca terá fim!

Todos nós queremos ter uma vida abençoada por Deus. Desejamos que as nossas famílias sejam abençoadas por Ele também, mas para que isso aconteça precisamos ser o tipo de pessoas que Ele quer!

A minha esperança é que as minhas decisões como as suas tenham como base os princípios e as Leis de Deus, a fim de não sermos enredados pelas mentiras deste mundo trapaceiro.

& Portanto, sejam humildes (reconheçam o distanciamento de Deus e a necessidade de uma vida sob os Seus termos) debaixo da poderosa mão de Deus para que ele os honre no tempo certo. (1 Pe.5:6 NTLH)

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail