A mensagem da cruz - Parte 3: Cuidemos uns dos outros

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

João 19:25-27

Texto bíblico base:

& 25 Perto da cruz de Jesus estavam a sua mãe, e a irmã dela, e Maria, a esposa de Clopas, e também Maria Madalena. 26 Quando Jesus viu a sua mãe e perto dela o discípulo que ele amava, disse a ela: — Este é o seu filho. 27 Em seguida disse a ele: — Esta é a sua mãe. E esse discípulo levou a mãe de Jesus para morar dali em diante na casa dele. (Jo.19:25-27 NTLH)

Jesus não veio ao mundo para oferecer aos Seus seguidores bens materiais ou soluções fáceis para os problemas do cotidiano, mas Ele ofereceu ao ser humano a oportunidade de receber o perdão divino, a salvação e a incumbência dos cristãos cuidarem uns dos outros. Volto a dizer que a Páscoa é mais do que oferecer e comer chocolate!

A terceira palavra pronunciada na cruz por Jesus revela a sua preocupação para com a sua família e pela necessidade do cuidado mútuo. Sofrendo dores angustiantes e humilhação ímpar, Jesus não deixou de mostrar afeição ou respeito àquela que foi escolhida por Deus para trazê-Lo ao mundo.

Neste mundo, Deus nos deu duas famílias: a natural e a espiritual, ou seja, a igreja local em que Ele nos coloca para crescermos, tanto no conhecimento como na graça de nosso SENHOR Jesus Cristo. (cf. 2 Pe.3:18)

1. Não traga sofrimentos à sua família por mau comportamento espiritual e moral.

Em relação ao sofrimento, o apóstolo Pedro alerta o cristão no seguinte:

& 19 Se vocês suportarem sofrimentos injustos, sabendo que esta é a vontade de Deus, ele abençoará vocês por causa disso. 20 Pois, se vocês fazem o mal e são castigados, qual é o merecimento de suportarem com paciência o castigo? Mas, se vocês sofrem por terem feito o bem e suportam esse sofrimento com paciência, Deus os abençoará por causa disso, 21 pois foi para isso que ele os chamou. O próprio Cristo sofreu por vocês e deixou o exemplo, para que sigam os seus passos. (1 Pe.2:20,21 NTLH)

O próprio Pedro ainda diz:

& 15 Se algum de vocês tiver de sofrer, que não seja por ser assassino, ladrão, criminoso ou por se meter na vida dos outros. 16 Mas, se alguém sofrer por ser cristão, não fique envergonhado, mas agradeça a Deus o fato de ser chamado por esse nome. (1 Pe.4:15,16 NTLH)

Quem anda com Cristo nunca deixará de sofrer! O mundo O odeia e os homens O rejeitam, na sua maioria. Há outra coisa triste a dizer: a própria Igreja se envergonha dos Seus ensinamentos e tenta dar a eles uma roupagem mais acessível ou facilitada ao homem, gerando uma falta de ordem e posicionamentos sérios.

De acordo com a Lei Mosaica, Jesus foi levado ao Templo de Jerusalém para ser apresentado ao SENHOR, em uma cerimônia religiosa. Então, Simeão, um velho sacerdote, tomou Jesus em seus braços e disse:

& 29 — Agora, Senhor, cumpriste a promessa que fizeste e já podes deixar este teu servo partir em paz. 30 Pois eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, 31 que preparaste na presença de todos os povos: 32 uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel. (Luc.2:29-32 NTLH)

Como Maria se sentiu ao ouvir essas palavras? Claro que se sentiu orgulhosa e alegre! Entretanto, o velho sacerdote Simeão se volta para Maria e declara a ela o seguinte:

& 34 "Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: — Este menino foi escolhido por Deus tanto para a destruição (para a queda, ruína) como para a salvação (restauração, ressurreição) de muita gente em Israel. Ele vai ser um sinal de Deus; muitas pessoas falarão contra ele," 35 e assim os pensamentos secretos delas serão conhecidos (i.e., os seus verdadeiros propósitos com relação à Verdade divina). E a tristeza, como uma espada afiada, cortará o seu coração, Maria. (Lc.2:34,35 NTLH)

Novamente, questiono: “Como Maria se sentiu ao ouvir essas palavras?” Como “Aquele” que traria tantos privilégios, lhe traria tanta tristeza? Ali, ao lado da cruz, Maria experimentou a tristeza como uma espada afiada, a qual atravessou todo o seu ser, lhe trazendo um golpe de agonia e aflição.

Maria foi a primeira a beijar aquele rosto, que agora estava banhado em sangue, por causa de uma coroa de espinhos. Ela foi a primeira a segurá-Lo, de modo que Jesus desse os Seus primeiros passinhos e, agora, tanto Suas as mãos como os pés estavam pregados no madeiro. Nenhuma mãe sofreu como ela! Todos desprezavam Jesus e se envergonhavam Dele, enquanto Maria, ao Seu lado, sofria intensamente.

Ela não demonstrou histerismo, nenhum clamor violento, palavras impróprias, mas sofreu dentro de um vigoroso silêncio! Maria, que O amamentou, agora não podia tocar Nele nem lhe dar água, quando O ouviu dizer que tinha sede. Ela ouvia a zombaria e os insultos. Maria viu a indiferença da sua nação pelo Filho de Deus, mas não desmaiou. Ela não desabou, mas ficou firme de pé e a sua atitude corajosa foi singular!

Maria não estava sofrendo por um filho rebelde, drogado, alcoolizado ou criminoso, mas por “Aquele” que nunca pecou, que viveu para fazer a vontade de Deus, que ensinou a verdade divina, que mostrou a verdadeira natureza do Pai e que deu o exemplo de respeito e honra aos Seus pais terrenos.

Maria foi um exemplo de uma “mulher de dores” e, por ter suportado todo o sofrimento com paciência, foi abençoada por Deus. O mesmo se deu a Jesus, pois, tendo suportado injustamente todo o sofrimento que Lhe foi imposto, Deus O ressuscitou ao terceiro dia, após a Sua morte.

As bênçãos de Deus não se medem pela quantidade de bens que você angaria ou conquista neste mundo, mas é a dignidade, o respeito, a amizade, a intimidade com o ETERNO, o desfrute dos recursos da Sua graça e poder no dia a dia, como a Vida Eterna, a qual é a honra mais elevada àqueles que viveram para a sua glória e desejam viver diante do esplendor divino eternamente.

2. Filhos, sempre honrem aos seus pais.

A Sabedoria divina nos diz:

& Se você amaldiçoar (tratar sem afeição, respeito, com insignificância) os seus pais, a sua vida terminará como uma lâmpada que se apaga na escuridão (a presença de Deus se extingue na vida de quem O ignora). (Pv.20:20 NTLH)

Jesus, o exemplo para os filhos honrarem aos seus pais, ao tratar com apreço, respeito ou consideração a Sua progenitora Maria. Ele, apesar de nunca tê-la chamado de mãe, a tratou com respeito e não a desamparou.

Por que Deus pede que os filhos honrem aos seus pais? (cf. Êx.20:12; Pv.1:8; Ef.6:1-3) Porque Adão não honrou a Deus (o Pai) no Éden! Ele foi desobediente, omisso e infiel às ordens do Pai, pois, em vez de seguir as orientações divinas, se deixou levar pelas imaginações de Eva (as de ser igual a Deus). Deus nunca pediu que fôssemos iguais a Ele, mas que agíssemos à Sua semelhança.

Na cruz, Jesus apresentou a todos os filhos um exemplo a ser seguido, ensinando-os sobre como devem se portar de acordo com os princípios da graça divina. Mesmo em meio a tanta dor e sofrimento, Ele não desamparou Maria. Jesus demonstrou cuidado por ela ao pedir que João, o discípulo amado, cuidasse dela.

É notório como muitos filhos desprezam seus pais quando estes se tornam velhos!

& "Escute (obedeça) o seu pai, pois você lhe deve a vida; e não despreze (não considere insignificante) a sua mãe quando ela envelhecer." (Pv.23:22 NTLH)

Honre aos seus pais, ainda que estejam velhos. Não seja negligente aos que o criou, mas dê alegria a eles, a qual encherá os seus corações de felicidade antes do término de seus dias.

3. Cuide da sua família, tanto da natural como da espiritual.

Nós sabemos que todos os discípulos abandonaram Jesus. Eles foram fracos na hora da oração no jardim do Getsêmani, pois, em vez de orarem, dormiram! Suas mentes ficaram paralisadas e desconsertadas na hora da prisão do Mestre. Por um tempo, todos eles fugiram! Nós não podemos sorrir deles porque também somos fracos em momentos de desespero e desconsertos mentais.

Jesus já havia predito que todos eles iriam abandoná-Lo:

& E Jesus disse aos discípulos: — Esta noite todos vocês vão fugir e me abandonar (se envergonhar, se escandalizar), pois as Escrituras Sagradas dizem: “Matarei o pastor, e as ovelhas serão espalhadas (ficar a uma distância considerável e segura).” (Mt.26:31 NTLH)

Em um determinado momento, todos pensaram não se acharem seguros ao lado de Jesus e, sem saberem, ao fugirem, estavam cumprindo as Escrituras. Por um momento, eles deixaram de lado a graça protetora e sustentadora de Deus, pois eles nunca haviam abandonado a Jesus e não fariam mais isso pelo resto de suas vidas.

Jesus ficou sozinho e mostrou fortalecimento e confiança em Deus. Todavia, um dos discípulos chamado João, venceu o seu medo e foi ficar ao lado do SENHOR. Naquele lugar, João recebe uma comissão: “Cuide de Maria. Seja ela para você como se fosse a sua mãe.” Ninguém compreendia a Jesus como Maria e ninguém entendeu as lições do amor de Deus como João. Portanto, Jesus foi prudente ao entregar Maria aos cuidados de João, pois um seria apropriado ao outro.

Paulo diz:

& Ajudem uns aos outros (auxiliem uns aos outros com as suas cargas de aflições e preocupações) e assim vocês estarão obedecendo à lei de Cristo. (Gl.6:2 NTLH)

Talvez, você não esteja mais desfrutando da doce comunhão de Cristo em sua vida. Talvez, O tenha negado em algum momento de pressão, porque pensou mais nos seus interesses pessoais do que no seu compromisso com a eternidade. Entretanto, a porta eterna não está fechada para você ainda, desde que aceite o compromisso de se tornar um instrumento de Deus, para cuidar daqueles que o Pai coloca em seu caminho, com os recursos da graça divina.

Jesus não deixou que nenhuma obrigação ou obra, por mais importante que fosse, servisse de desculpa aos Seus deveres familiares.

Jesus foi responsável para com a sua família natural e espiritual. Ele não as desprezou. Muitos se envolvem em compromissos diversos (religiosos ou não) e desprezam suas famílias. Jesus está realizando um ato eterno, mas não desprezou os seus laços naturais e espirituais.

Ele não abandonou os Seus discípulos (a Sua família espiritual), pois apareceu a todos eles após a Sua ressurreição. Ele não deixou de fazer provisão àquela que O amou e que foi o instrumento divino para que viesse ao mundo como o Deus encarnado.

Meu irmão e irmã: a Igreja não é um clube ou uma associação, mas a “FAMÍLIA DE DEUS”. Ele é o Pai de todos os cristãos sinceros e verdadeiros. Há quem ingresse na Igreja pensando que se trata de mais um ambiente para frequentar. Entretanto, a Igreja é o “CORPO VIVO DE CRISTO” sobre a Terra.

Sem a Igreja, Jesus será lembrado como um ser histórico, revolucionário, ativista, curandeiro, um profeta, um homem com sábias palavras, um líder religioso, o fundador do Cristianismo, mas nunca como o Filho de Deus, o SENHOR e Salvador dos que andam em fidelidade e confiança no Pai Eterno.

A Igreja não é uma reunião ou um prédio, mas ela é formada por pessoas escolhidas por Deus, para fazerem a Sua vontade onde estiverem, seja na cruz (sofrimentos) ou fora dela (momentos agradáveis ou aprazíveis)!

A Igreja se reúne, desde os tempos dos apóstolos, para aprender sobre os pensamentos e a vontade divina, por meio do poder do Espírito Santo e da Palavra de Deus (Bíblia). Ao reunir-se, ela aprende sobre a importância de viver sob o governo divino (Reino de Deus) e a confiar nas Suas provisões.

A reunião semanal da Igreja é um testemunho ao mundo de que Jesus está vivo e merece todo o louvor e afeição. Quando os seus membros voltam aos seus afazeres normais, eles provam, por meio da obediência e fidelidade ao compromisso feito com Jesus, que Ele está vivo.

Há muitos cristãos que estão perdendo a força, o vigor e a resistência e, por essa razão, todos nós precisamos cuidar uns dos outros, a fim de que nenhum se perca!

As palavras de Jesus a Pedro sirvam a cada um de nós cristãos:

& Mas eu tenho orado por você, Simão, para que não lhe falte fé. E, quando você voltar (retornar em obediência) para mim, anime (fortaleça, edifique, consolide) os seus irmãos. (Lc.22:32 NTLH)

Cuidar uns dos outros é uma prova inquestionável de que estamos em Cristo e que, verdadeiramente, somos discípulos Dele, pois a “Mensagem da Cruz” afirma que ninguém deve viver somente para si! (veja Mt.22:37-39; Lc.10:27; Gl.5:14; Tg.2:8)

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail