A mensagem da cruz - Parte 2: Jesus oferece a salvação

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Lucas 23:39-42

Texto bíblico base:

&   39 Um dos criminosos que estavam crucificados ali insultava Jesus, dizendo: —Você não é o Messias? Então salve a você mesmo e a nós também! 40 Porém o outro o repreendeu, dizendo: — Você não teme a Deus? Você está debaixo da mesma condenação que ele recebeu. 41 "A nossa condenação é justa, e por isso estamos recebendo o castigo que nós merecemos por causa das coisas que fizemos; mas ele não fez nada de mau." 42 Então disse: — Jesus, lembre de mim quando o senhor vier como Rei! 43 Jesus respondeu: — Eu afirmo a você que isto é verdade: hoje você estará comigo no paraíso. (Lc.23:39-43 NTLH)

Jesus não veio ao mundo para oferecer aos Seus seguidores bens materiais ou soluções fáceis para os problemas do cotidiano, mas Ele ofereceu ao ser humano a oportunidade de receber o perdão divino e a salvação. Então, a Páscoa é mais do que oferecer e comer chocolate!

As palavras de Jesus na cruz do Calvário são o resumo da Sua obra enquanto viveu entre os homens como Deus encarnado. Primeiro, Ele ofereceu o perdão, e agora, a salvação. A segunda declaração de Jesus na cruz foi feita em resposta ao pedido de um ladrão à beira da morte.

Como vimos na semana passada, a morte de Jesus não foi ordinária, mas a crucificação foi realizada para humilhá-Lo, fazê-Lo sofrer e envergonhá-Lo ao máximo. Além do mais, Jesus foi colocado numa cruz entre dois ladrões, ou seja, entre dois criminosos.

Entretanto, a crucificação de Jesus não foi um resultado do acaso, mas um evento ordenado ou decretado pelo próprio Deus, desde a eternidade. Lucas, o autor do livro de Atos dos Apóstolos, diz que os cristãos, em meio à grande perseguição que sofriam em Jerusalém, oraram desse modo:

& 26 Os seus reis se prepararam, e os seus governantes se ajuntaram contra o Senhor Deus e contra o Messias, que ele escolheu. 27 — De fato, Herodes e Pôncio Pilatos se juntaram aqui nesta cidade, com os não-judeus e com o povo de Israel, contra Jesus, o teu dedicado Servo que escolheste para ser o Messias. 28 Eles se reuniram para fazer tudo o que, pelo teu poder e pela tua vontade, já havias resolvido que ia acontecer. (At.4:26-28 NTLH)

Quando Pilatos e os líderes religiosos ordenaram a crucificação de Jesus, sem que soubessem, eles estavam pondo em execução o decreto eterno de Deus e cumprindo a palavra do profeta Isaías, embora, totalmente desconhecida a Pilatos e ignorada pelos líderes religiosos. Isaías profetizou 700 anos antes da crucificação de Jesus, que Ele seria tratado como um criminoso. (cf. Is.53:12)

Talvez, você me pergunte: “Por que Deus permitiu que Jesus fosse crucificado entre dois criminosos?” Lembre-se de que tudo o que Deus faz é para revelar a condição humana. De fato, o ser humano não recebe Jesus como SENHOR e Dirigente da sua vida, e essa é a razão de mantê-Lo à distância e rebaixá-Lo a um nível de desonra. Quando ele não age desse modo, procura, então, condicionar a Pessoa de Jesus aos seus encantos ou desejos pessoais.

Jesus foi crucificado entre dois criminosos porque Deus quis mostrar a posição que Ele ocupou como nosso Substituto, pois cada um de nós é que deveríamos estar no Seu lugar. Ele tomou o lugar que era nosso, ou seja, da nossa vergonha por sermos transgressores, mentirosos, infiéis, rebeldes e pecadores incontestáveis, condenados ao juízo eterno.

Diante disso, como as palavras de Paulo, o apóstolo, devem soar de modo agradável a todos nós!

& Agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo! (1 Co.15:57 NTLH)

No Calvário havia três cruzes: a central era a do Redentor, do Salvador e SENHOR. As outras duas representavam a do pecador que se arrepende e a do que insulta Jesus e O rejeita. Os dois estavam próximos de Jesus, ambos eram perversos, estavam perto da hora da morte e eles precisavam do perdão divino. Todavia, um permaneceu endurecido e o outro se arrependeu de toda a sua maldade, declarando publicamente a sua condição.

Eu não sei como você pensa, mas Deus não levará para o “Céu” aquele que não se arrepende de seus pecados e não confessa Jesus em público. Jesus disse:

& Portanto, se nesta época de incredulidade e maldade alguém tiver vergonha (cobrir-se de timidez ou desfigurar-se) de mim e dos meus ensinamentos, então o Filho do Homem, quando vier na glória do seu Pai com os santos anjos, também terá vergonha dessa pessoa. (Mc.8:38 NTLH)

O ladrão que reconheceu a sua condição de afastado de Deus não viu nenhum dos sinais que se sucederam após a morte de Jesus, mas ele se converteu ao SENHOR porque aceitou a visitação divina em seu ser e não a rejeitou. Ele ouviu em seu íntimo a voz do Criador e confessou publicamente a sua necessidade da Vida Eterna!

Constantemente, Deus está gritando com a sua alma: “Eu lhe ofereço o “Céu” através de Jesus, portanto, por que você O despreza? Qual é a sua explicação para não pertencer a Mim?

1. A mensagem da cruz sempre o levará a questionar sobre a quem você pertence e serve.

Não se iluda ao pensar que o ladrão que se converteu era melhor que o outro, pois isso não corresponde à verdade. No Evangelho de Mateus, lemos o seguinte:

& 39 Os que passavam por ali caçoavam dele, balançavam a cabeça e o insultavam, 40 dizendo assim: — Ei, você que disse que era capaz de destruir o Templo e tornar a construí-lo em três dias! Se você é mesmo o Filho de Deus, desça da cruz e salve-se a si mesmo! 41 Os chefes dos sacerdotes, os mestres da Lei e os líderes judeus também caçoavam dele, dizendo: 42 — Ele salvou os outros, mas não pode salvar a si mesmo! Ele é o Rei de Israel, não é? Se descer agora mesmo da cruz, nós creremos nele! 43 Ele confiou em Deus e disse que era Filho de Deus. Vamos ver se Deus quer salvá-lo agora! 44 E até os ladrões que foram crucificados com Jesus também o insultavam. (Mt.27:39-43 NTLH)

Era uma demonstração humana de inimizade da mente carnal contra Deus, pois é isso o que a humanidade faz a Jesus. Essa mesma depravação está dentro de cada um de nós, a menos que o Espírito Santo realize o milagre da graça em nosso espírito. Quem pode entender o coração humano? Ele é doentio e não tem cura! (cf. Jr.17:9) Essa doença é o pecado e, portanto, todas as pessoas pecaram e estão afastadas de Deus, até que elas se rendam verdadeiramente à graça divina, por meio de Jesus. (cf. Rm.3:23,24)

Então, todos ali caçoavam, insultavam a Jesus: o povo, os religiosos e os criminosos. Deus estava mostrando através do sacrifício de Jesus, a condição deplorável da raça humana em relação ao Seu Criador. Todos manifestaram a sua maldade e o seu desprezo pelos propósitos divinos. Todos eram maus e ladrões de Deus!

Li, certa vez, em um livro, a história de um homem que se tornou representante de uma empresa noutro lado do seu país. A empresa investiu na sua vida e lhe deu todas as condições necessárias, para que se tornasse um ótimo profissional e representante dela. Ele foi comissionado para trabalhar no lado leste do país e todo mês a empresa lhe enviava o seu alto salário. Entretanto, sem comunicar aos seus patrões, ele passou a trabalhar, ao mesmo tempo, para uma concorrente. Não seria ele um mentiroso, ganancioso e ladrão? Ele tinha em mente receber dois altos salários, até que a sua condição foi descoberta e foi processado.

Não é assim que muitos cristãos estão vivendo? Deus os comissionou para serem representantes do Reino dos Céus ao mundo. Receberam todos os recursos, ajudas e grandes promessas. No entanto, eles, por prazeres e interesses pessoais, passaram a trabalhar para o mundo, o concorrente da Verdade. Os seus corações não são como os ladrões ao lado de Jesus?

2. A mensagem da cruz o leva a questionar sobre a sua impotência pessoal e a dependência total de Deus.

Vermos a nós mesmos como pessoas depravadas, pecaminosas e afastadas de Deus por tudo o que praticamos é a primeira lição importante. Entretanto, precisamos aprender que estamos totalmente arruinados, tanto na área espiritual como moral, e que não podemos fazer nada para ajudar a nós mesmos. Então, olhando para nossa ridícula condição espiritual e moral, como poderemos estar na presença de um Deus tão Grande e Santo, sendo tão miseráveis? É por essa razão que dependemos inteiramente do favor divino ou da Sua compaixão através de Cristo. (cf. Tito 3:5)

A “Parábola do Filho Pródigo” ilustra muito bem o pensamento anterior. (cf. Lc.15:11-32) Em terras longínquas e depois que perdeu tudo o que possuía, reconheceu o seu erro! Agora, ele intentava voltar para casa, esperando a compaixão de seu pai e de sua família, a fim de recebê-lo de volta. Ele reconheceu a sua impotência para consertar os seus erros e, agora, dependia do perdão do seu pai e de sua família para ser aceito.

Voltando ao ladrão, ele não poderia retornar ao passado e reorganizar os seus passos, pois ele estava pregado numa cruz! Por essa mesma razão, ele não podia devolver tudo o que havia roubado das pessoas! Não podia executar nenhuma boa ação, pois havia pregos enfiados nos seus punhos! Ele não podia começar uma nova vida e viver melhor, porque estava morrendo!

Ele reconheceu a sua condição de impotência espiritual e moral. Além do mais, ele teve uma percepção da sua condição pecaminosa, perdida e de desamparo. Ele sorriu enquanto roubava, porém, desfrutou muito pouco do que o crime e a má conduta lhe ofereceram! Ele teve uma convicção verdadeira dos seus pecados e de uma vida afastada de Deus! O Espírito Santo fez com que ele enxergasse a sua impotência, e a sua única possibilidade era ser aceito pela compaixão de Deus!

3. A mensagem da cruz sempre enfatiza a realidade da sua condição espiritual e moral, assim como a necessidade do arrependimento sincero.

Segundo a Bíblia, o verdadeiro arrependimento o leva uma mudança de mente, devido ao nojo ou ao desgosto pelo modo de vida que desagrada ao Criador e, então, você a abandona por amor a Ele. É aí que se dá a verdadeira conversão!

Você enxerga a sua realidade, a sua condição espiritual e moral miserável, descobre a sua ruína e julga a si mesmo. Vamos reler as suas palavras (vs.39,40):

& 39 Um dos criminosos que estavam crucificados ali insultava Jesus, dizendo: — Você não é o Messias? Então salve a você mesmo e a nós também! 40 Porém o outro o repreendeu, dizendo: — Você não teme a Deus? Você está debaixo da mesma condenação que ele recebeu. (NTLH)

Não havia muito e ele era um dos zombadores de Jesus! Em outras palavras: “Você não tem medo de ser julgado por Deus? Então, julgue a si mesmo, porque nós estamos recebendo a punição que merecíamos!” Ele reconhece a sua culpa e a sua condenação. Ele fez essa declaração abertamente! Ele creu em Jesus como o Seu Messias e Salvador, afinal, na cruz de Cristo, havia uma inscrição: “Jesus, o Rei dos Judeus”.

A sua fé abriu os seus olhos para a mensagem da cruz, e ele disse (v.42):

&  42 Jesus, lembre de mim quando o senhor vier como Rei (i.e., quando vieres no Teu Reino reinar)! (NTLH)

O ladrão pensou no futuro Reino do SENHOR, mas Jesus lhe afirmou que, naquele dia, entraria com Ele no paraíso, isto é, no lugar da habitação eterna de Deus.

A sua fé lhe deu descanso diante da morte inevitável. Ao fazer tal pedido a Jesus, ele demonstrou confiança na Sua Pessoa e foi humilde. Ele não pediu alguma honra ou prêmio por sua fé, mas que se fosse a Sua vontade, que “se lembrasse dele” ao voltar à Terra para reinar.

Além do mais, a sua fé foi corajosa! A maioria estava ali para zombar de Jesus e virar a cara para Ele. Entretanto, o ladrão pronunciou algo que fez os zombadores e, principalmente, os religiosos tremerem!

& 41 "A nossa condenação é justa, e por isso estamos recebendo o castigo que nós merecemos por causa das coisas que fizemos; mas ele não fez nada de mau (nada que era contrário a Deus)." (NTLH)

O arrependimento sincero é aberto, ou seja, as pessoas notam que nos arrependemos diante de Deus e que nos rendemos a Ele, devido ao nosso posicionamento e ações. O arrependimento bíblico só pode ser feito com a convicção que o Espírito Santo dá e, a seguir, Ele nos conduz a uma visão realista da nossa condição espiritual e moral com a Sua ajuda; então, nós alinhamos os nossos comportamentos com Deus, por meio de Jesus Cristo.

4. A mensagem da cruz enfatiza o seu crescimento espiritual e intelectual na fé em Jesus.

  • Ele creu na vida futura ou eterna;
  • Ele reconheceu a sua maldade e pecaminosidade;
  • Ele viu a impecabilidade de Jesus;
  • Ele reconheceu a divindade de Jesus ao chamá-Lo de “SENHOR”;
  • Ele creu que Jesus era o Salvador dos que creem Nele;
  • Ele demonstrou fé no reinado de Jesus;
  • Ele creu na segunda vinda de Jesus.

Há muitos que estão na Igreja por anos e não creem como aquele ladrão! A razão é que eles não permitem o trabalho e a influência tanto do Espírito como da Palavra de Deus, sobre a Verdade divina acerca do SENHOR Jesus Cristo, pela razão de viverem somente em busca dos seus objetivos pessoais ou interesses próprios.

5. A mensagem da cruz lhe oferece a salvação e exige que você ande nela até a eternidade.

Enquanto o ladrão pensou como um vigarista, insultou a Jesus como todos fizeram. Todavia, quando ele ouviu a voz do Pai no seu íntimo, buscou a aproximação de Jesus. Ele não pediu mais que fosse retirado da cruz, mas pela sua salvação eterna. O Espírito de Deus fez com que ele olhasse para a eternidade, para uma vida eterna com Cristo.

Jesus disse:

& "Todos aqueles que o Pai me dá virão a mim; e de modo nenhum jogarei fora aqueles que vierem a mim." (Jo.6:37 NTLH)

É o próprio Deus quem conduz uma pessoa a Cristo e a implicação disso é que ninguém pode ir a Cristo sem o chamado e a intervenção do Pai, para ser ressuscitado no último dia. (cf. Jo.6:44)

A salvação em Cristo ocorre de dois modos:

  • Temporal: Você está livre para dizer “NÃO” às pressões demoníacas, carnais e mundanas, a fim de dizer “SIM” ao chamado e ao compromisso com Deus sobre a Terra, mas não estará livre da presença do mal. A sua luta neste mundo é contra essas forças, a fim de fazer a vontade de Deus. O ladrão sofreu pressões, tanto diabólica como celestial, e ele precisaria optar por uma delas. Ele optou por Jesus e ficou firme na sua confissão.
  • Eterna: Na eternidade, você estará livre das pressões, tanto diabólicas como mundanas, pois estará livre da presença do mal. O ladrão, uma vez que venceu as pressões diabólicas e mundanas, desejou ardentemente a eternidade.

6. A mensagem da cruz exige que você olhe para o presente e a Eternidade com Cristo.

Vamos ler novamente os versos 42 e 43 de Lucas 23:

& 42 Então (o ladrão) disse: — Jesus, lembre de mim quando o senhor vier como Rei! 43 Jesus respondeu: — Eu afirmo a você que isto é verdade: hoje você estará comigo no paraíso. (NTLH)

O ladrão pede para ser lembrado, mas Jesus, o Salvador, declarou que estaria com Ele. A ênfase está no termo “HOJE”. Muitos não sabem para onde vão após a sua morte. Há os que pensam em um estágio de sono temporário ou inconsciência da alma; outros, imaginam que vão a uma “escolinha astral”, a fim de melhorarem o desempenho na sua volta à Terra; e há ainda os que creem que a morte seja final de tudo, isto é, terminou, acabou!

O apóstolo Paulo falava do seu anseio em deixar esta vida para estar com Cristo na eternidade. (cf. Fp.1:23) Infelizmente, Satanás tem distorcido essa bendita esperança na mente de muitos, e até de cristãos. O apóstolo Paulo diz:

& 7 Porque vivemos pela fé (fidelidade e obediência) e não pelo que vemos. 8 Estamos muito animados e gostaríamos de deixar de viver neste corpo para irmos viver com o Senhor (virmos a estar no lar com o SENHOR Jesus). (2 Co.5:7,8 NTLH)

A ênfase da vida eterna não está no final de todos os tormentos terrenos, mas de estar em comunhão com Jesus na eternidade, em todo o esplendor da Sua glória!

Em outras palavras: “Estando comigo no paraíso no dia de hoje é a sua garantia de estar comigo no meu Reino futuro!”.

Muitos irmãos, nas suas orações, se esquecem do presente e pensam apenas no futuro. Dizem eles: “Faça isso por mim! Dê-me isso ou aquilo, pois, desse modo, eu serei vencedor ou um cristão melhor!” Não é errado pedir com relação ao futuro, mas é errado se esquecer das responsabilidades do presente, pois, sem elas, não haverá nenhum futuro promissor!

Jesus, quando ensinou os discípulos a orar, disse que deveríamos pedir o necessário para o dia de “HOJE”. (cf. Mt.6:11) O que você necessita “HOJE” é a base para o seu sustento e construção para o amanhã ou o futuro.

Deus tem o poder para realizar qualquer coisa, desde que seja para o nosso bem, pois Ele nos ama além do que podemos imaginar! Caso estejamos dispostos a obedecer com fidelidade as Suas orientações no presente, digo, com toda a certeza, que desfrutaremos do Seu melhor para nós no futuro. Que nós aprendamos a confiar plenamente na Sua graça e poder!

Jesus ofereceu o perdão, e agora, a salvação, sem a qual não ficamos livres do poder do mal e de suas ações em nossas mentes. Portanto, considere a realidade do seu presente, ande na presença de Deus, seja fiel e frutífero no Reino de Deus e as demais coisas serão acrescentadas à sua vida, inclusive, a Eternidade, que é a maior de todas as Suas promessas!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail