A mensagem da cruz - Parte 1: Jesus oferece o perdão divino aos que O seguem

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Lucas 23:33,34

Texto bíblico base:

& 33 Quando chegaram ao lugar chamado “A Caveira” (Crânio, Gólgota, Calvário), ali crucificaram Jesus e junto com ele os dois criminosos, um à sua direita e o outro à sua esquerda. 34 Então Jesus disse: — Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem (não têm examinado, prestado atenção, não têm estimado ‘Aquele’ que deveriam estimar ou receber como ‘Amigo’) o que estão fazendo (realizando ou causando com celebração). Em seguida, tirando a sorte com dados, os soldados repartiram entre si as roupas de Jesus. (Lc.23:33,34 NTLH)

Jesus veio ao mundo que Ele mesmo criou, mas o mundo O rejeitou. (cf. Jo.1:10) Jesus, a glória de Deus, viveu entre os Seus, mas não foi desejado por eles. Segundo a Palavra de Deus, as pessoas não viram em Jesus nenhuma beleza para que pudesse ser desejado. (cf. Is.53:2) Os líderes religiosos e políticos armaram planos para matá-Lo. Jesus deu às pessoas o amor de Deus, porém, Ele foi odiado pela maioria dos homens. Embora não tendo encontrado nenhum crime Nele, os Seus inimigos gritaram com entusiasmo: "Crucifica-o"!

A humanidade não deu a Jesus uma morte ordinária, mas implacável! A Ele foi dada uma morte cheia de sofrimentos, humilhações e vergonha! Entretanto, dos Seus lábios, não saíram palavras pedindo piedade, ou um clamor intenso para que não fizessem aquilo, mas as Suas primeiras palavras foram: “Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.

Jesus nos deu o exemplo perfeito de como nós devemos tratar aqueles que nos prejudicam e nos odeiam. Com certeza, Ele nos dará todos os recursos espirituais quando necessário, para agirmos à Sua semelhança.

Ao orar dessa maneira, Jesus está mostrando (e ensinando) que nenhuma atitude estaria além ou aquém da Sua oração, ou seja, Ele não alimentaria a Sua alma com ódio, após ter pedido que Deus perdoasse seus inimigos. Pense:

O seu cônjuge está lhe tratando mal. Então, você ora a Deus para que ele (a) receba toda a ajuda do Céu e enxergue o mal que está praticando. Na sua oração, você estabelece os limites das suas ações, isto é, você cooperará com o Espírito Santo e a Palavra de Deus, dando o melhor de Deus àquele (a) que o aflige. Então, você se transforma no instrumento divino, o meio pelo qual Deus dará toda a ajuda necessária àquele (a) que o (a) faz sofrer. No entanto, se você pede para Deus para abençoar o teu inimigo, mas ao mesmo tempo, o trata com raiva, os limites da sua oração foram ultrapassados e, conscientemente, você não se tornará em um instrumento divino que abençoe aquele que é o alvo da ação de Deus na sua oração.

Você pede uma renovação espiritual e fica esperando por um retiro ou que um milagre aconteça dos “Céus”, anda com quem não lhe dá crescimento espiritual saudável, mente e deixa de observar princípios bíblicos para uma boa conduta. Você nunca atingirá o seu objetivo, pois suas atitudes ultrapassam os limites do seu pedido a Deus.

Você pede que Deus lhe dê sabedoria, porém, como alcançará o seu objetivo se não lê, não medita e não dá toda a atenção quando ouve a Palavra de Deus? Suas atitudes estão “aquém” dos limites da sua oração.

Você está em uma situação desesperadora e não sabe o que fazer. Então, na sua oração, pede que Deus o oriente, pois você crê que Ele está no controle de tudo. Não ultrapasse os limites, buscando alguma resposta por impulsos emocionais ou de pessoas inexperientes. Enquanto Deus não lhe fala ou não o conduz a alguém experiente na Sua Palavra, busque o Seu Reino, fazendo o que O agrada por meio de atitudes que O engrandeçam. Você disse na oração que Ele está no controle de todas as coisas e, então, creia que o SENHOR lhe dará o necessário em tempo oportuno. Desse modo, você não estará nem aquém nem além dos limites da sua oração.

Além do mais, na sua primeira expressão na cruz, Jesus deixa claro que o pecado age de três modos. O ser humano peca por:

  • Comissão: "eu faço o que não deveria ser feito".
  • Omissão: "eu deixo de fazer o que deveria ser feito".
  • Ignorância: "Eu fiz tal coisa por não saber que era errado!". (cf. Sl.19:12)

Pecado é pecado como errar é errar! Você não existe para errar, mas erra ou toma decisões incorretas. Quando você aprende que aquilo que fez não foi correto, deixará de fazê-lo, pois sabe que as decisões erradas trazem prejuízos, tanto para si como a outras pessoas.

Sobre os pecados cometidos por ignorância, o rei Davi, em oração, disse:

& Quem pode ver os seus próprios erros? Purifica-me (absolve-me, perdoa-me), Senhor, das faltas que cometo sem perceber. (Sl.19:12 NTLH)

1. As palavras de Jesus cumprem as profecias acerca Dele e da Sua crucificação.

& 34Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.” (NTLH)

O profeta Isaías, pela onisciência divina, ditou estas palavras ao povo:

& "Por isso, eu (Deus) lhe darei um lugar de honra; ele (Jesus) receberá a sua recompensa junto com os grandes e os poderosos. Pois ele deu a sua própria vida e foi tratado como se fosse um criminoso. Ele levou a culpa dos pecados de muitos e orou pedindo que eles fossem perdoados.” (Is.53:12 NTLH)

Os líderes religiosos que estudavam a Bíblia (Torah) dia e noite conheciam essa passagem a respeito do Messias e, portanto, estavam “pecando por comissão”! Repare que Jesus foi tratado como se fosse um criminoso das leis religiosas e nacionais, porém, Ele tomou sobre Si a culpa dos pecados de muitos.

2. Jesus invoca o perdão dos outros ao Pai.

& 34Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.” (NTLH)

Jesus sempre perdoou os pecados das pessoas que vieram humildemente até Ele, porém, na cruz, Ele pede que o Pai os perdoe. Jesus disse a um paralítico que os seus pecados estavam perdoados. (cf. Mt.9:2) O mesmo Ele fez para com a mulher que lavou os Seus pés com lágrimas. (cf. Lc.7:48) Por que Jesus, em vez de Ele mesmo perdoar os pecados daquelas pessoas, pede ao Pai que fizesse isso?

Antes de eu explicar, permita-me expor uma passagem do Evangelho de Marcos (2:1-12), quando Jesus perdoou os pecados de um paralítico. O que os líderes religiosos disseram sobre o fato de Ele perdoar pecados?

& 6 Alguns mestres da Lei que estavam sentados ali começaram a pensar: 7 "O que é isso que esse homem está dizendo? Isso é blasfêmia contra Deus! Ninguém pode perdoar pecados; só Deus tem esse poder!” (Mc.2:5,6)

Se Jesus, enquanto sobre a Terra, tinha o poder de perdoar pecados, isso significa que Ele é Deus! No entanto, na cruz, Ele não poderia e não quis agir como Deus, mas como um servo humilde, obediente à missão que Lhe foi confiada. Na cruz, Jesus era “o Último Sacrifício, o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo” (cf. Jo.1:36), pois Ele veio para cumprir todas as exigências da Lei Mosaica (de Moisés).

O livro das Leis de Moisés (Levítico) dizia o seguinte:

& 14 O SENHOR Deus deu a Moisés as seguintes ordens: 15 Se alguém, sem querer, cometer o pecado de não entregar as ofertas sagradas que pertencem a Deus, o SENHOR, então, para pagar a dívida, a pessoa precisará trazer um carneiro sem defeito para oferecer ao SENHOR. O preço do animal será calculado de acordo com a tabela de preços usada no santuário. O animal é um sacrifício para tirar a culpa da pessoa. 16 "Além disso, a pessoa precisará entregar ao sacerdote a oferta sagrada que deixou de pagar, mais um quinto. O sacerdote pegará o carneiro que é dado para tirar a culpa e o oferecerá como sacrifício para conseguir o perdão do pecado que a pessoa cometeu; assim, ela será perdoada." (Lv.5:14-16 NTLH)

O pecado contra Deus, seja ele como for (mencionados na lista de três), é um erro e precisa ser reconhecido e perdoado pelo SENHOR. Saiba que a ignorância não é inocência e, nos dias atuais, a ignorância é mais culpada do que nos dias de Moisés. Nós temos a Bíblia em nossas mãos e, portanto, não devemos ser condenados por causa da nossa preguiça!

A ignorância não minimiza as consequências tanto ao próximo como a nós mesmos. Pecados por ignorância precisam do perdão divino, como nos mostraram as Sagradas Escrituras. (cf. Sl.19:12)

3. As palavras de Jesus na cruz procuravam fazer com que os cegos enxergassem.

& 34Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.” (NTLH)

Por que não sabiam o que estavam fazendo ou causando? As pessoas não eram, de fato, tão ignorantes assim e, principalmente, quando gritaram: “Crucifica-O e soltem Barrabás!” Em outras palavras: “Matem Aquele que não cometeu um só crime e que só faz o bem a todos e soltem o que verdadeiramente é um criminoso, mas que pretende lutar por nós contra Roma!” Muitos julgaram a Jesus por vantagens pessoais.

É triste pensar que esse mesmo clamor ainda está sendo bradado por tantas pessoas em nossos dias! “Emudeçam a Jesus, pois Ele só estraga os nossos prazeres, deleites, paixões, interesses que temos! Não queremos que Jesus reine sobre nós!” Muitos, mas muitos, estão cegos em suas loucuras! Não entendem e não querem compreender o que estão causando, tanto a si mesmos como à sociedade em geral, ao desprezarem Jesus!

Na cruz, Jesus estava expressando o que sempre ensinou: a lição acerca de amar os inimigos e fazer o bem aos que empregam uma forte perseguição sobre os que fazem a vontade de Deus.

4. Jesus, em Suas palavras, pediu que Deus perdoasse o pecado dos homens e que não os amaldiçoasse.

& 33 Quando chegaram ao lugar chamado “A Caveira”, ali crucificaram Jesus e junto com ele os dois criminosos, um à sua direita e o outro à sua esquerda. 34 Então (naquele exato momento) Jesus disse: — Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.

O verso 34 começa com a palavra ENTÃO, ou seja, naquele momento em que toda a maldade humana e o seu desprezo por Ele se manifestavam, Jesus disse: “Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.” (NTLH)

Jesus poderia ter ordenado à terra que se abrisse e engolisse a todos, que chovesse fogo dos “Céus” e os destruísse, porém, sujeito à vergonha indizível, sofrendo dores terríveis, rejeitado e odiado por quase todos bradou: “Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo.” (NTLH)

Aí está a glória e o esplendor de Jesus ao expressar o Seu eterno amor. Quem é igual a Ele? Ninguém! Nós temos visto políticos promoverem discursos desonestos ou inescrupulosos em funerais de entes familiares.

Quando você pede a Deus que o perdoe é porque se arrependeu de algo que não O agrada. Então, você não deve mais andar nem aquém nem além dos limites do seu pedido. É necessário que você busque e faça coisas que provam o seu verdadeiro arrependimento.

Jesus disse:

& Façam coisas que mostrem (que deem prova e merecimento) que vocês se arrependeram dos seus pecados. (Mt.3:8 NTLH)

Qual é o limite de quem se arrependeu e recebeu o perdão de Deus, por meio de Jesus?

Quando você se arrepende, o seu maior desejo é se alinhar (ou se harmonizar) com Deus, por meio de Jesus. Portanto, você amará de coração a tudo o que Ele ama e se comprometerá com os Seus propósitos, para o louvor da Sua glória ou esplendor. Você amará a Jesus, a Igreja (a Família de Deus), a Bíblia, Seus propósitos e terá o forte desejo de ser preparado, segundo os ensinamentos da Palavra de Deus, para realizar toda boa obra do SENHOR nas diferentes esferas da sua vida.

Uma pessoa que não se compromete com o que Deus ama, não O glorifica, não O engrandece na sua vida, pois desvaloriza o Seu esplendor, a Sua grandeza, e não reconhece o valor do perdão que recebeu. Esse tipo de pessoa é apenas um cristão nominal. Ele somente frequenta a Igreja, mas não produz os frutos do arrependimento, ou seja, está aquém do compromisso que fez com Deus, por meio de Cristo.

A mensagem do Evangelho é a “mensagem da cruz”. É a mensagem do perdão e da restauração de nossas vidas em Cristo Jesus. Sem arrependimento, o perdão divino e a obediência, o Cristianismo se torna inexistente. Por quê? Por três motivos:

  • Eu não valorizo a grandeza ou o esplendor dos atos misericordiosos de Deus.
  • Eu não valorizo o sacrifício de Jesus, “o Cordeiro de Deus”, por mim na cruz.
  • Eu não reconheço as implicações da “mensagem da cruz”, ou seja, não entendi e não recebi nada!

O que Jesus ofereceu aos Seus seguidores não foram automóveis caríssimos, imóveis, prosperidade financeira ou soluções dos problemas do cotidiano, mas o perdão divino! É a partir da sua paz com Deus, deixando de ser inimigo Dele, que você passa a desfrutar da graça e dos Seus recursos. É a partir da aceitação divina pela sua vida que você passa a ter a possibilidade de ser dirigido por Deus em todas as áreas da sua vida.

O sacrifício de Jesus na cruz revela tanto a Sua missão como a da Igreja neste mundo, pois o próprio SENHOR declarou:

& E Jesus disse aos discípulos: — Se alguém quer ser meu seguidor, esqueça os seus próprios interesses (esteja negando a si mesmo), esteja pronto para morrer como eu vou morrer (tome a sua cruz a cada dia) e me acompanhe (e Me siga ou se mantenha andando comigo). (Mt.16:24 NTLH)

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail