Por que você duvidou?

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Mateus 14:22-33

Texto bíblico base:

& 22 Logo depois (após a multiplicação dos pães e peixes), Jesus ordenou aos discípulos que subissem no barco e fossem na frente para o lado oeste do lago, enquanto ele mandava o povo embora. 23 Depois de mandar o povo embora, Jesus subiu um monte a fim de orar sozinho. Quando chegou a noite, ele estava ali, sozinho. 24 Naquele momento o barco já estava no meio do lago. E as ondas batiam com força no barco porque o vento soprava contra ele. 25 Já de madrugada, entre as três e as seis horas, Jesus foi até lá, andando em cima da água. 26 Quando os discípulos viram Jesus andando em cima da água, ficaram apavorados e exclamaram: — É um fantasma! E gritaram de medo. 27 Nesse instante Jesus disse: — Coragem! Sou eu! Não tenham medo! 28 Então Pedro disse: — Se é o senhor mesmo, mande que eu vá andando em cima da água até onde o senhor está. 29 — Venha! — respondeu Jesus. Pedro saiu do barco e começou a andar em cima da água, em direção a Jesus. 30 Porém, quando sentiu a força do vento, ficou com medo e começou a afundar. Então gritou: — Socorro, Senhor! 31 Imediatamente Jesus estendeu a mão, segurou Pedro e disse: — Como é pequena a sua fé! Por que você duvidou? 32 Então os dois subiram no barco, e o vento se acalmou. 33 E os discípulos adoraram Jesus, dizendo: — De fato, o senhor é o Filho de Deus! (Mt.14:22-33 NTLH)

1. Que eu tome o cuidado para não criar uma falsa expectativa sobre Jesus. (v.22)

& 22 Logo depois (após a multiplicação dos pães e peixes), Jesus ordenou (obrigou, compeliu) aos discípulos que subissem no barco e fossem na frente para o lado oeste do lago, enquanto ele mandava o povo embora. (NTLH)

Não parece que Jesus está sendo mal-educado com as pessoas? Porém, Ele tinha pressa em se despedir delas, porque elas queriam, à força, torná-Lo Rei de Israel. (cf. Jo.6:15) Claro que havia interesses humanos nessa ação, e em nada essa ação correspondia à vontade de Deus. O povo hebreu queria alguém que o libertasse da opressão e domínio romano e, tendo um rei que era capa de realizar tantos milagres, este lhe daria tanto soluções como alimento.

Não é diferente o comportamento das pessoas nas igrejas em nossos dias, pois elas procuram “dar a Jesus uma função” ou fazer com que Ele aja de uma maneira, a fim de conseguirem o que desejam. Enquanto elas alimentam uma esperança de, por meio Dele, solucionarem as suas questões, Jesus é poderoso. Porém, quando não são atendidas em seus anseios particulares, ficam frustradas e O abandonam!

Além do mais, Jesus também “obrigou” os Seus discípulos a saírem rapidamente daquele tumulto, pois, por serem ainda imaturos na fé, poderiam abrigar em seus corações a mesma intenção da multidão, ou seja, uma revolta popular contra Roma.

Eu sei e creio que Jesus é Deus e, portanto, Onisciente (possuidor do conhecimento absoluto, infalível e eficaz). Naquele momento, Cristo envia os Seus discípulos para o meio de uma forte tempestade. Talvez, você me pergunte: “Porque Ele fez isso? Ele não tinha conhecimento prévio da tempestade que se abateria sobre o barco onde Seus discípulos estariam?

Na minha vida com Cristo não estou livre de “tempestades”, ou seja, de momentos angustiantes e de muito terror! É difícil de aceitar, mas em certos momentos, Jesus me envia para o meio de terríveis “tempestades”, pois, em meio a elas, eu estarei mais seguro do que fora delas.

Quando estou no centro de “furacões”, mediante a vontade de Deus, eles adquirem efeitos positivos, pois me ensinam a depender totalmente da ajuda do SENHOR e reconhecer a Sua glória (esplendor, poder, misericórdia, bondade e controle sobre todas as coisas).

2. A minha segurança não depende de qualquer situação que enfrento. (v.24)

& 24 Naquele momento o barco já estava no meio do lago. E as ondas batiam com força no barco porque o vento soprava contra ele. (NTLH)

Eu não quero passar por nenhum tipo de sofrimento, e isso é o óbvio. No entanto, quando estou em um período de calmaria, tranquilidade mental e emocional, eu tenho a tendência de relaxar e posso deixar de crescer tanto na graça como no conhecimento de Jesus. (cf. 2 Pe.3:18)

Por ordem de Jesus, os discípulos estão dentro de uma terrível tempestade no Mar da Galileia, pois, para Deus, era preferível, em vez da tempestade mental e emocional que lhes poderia ser causada pela ação interesseira da multidão ao querer, pela força, que Jesus se tornasse o Rei dos judeus e, nessa condição, liderasse uma campanha contra o domínio romano.

A Bíblia ensina sobre dois tipos de tempestades:

  • A “tempestade” que me corrige e que traz a disciplina divina. Um exemplo na Bíblia é o caso de Jonas. Deus pediu que ele fosse a Nínive, mas ele fugiu para a Espanha, pois os judeus nacionalistas odiavam os ninivitas devido a acontecimentos passados. Jonas estava fora da vontade divina e precisava ser severamente disciplinado.
  • A “tempestade” que me aperfeiçoa e me ajuda a crescer tanto na fé como no conhecimento de Deus. Os discípulos de Cristo, diferentemente de Jonas, enfrentaram uma “tormenta” por terem obedecido ao SENHOR. Os discípulos estavam dentro de uma “tormenta” e Deus a usaria para que eles aprendessem algo grandioso em Jesus e uma verdade sobre o ser humano.

Então, a multidão via em Jesus grande poder, e só isso. Já os discípulos aprenderiam muito mais sobre o caráter do Eterno Mestre. Portanto, que eu tome cuidado com a ideia de muitos, que dizem que todo aquele que estiver fazendo a vontade de Deus estará em “mar calmo”.

Jesus disse:

& "Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz. No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo." (Jo.16:33 NTLH)

Eu jamais devo duvidar de que Jesus sempre cuidará da minha vida e me dará toda a proteção à minha “mente e alma” em meios às lutas, ainda que o meu corpo sofra. (o caso de Estevão cf. At.7) Estêvão se manteve firme na fé, foi apedrejado e viu Jesus em pé e de braços abertos para recebê-lo nos Céus.

Porém, se eu estiver em meio a uma “tempestade” por razões de desobediência (como no caso de Jonas), preciso considerar a correção divina, reorganizar meus pensamentos, me arrepender das minhas escolhas erradas e voltar para os Seus caminhos, me alinhando com Deus.

Jesus deixou que o barco estivesse bem longe da margem, a fim de ensinar os Seus discípulos a confiarem Nele – quando os recursos humanos eram inexistentes. Eles precisavam se sentir totalmente inseguros.

Os discípulos viram muitos sinais maravilhosos realizados por Jesus, porém, ainda estavam aprendendo a confiar Nele. Devido ao tempo que temos aprendido a Palavra de Deus, acredito que temos mais conhecimento do SENHOR do que eles, pelo menos até aquele momento.

O medo e a fé podem conviver em uma mesma situação, mas que eu procure me apoiar sobre o conhecimento que adquiri, acerca do caráter de Jesus e, assim, que eu consiga vencer o medo pela fé!

3. Que eu creia no cuidado de Jesus por mim, pois ainda que eu não O veja, sei que Ele me vê e sempre me ajudará. (v.23)

& 23 Depois de mandar o povo embora, Jesus subiu um monte a fim de orar sozinho. Quando chegou a noite, ele estava ali, sozinho.

Em uma passagem paralela está escrito o seguinte:

& Ele viu (vendo, conhecendo, sabendo) que os discípulos estavam remando com dificuldade (sendo torturados, afligidos) porque o vento soprava contra eles. Já de madrugada, entre as três e as seis horas, Jesus foi até lá, andando (criando o Seu próprio caminho) em cima da água, e ia (no Seu passo ou tempo iria) passar adiante deles. (Mc.6:48 NTLH)

Para Jesus, nada está oculto, pois Ele sempre “está me vendo” e conhece a minha situação e as necessidades reais que preciso em um determinado momento. De acordo com a Palavra de Deus, Jesus intercede por mim e por todos os Seus discípulos constantemente diante do Pai.

4. Que eu não duvide da presença de Jesus em minhas tormentas, pois ele nunca me abandona! (vs.25-27)

& 25 Já de madrugada, entre as três e as seis horas, Jesus foi até lá, andando em cima da água. 26 Quando os discípulos viram Jesus andando em cima da água, ficaram apavorados e exclamaram: — É um fantasma! (uma visão ou aparição de um anjo ou demônio) E gritaram de medo. 27 Nesse instante Jesus disse: — Coragem! Sou eu! Não tenham medo! (NTLH)

Jesus não estava apenas vendo a “tempestade” torturando Seus discípulos, mas foi até eles andando por sobre o mar! Isso não é problema para Ele, pois quem dividiu as águas do Mar Vermelho para o povo de Deus passar, na sua fuga do Egito? Quem deteve as águas do rio Jordão em plena época de cheia, senão o SENHOR?

Jesus anda por sobre as águas do mar para mostrar a Sua glória e também demonstrar que aquilo que os discípulos mais temiam (o mar) seria o caminho para que o SENHOR se aproximasse deles.

Que eu aplique esta verdade do texto às mais variadas situações da minha vida. Todas as situações que eu passo pela permissão e vontade de Deus são caminhos que ele mesmo escolhe para mostrar a Sua graça e glória (seja a doença, finanças, atritos etc.). No entanto, os discípulos não O reconheceram, e por quê? Porque não esperavam por Ele! Absorvidos pelo medo, eles concluíram que se tratava de um fantasma! Eu já estive em muitas reuniões onde as pessoas sempre procuram mostrar que há um demônio aqui e outro ali, fazendo isso ou aquilo, mas de um modo muito raso, dizem: “Não se preocupe, pois Jesus está com você!” Porém, nunca explicam o que Ele pretende ou quais são os Seus objetivos para o crescimento da minha fé.

5. Que eu ande sempre na direção de Jesus. (vs.28-32)

& 28 Então Pedro disse: — Se é o senhor mesmo, mande que eu vá andando em cima da água até onde o senhor está. 29 — Venha! — respondeu Jesus. Pedro saiu do barco e começou a andar em cima da água, em direção a Jesus. 30 Porém, quando sentiu a força do vento, ficou com medo e começou a afundar. Então gritou: — Socorro, Senhor! 31 Imediatamente Jesus estendeu a mão, segurou Pedro e disse: — Como é pequena a sua fé! Por que você duvidou? 32 Então os dois subiram no barco, e o vento se acalmou. 33 E os discípulos adoraram Jesus, dizendo: — De fato, o senhor é o Filho de Deus!

O que significa ir à direção de Jesus? Para nós, cristãos, só existe um caminho, e ele é Jesus! (cf. Jo.14:6) Eu devo andar pelo mesmo caminho que Ele anda. Porém, eu gostaria de salientar a pergunta que o SENHOR fez a Pedro, após ter afundado no mar e sido salvo por Jesus: “Por que você duvidou?

O verbo “duvidar” refere-se, em termos práticos, à formação de dois caminhos em minha mente, ou seja, eu tenho um único caminho para percorrer, mas devido ao medo, eu acabo criando outro. Então, eu hesito, desconfio, vacilo, titubeio ou duvido!

Muito bem, eu entendo o que significa “duvidar”, mas o que está por trás da pergunta de Jesus? Eu diria o seguinte: “Pedro, quais os motivos que o levaram a desconfiar do caminho em que você estava andando?

Esse é o questionamento que o SENHOR faz a mim e a você! Por que, dentro de uma situação adversa, onde eu deveria estar observando os princípios da Palavra de Deus e caminhando pelos recursos divinos, crio outro caminho?

A resposta é simples: “MEDO!”. Eu tenho medo de confiar na glória ou no esplendor divino. O medo me revela o pânico que tenho pela possível perda da minha glória pessoal, ou seja, do que eu já conquistei (com o meu próprio esforço).

Sejamos honestos: na maioria das ocasiões, confiamos mais na nossa capacidade do que na capacitação que Deus nos dá. Então, Ele nos conduz a uma “tempestade”, a fim de que afundemos e reconheçamos o valor da Sua gloriosa presença salvadora!

A experiência de Pedro foi valiosa tanto para ele como para todos os demais, pois, ao verem o poder de Jesus dominando a situação, não restou outra saída senão adorá-Lo. Ao dizerem: “De fato, o senhor é o Filho de Deus!”, eles estavam dizendo a si mesmos que Jesus veio como o Messias, a fim de cumprir a vontade de Deus Pai e não a dos homens.

Portanto, se Jesus não reina sobre os nossos corações, como Ele reinará sobre nossas vidas? Enquanto crio vários caminhos, quando eu deveria andar por um só, qual questionamento eu deveria fazer? “De fato, quem controla a minha vida?” O medo ou o SENHOR? Jesus não condenou Pedro por ter tido medo, mas pediu que encontrasse as razões dentro de si pela sua hesitação. O mesmo Deus está fazendo conosco o tempo todo, a fim de que paremos de confiar em nós mesmos.

A minha esperança é que eu nunca desanime diante dos testes divinos à minha fé. Que eu procure aprender que devo buscar a glória de Deus e andar na direção dela. Quando o medo se abater sobre a minha vida, que eu saiba esperar pela voz do SENHOR, em vez de, afoitamente, buscar soluções onde elas não existem! Que eu confie no SENHOR Jesus para segurar a minha mão!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail