A fé é mais do que acreditar - Parte 50: A fé de Sansão (2) - A imagem pessoal e a imagem de Deus

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Hebreus 11:32; Juízes 16:20

Como vimos na semana passada, a vida de Sansão expressa o comportamento frágil, tanto espiritual como moral, de muitos cristãos e o da própria Igreja em nossos dias. A Igreja atual, na sua maioria, tem expressado os seguintes aspectos:

  • Ela tem muita influência política, social e econômica, mas não leva a sério o seu compromisso com Deus.
  • Ela não tem valorizado o seu relacionamento com Deus, apesar de ter tido a experiência do novo nascimento em Cristo Jesus.
  • Ela não demonstra respeito ou temor a Deus, mesmo experimentando o poder da graça divina.
  • Ela confunde ser usada por Deus com a aprovação divina.
  • Ela desagrada a Deus, quando não vê problema algum ao se associar aos modelos religiosos e sociais da cultura pagã.
  • Ela está espalhada por quase todo o mundo, mas perdeu a visão do Reino de Deus.
  • Ela se reúne semanalmente para buscar os seus próprios interesses e não para aprender sobre como viver para Deus e fazer a sua vontade.
  • Ela tem sido zombada e satirizada pelo mundo, devido à sua fraqueza espiritual e moral.

Texto Histórico sobre Sansão:

& Ela (Dalila) gritou: — Sansão! Os filisteus estão chegando! Ele se levantou e pensou (determinou a si mesmo com vanglória ou orgulho pessoal): “Eu me livrarei como sempre.” Sansão não sabia (não discerniu, não reconheceu por experiência) que o SENHOR o havia abandonado. (Jz.16:20 NTLH)

1. O nascimento de uma criança é um dom divino ao mundo, pois ela nasce para os propósitos de Deus.

A vida, em si, é um grande milagre divino, e aquele que conscientemente se destrói, comete um pecado muito grave. Os discípulos de Jesus Lhe perguntaram sobre a razão de um homem ter nascido cego, pois pensavam que o fato de ele ter nascido deficiente era devido a algum pecado pessoal ou de seus pais. Porém, Jesus lhes disse que ele havia nascido cego para que a glória ou o esplendor divino se manifestasse na vida dele. (cf. Jo.9:1-3)

Você nasceu para expressar os propósitos, o esplendor, a grandeza, a graça e o poder de Deus, de alguma maneira neste mundo. É Deus que concede a vida, devido à disposição e aos desejos de um homem e uma mulher. Ainda que um ato sexual seja cometido ilicitamente, nenhuma criança nasce por acaso, mas pela vontade divina e, por isso, o Cristianismo é contrário ao aborto.

No caso de Sansão, ele nasceu de uma mulher estéril, e o seu nascimento foi o resultado de intervenção divina. Ele nasceu para glorificar a Deus, para mostrar às pessoas da sua época como Deus era bom para com os Seus filhos e capaz de perdoar os seus pecados. Entretanto, em vez de agir à semelhança de Deus em favor do Seu povo e dar testemunho às outras nações do esplendor divino, Sansão procurou exaltar a si mesmo. Ele deixou de raciocinar que a sua força era um dom de Deus e que jamais a perderia. Há quem pense do mesmo modo nos dias atuais, quando empregam mal as palavras do apóstolo Paulo que diz:

& Porque Deus não muda de idéia (não se arrepende, não vive preocupado) a respeito de quem ele escolhe e abençoa. (Rm.11:29 NTLH)

Este verso fala da salvação em Cristo Jesus. Os judeus foram chamados para crerem em Jesus, mas O rejeitaram. Então, Deus deu a oportunidade aos povos gentios (não judeus) para crerem em Cristo. No futuro, os gentios irão fazer o mesmo que os judeus fizeram no passado, ou seja, vão se afastar do Filho de Deus, o Messias e Cristo. Então, Deus dará aos judeus uma segunda chance de aceitá-Lo como SENHOR e Salvador eterno.

2. Deus não desiste de ninguém, porém, como tudo na vida, há limites!

Deus não se arrepende de ter dado a ambos os povos o dom da salvação, mas a responsabilidade de manter esse dom vivo é das pessoas que o recebem. Caso trate o chamado divino com constante desdém, Deus pode rejeitar temporária ou definitivamente tal pessoa, enquanto outras recebem o que ela rejeitou.

Deus não desiste de ninguém, mas as pessoas podem desistir Dele! Judas desistiu de Deus ao se suicidar. (cf. Mt.27:5; At.1:17-20) No deserto do Sinai, Corá, Datã e Abirão não aceitavam os planos divinos em relação à liderança de Moisés. Devido a essa atitude de rebelião constante, Deus os rejeitou, e tanto eles quanto os membros de suas famílias, foram engolidos pela terra. Morreram no deserto e não entraram na Terra Prometida. (cf. Nm.16) Deus rejeitou Saul como rei e ordenou a Samuel que não mais orasse em favor dele. (cf. 1 Sm.16:1) Saul, à semelhança de Judas, também praticou o suicídio. (cf. 1 Sm.31:4)

O apóstolo Paulo nos diz o seguinte:

& Não deem (não entreguem, não ofereçam) ao Diabo oportunidade (a liberdade, a habilitação, o direito) para tentar vocês (afastá-los dos propósitos divinos). (Ef.4:27 NTLH)

Ao se entregar ao Diabo, a pessoa dá a ele o direito de implantar a sua imagem e semelhança nela, ou seja, ela passa a fazer a sua vontade e cumpre os seus planos sobre a Terra. A pessoa passa a ter o Diabo como pai e se torna descendente dele. Foi justamente isso que Jesus disse aos líderes religiosos da Sua época, pois eles tinham o Diabo como pai e gostavam de fazer a sua vontade, pelo fato de expressarem a sua malignidade e agirem semelhantemente a ele. (cf. Jo.8:42-44)

Se você não se obriga a ouvir e a guardar a “mensagem de Deus”, ou seja, o Seu Evangelho, a sua vida estará aberta aos ataques satânicos, às suas seduções e à formação do caráter maligno sobre a sua vida.

Quando Deus criou o homem, assim o fez para se parecer com Ele, tanto no modo de pensar como no de agir:

& Aí ele (Deus) disse: — Agora vamos fazer os seres humanos, que serão como nós, que se parecerão conosco (à imagem e semelhança divina, para agirem de acordo com a vontade e os planos de Deus). (...). (Gn.1:26 NTLH)

Todo ser humano nasce para essa finalidade: ser um reflexo da glória ou do esplendor de Deus sobre a Terra, família, amigos e colegas. Porém, voltando à vida de Sansão, ele se desviou desse propósito divino à sua vida. Ele foi:

  • Autossuficiente. Pensou que era imune ao mal e traçou o seu próprio destino.
  • Desobediente. Seguiu os seus próprios desejos e desprezou a Deus.
  • Dissimulado. Ele agia com hipocrisia, dizendo-se tratar de uma pessoa, mas sendo outra.
  • Descuidado. Ele não discernia o perigo e o espírito do engano e, portanto, agia com imaturidade.
  • Trocou o seu prazer por Deus pelos prazeres ou desejos pessoais.

A sabedoria divina nos diz o seguinte:

& Os tolos recebem o que a sua tolice merece, mas os ajuizados são recompensados com o conhecimento. (Pv.14:18 NTLH)

Neste verso nós temos duas verdades: “O tolo ou o sem juízo recebe o que a sua tolice merece.” Depois, “O ajuizado ou prudente é recompensado com compreensão, discernimento ou sabedoria.” Em outras palavras:

Quem não opta pelos propósitos divinos à sua vida se tornará completamente idiota ou sem juízo, mas o homem que não rejeita a Deus e aceita o Seu trabalho na sua vida, compreenderá ou discernirá cada vez mais os seus dias.”

Portanto, o tolo viaja na altura dos seus sonhos pessoais, enquanto o ajuizado tem os seus pés no chão e na realidade divina para a sua vida.

Sansão expressou o tempo todo a sua “imagem pessoal”, por meio da sua crença. Saiba que a sua crença não garante que Deus estará sempre aprovando as suas intenções pessoais. “A FÉ É MAIS DO QUE ACREDITAR”, isto é, ela ultrapassa a realidade da crença. A fé o leva a se submeter a Deus, a fazer a Sua vontade, a dar a Ele os direitos que você pensa que são seus. A fé bíblica torna a sua crença verdadeira.

Jesus disse:

& Porque até o Filho do Homem (Jesus) não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente. (Mt.20:28 NTLH)

Jesus veio para revelar o esplendor ou a grandeza de Deus. Ele mostrou ao homem sobre o erro de viver só para si mesmo, ou para os seus próprios interesses, sem preocupar-se com o próximo.

Sansão descobriu tarde essa verdade, a qual nos é revelada por Jesus. Sansão nasceu para julgar, abençoar e fortalecer o povo de Deus, mas ao longo da sua vida, viveu somente para os seus prazeres e deleites. Porém, já cego entre as colunas do templo pagão de Dagom, orou a Deus e pediu que o usasse mais uma só vez e disse que, naquele dia, daria a sua vida a favor de Deus, do Seu chamado e de seu povo. Ele estava disposto a dar a sua vida pelos filhos de Deus. Nós vimos na semana passada como ele derrubou o templo e destruiu a corte mais alta dos filisteus.

Sansão entendeu que, durante a sua vida, ele brincou com a sua crença e não permitiu que ela se transformasse em fidelidade ou lealdade a Deus. Portanto, quem crê, nem sempre está disposto a morrer para si mesmo, à semelhança de Jesus. Porém, aquele que tem fé, morre o tempo todo para o que desagrada a Deus, a fim de viver para o SENHOR ETERNO!

A minha crença em Deus não deve me levar a vender a minha imagem pessoal, de uma pessoa boa, séria, honesta e religiosa. Por mim mesmo, eu não consigo ter essas qualidades, pois sou fraco tanto espiritual como moralmente falando. Entretanto, se eu quero mostrar às pessoas a grandeza de Deus, permitirei que Jesus viva através de mim, pois Ele é tudo isso e muito mais! Jesus é bom e eu sou mau. Jesus é santo e eu um pobre pecador! Jesus é Deus e eu um dependente Dele para tudo!

A minha crença nem sempre revela se a minha fé é verdadeira, mas a minha fé ou fidelidade a Deus revela se a minha crença é ou não verdadeira.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco