A fé é mais do que acreditar - Parte 48: A fé de Baraque - Confie em Deus, nas Suas provisões, e seja obediente!

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Hebreus 11:32; Juízes 4:1-16

Caso eu perguntasse a muitos cristãos sobre a história de Baraque, poucos saberiam reconhecê-lo como um dos heróis da fé, mencionado em Hebreus 11:32. Quem foi Baraque e o que ele fez, para que fosse contado entre os homens que deram exemplo de fé?

O escritor de Hebreus nos mostra como o herói do Antigo Testamento, Baraque, embora fosse tímido e inseguro, ainda assim confiou na promessa de Deus e trouxe uma grande vitória para seu povo, em tempos de apostasia (afastamento de Deus).

Baraque é mais um exemplo de um homem de fé a ser seguido e aprendemos que “A FÉ É MAIS DO QUE ACREDITAR”, pois ela exige confiança e obediência a tudo o que Deus diz. A história de Baraque é contada em Juízes 4 e ela se completa com o canto de Débora, em Juízes 5, no qual ela louva a Deus por ter livrado o Seu povo de seus inimigos.

No capítulo 4 de Juízes, nós encontramos os seguintes personagens:

  • Jabim: rei da cidade estado de Hazor, um tirano temido e respeitado por todos os outros reis, que governavam as cidades-estados na Cananeia.
  • Débora: Uma mulher de fé e coragem, escolhida por Deus para julgar as causas do Seu povo e, portanto, uma juíza. Ela era também uma conselheira, que sempre transmitia ao povo do SENHOR os conselhos ou a Palavra de Deus e, por isso, ela era reconhecida como profetisa.
  • Baraque: soldado israelita inseguro da tribo de Naftali.
  • Sísera: capanga e capitão do exército de Jabim que comandava um poderoso exército com 900 carros, os quais eram, na maior parte, revestidos de ferro e com foices em suas rodas.
  • Héber: pertencia ao povo Queneu, o qual odiava o governo de Jabim, mas que se sujeitava a ele por questões de negócios e comércio.
  • Jael: esposa de Héber e que foi hábil com o martelo ao matar Sísera.

1. O tempo de Baraque (Juízes 4:1-3)

& 1 Depois que Eúde (um juiz levantado por Deus para julgar e aconselhar os filhos de Israel) morreu, o povo de Israel pecou novamente contra Deus, o SENHOR. 2 Por isso o SENHOR deixou que eles fossem conquistados por Jabim, rei de Canaã, que governava a cidade de Hazor. O comandante do seu exército era Sísera, que morava em Harosete-Hagojim. 3 Jabim tinha novecentos carros de ferro. Durante vinte anos ele maltratou o povo de Israel sem dó nem piedade. Então o povo de Israel pediu socorro a Deus, o SENHOR. (Jz.4:1-3 NTLH)

É incrível, mas esse padrão se repete o tempo todo no livro dos Juízes. Eúde está morto e os filhos de Deus logo se afastam Dele. Portanto, assim como foi nos dias de Gideão, o mesmo aconteceu no período de Baraque. Repare que o padrão de comportamento de todos foi o mesmo:

  • Os filhos de Deus se submeteram ou serviram a outros deuses;
  • Deus os disciplina, entregando-os à opressão de seus inimigos;
  • Eles clamam a Deus em meio à opressão;
  • Deus, com Sua misericórdia, levanta um juiz;
  • O juiz os libertaria do povo opressor e os traria de volta a Ele;
  • Eles louvariam a Deus por causa da Sua misericórdia; e
  • Com o tempo, O esqueceriam novamente e retornariam à adoração de falsos deuses.

Israel estava sob a opressão do rei de Canaã chamado Jabim e, juntamente com Sísera, o seu capanga maligno, oprimia os filhos de Deus. Ele tinha sob o seu poder 900 carros de ferro. Não havia como enfrentar um exército tão poderoso como o de Jabim e Sísera.

Deus usou Jabim e seu exército para disciplinar Seus filhos, pois eles O rejeitaram, assim como os princípios da Verdade, e se tornaram idólatras. Deus odeia a idolatria. (cf. Êx.20:3,4; Lv.19:4; Sl.115:4-8; Is.42:8) A idolatria acontece quando você dá a uma pessoa ou a qualquer manufatura humana o que só pode ser atribuído a Deus. Quando isso acontece, você passa a ser dominado pelo seu ídolo e, logo a seguir, virá a disciplina do SENHOR.

Entenda que Deus tem o poder para disciplinar o Seu povo da maneira conveniente. A Bíblia nos ensina que quando somos reprovados e disciplinados pelo SENHOR, nós não devemos desanimar ou desmaiar. (cf. Hb.12:5) O sentido é que a correção de Deus visa a restauração da esperança e da nossa fé verdadeira ou bíblica, pois a disciplina divina revela que o SENHOR não deixou de se preocupar e amar Seus filhos.

Portanto,

  • Aceite sempre a disciplina do SENHOR, a fim de que a sua esperança e fé sejam restauradas.
  • Faça uma análise sobre que pessoas ou objetos se tornaram o seu foco de culto e o quanto tem sido governado por eles.

2. A chamada de Baraque. (Juízes 4:4-7)

& 4 Débora (no hebraico = “abelha”), mulher de Lapidote, era profetisa. Era também juíza dos israelitas naquele tempo. 5 Havia uma palmeira entre Ramá e Betel, na região montanhosa de Efraim. Débora sentava-se debaixo dela, e os israelitas vinham até ali para que ela julgasse as questões que eles traziam. 6 Ela mandou chamar Baraque (no hebraico, “relâmpago, raio”), filho de Abinoão, que estava na cidade de Quedes, no território da tribo de Naftali, e lhe disse: — O SENHOR, o Deus de Israel, está lhe dando esta ordem: “Escolha dez mil homens das tribos de Naftali e Zebulom e os leve ao monte Tabor. 7 Eu vou trazer Sísera, o comandante do exército de Jabim, até o rio Quisom para lutar contra você. Ele virá com seus carros de ferro e soldados, mas eu farei com que você o vença.” (Jz.4:4-7 NTLH)

Baraque não foi chamado para ser um juiz, pois Deus escolheu uma mulher chamada Débora para essa função. Ela é denominada no texto como sendo “uma profetisa”, e o que isso significa? Ela era um tipo de adivinhadora do futuro? Claro que não! A função fundamental de um profeta não é adivinhar ou falar sobre o futuro a alguém, mas os pensamentos e os propósitos de Deus para com o Seu povo.

Nos dias atuais, “o profeta” (aquele que fala em nome de Deus) diz às pessoas a mensagem de Deus, de acordo com a Palavra do SENHOR, ou seja, a Bíblia. Porém, muitos cristãos dão aos que eles chamam de profetas, um caráter místico como sendo “adivinhadores ou prognosticadores”, ou seja, pessoas que preveem o futuro dos que os ouvem, a fim de se protegerem e se livrarem de algum mal. Saiba que Deus condena tais práticas na Palavra de Deus. (cf. Dt.18:10-12)

Quando um “profeta” (mensageiro de Deus) é usado pelo SENHOR para falar sobre um acontecimento futuro, ele sempre o relaciona à condição espiritual e moral das pessoas em um determinado momento, para que possam se ajustar harmoniosamente com Deus e Sua Palavra com relação aos propósitos divinos sobre a Terra no futuro.

Então, Deus pede, no presente, que o Seu povo reconheça seus erros e se ajuste a Ele com um coração arrependido, e que no SENHOR, todos procurassem se fortalecer, a fim de enfrentar a vontade e os decretos divinos futuros.

  • Jesus falou sobre a destruição de Jerusalém pelos romanos. (cf. Lc.21:5-19) Por que Ele mencionou essa destruição? Em que condição espiritual e moral as pessoas estavam, tanto os líderes religiosos como o povo, nos dias em que Jesus profetizou a queda de Jerusalém?
  • Jesus falou sobre o final dos tempos. (cf. Mt.24) Como estará a condição espiritual e moral das pessoas e da Igreja nos últimos dias?

O “profeta”, ou seja, “o pregador ou o mensageiro de Deus”, ensina o povo que a ouvir e aprender a Palavra de Deus e era justamente isso o que Débora fazia. Naqueles dias, Deus mostrou a ela que deveria chamar Baraque e a este, disse tudo o que o SENHOR esperava dele – sua missão era a de lutar contra o poderoso exército opressor e vencê-lo, em favor do povo de Deus e com a finalidade de que todos vissem a Sua glória, ou seja, quem Ele é, Seu poder para realizar o impossível e mostrar a Sua bondade!

Portanto,

  • Deus o chamou para ouvir e aprender tudo o que Ele tem para lhe ensinar.
  • Deus o chamou em Cristo, para que você expresse a Sua glória, através de tudo o que faz!

3. A insegurança de Baraque. (Juízes 4:8-10)

& 8 Então Baraque disse a Débora: — Só irei se você for comigo. Se você não for, eu também não irei. 9 Ela respondeu: — Está bem! Eu vou com você. Mas você não ficará com as honras da vitória, pois o SENHOR Deus entregará Sísera nas mãos de uma mulher. E Débora foi com Baraque para Quedes. 10 Baraque convocou as tribos de Zebulom e Naftali para a cidade de Quedes, e dez mil homens o seguiram. E Débora foi com ele. (Jz.4:8-10 NTLH)

Nós não sabemos se Baraque possuía “uma larga experiência militar”, mas é bem provável que ele não possuía, e é claro, que isso se devia à enorme opressão aos israelitas por parte do rei Jabim e de seu capanga Sísera. Ao que parece, ele era um homem com uma natureza inerentemente tímida. Todavia, diante de tal missão, quem poderia condená-lo?

Ele não possuía confiança em si mesmo, mas confiava em quem Deus escolheu para julgar, orientar e libertar os filhos rebeldes do Criador, e essa pessoa era Débora. Se ela não fosse com ele, Baraque desistiria da convocação divina. Então, para que ele cumprisse o seu chamado divino, Débora teria que estar ao seu lado, e a sua atitude não entristeceu a Deus. Pela vontade divina, Débora aceitou o seu pedido.

Jesus disse aos Seus discípulos que sem Ele, nada poderiam fazer. (cf. Jo.15:5) Nós nunca conseguiremos agradar a Deus e fazermos o que Ele espera que façamos e sejamos sem a presença de Jesus em nós!

Portanto,

  • Creia que Deus nos deu o Espírito de Cristo, a fim de que tenhamos a Sua companhia em qualquer situação.
  • Não encare como fraqueza, a necessidade de depender da presença e de toda orientação divina em qualquer situação ou assunto, por meio de Jesus.

4. A provisão de Baraque. (Juízes 4:11-14a)

& 11 Acontece que Héber, o queneu, havia se separado dos outros queneus, os descendentes de Hobabe, cunhado de Moisés. Ele havia armado as suas barracas perto do carvalho de Zaananim, que não ficava longe de Quedes. 12 Avisaram Sísera que Baraque, filho de Abinoão, havia subido ao monte Tabor. 13 Então ele mandou vir os seus novecentos carros de ferro e todos os seus homens e os fez ir de Harosete-Hagojim até o rio (ribeiro, pequeno curso d’água) Quisom. 14 Então Débora disse a Baraque: — Vá agora porque é hoje que o SENHOR lhe dará a vitória sobre Sísera. (Jz.4:11-14ª NTLH)

Leia novamente os versos 11 e 12. Você me perguntaria: “Walter, acampar pertinho do tal monte Tabor foi uma provisão divina?” Você logo saberá que foi.

O que Sísera fez? (vs.12,13) Baraque posicionou os seus homens no lugar determinado por Deus e o SENHOR fez com que o inimigo viesse até ele, até o ribeiro de Quisom. Esse “rio ou ribeiro seco” era a provisão divina para Baraque e seu exército! Então, lemos que “Débora disse a Baraque: — Vá agora porque é hoje que o SENHOR lhe dará a vitória sobre Sísera.” (v.14)

Essa era a ordem divina para que Baraque exercesse a sua fé, ou seja, que fosse fiel ou leal à Palavra de Deus! Era o momento de demonstrar confiança em tudo o que Deus diz.

Muitas vezes, nós não damos valor às provisões que Deus nos fornece, pois somos ensinados que Ele só dá abundância aos Seus filhos. Porém, nem sempre é assim! Em muitos momentos, Deus nos dá o que “o mundo” rejeitaria e zombaria. Deus deu a Gideão, potes de barro, tochas e berrantes, lembra? Deus deu a Israel, nos dias de Josué, berrantes e os gritos do Seu povo, a fim de que as muralhas de Jericó caíssem.

Deus nos tem dado o Espírito Santo e a Palavra de Deus, mas “o mundo os ridiculariza”! Deus nos tem dado Jesus, o mais desejado por nós e o mais rejeitado e escarnecido pelo mundo! Em comunhão com Ele e compromissados com o Seu Evangelho, nós desfrutaremos de todos os recursos que Deus nos dá!

Portanto,

  • Creia que Deus sempre está à nossa frente em toda e qualquer situação.
  • Permaneça na posição ou lugar que Deus quer que você esteja, e confie Nele.
  • Creia que Deus sempre provê o que de fato necessitamos, e não o que desejamos.

Confie nas provisões divinas, ainda que elas se pareçam como algo sem valor.

5. A obediência de Baraque. (Juízes 4:14b-16)

& 14b O SENHOR está com você! Então Baraque desceu do monte Tabor com os seus dez mil homens. 15 Quando Baraque apareceu com o seu exército, o SENHOR fez com que houvesse uma grande confusão (Deus se moveu ruidosamente entre os soldados inimigos, criando um grande terror e confusão entre eles) no meio dos soldados e dos carros de Sísera. Aí Sísera desceu do seu carro e fugiu a pé. 16 "Mas Baraque perseguiu os carros e o exército até Harosete-Hagojim. Todo o exército de Sísera foi destruído; ninguém escapou." (Jz.4:14b-16 NTLH)

Com fé na Palavra de Deus, Baraque se adiantou a uma tarefa que parecia, humanamente, impossível. (v.14b) Ele confiou em Deus e agiu segundo a vontade do SENHOR, destruindo todo o poderoso exército de Sísera. O que era impossível, se tornou possível, pois não há nada impossível para Deus! (cf. Mt.19:26; Lc.1:34-38; Mc.9:32; 10:27; Gn.18:13,14; Jó 42:2; Je. 32:17)

Entretanto, não foi Baraque e seu exército que derrotaram o poderoso exército de Sísera, mas foi o Próprio SENHOR Deus! O texto diz que houve uma grande confusão e nos originais da Bíblia, o exército inimigo ouviu um forte ruído como de uma explosão se aproximando e isso os assustou e fez com que Sísera, o maligno general, fugisse correndo a pé da pretensa batalha.

O que de fato aconteceu? Para que você entenda, leia Juízes 5:4,5,21:

& 4 Ó SENHOR Deus, quando saíste das montanhas de Seir, quando vieste da região de Edom, a terra tremeu, e as chuvas caíram do céu. Sim, caiu muita água das nuvens. 5 As montanhas tremeram diante do SENHOR, o Deus do monte Sinai, diante do SENHOR, o Deus de Israel. 21 Os inimigos foram arrastados por uma enchente do rio Quisom, o velho rio Quisom. Eu marcharei, marcharei com firmeza! (Jz.5:4,5,21 NTLH)

Lembra que eu mencionei há pouco sobre o rio Quisom, um ribeiro ou um pequeno curso d’água, e disse que ele era a provisão de Deus a Baraque? O riozinho, devido às torrentes chuvas, cresceu de tamanho e transbordou, encharcou a terra, que tremeu violentamente, e os 900 carros de ferro de Sísera ficaram encalhados, de modo que eles não podiam esquartejar com as foices em suas rodas, os israelitas. Agora, a luta era homem contra homem, mas eles, ao fugirem, foram alcançados e mortos. Foi uma vitória completa! Foi a vitória de Deus, o SENHOR!

Entenda que essa batalha foi uma batalha do “Céu”! Baraque confiou no agir de Deus e fez a sua parte, de acordo a tudo o que lhe foi orientado.

Só para efeito de nota, o que aconteceu a Sísera? Ele tentou procurou se refugiar na casa de Héber e foi morto por Jael, a esposa do hospedeiro. (cf. Jz.4:17-24) A morte de Sísera pela mulher de Héber (Jael) confirmou o que Débora havia dito a Baraque nos versos 8 e 9.

& 8 Então Baraque disse a Débora: — Só irei se você for comigo. Se você não for, eu também não irei. 9 Ela respondeu: — Está bem! Eu vou com você. Mas você não ficará com as honras da vitória, pois o SENHOR Deus entregará Sísera nas mãos de uma mulher. E Débora foi com Baraque para Quedes. (NTLH)

Jesus foi humilde em todo o tempo e aceitou os caminhos de Deus até a cruz! Ele agiu com perfeita obediência ao Pai e foi exaltado! Ele foi crucificado e morreu na cruz, mas ressuscitou ao terceiro dia e está assentado à direita de Deus Pai. A sua missão foi dolorosa, mas Jesus a cumpriu, e Deus O honrou.

Deus não está pedindo que você morra numa cruz, mas que morra para si mesmo, a fim de que Ele o ajude e seja glorificado na sua vida.

Portanto,

  • Seja humilde diante do SENHOR e Ele lhe dará uma posição de honra no tempo devido. (cf. Tg.4:10; 1 Pe.5:6)
  • Creia que os seus inimigos e as suas adversidades estão nas mãos de Jesus e não nas suas.

A fé é mais do que acreditar! Ela nos ensina a fazermos a nossa parte, ou seja:

  • Mantenhamos a nossa comunhão com Deus, por meio de Jesus;
  • Creiamos no chamado divino;
  • Enfrentemos os nossos obstáculos, confiando em Jesus, e não em nós mesmos;
  • Creiamos nas provisões divinas, pois elas são poderosas;
  • Sejamos obedientes a Deus e permaneçamos na posição que Ele nos indica.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail