A fé é mais do que acreditar - Parte 47: A fé de Gideão (12) - Quem pensa estar de pé, cuide-se para não cair!

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Juízes 8:22-27

Ao longo de várias semanas, nós temos meditado sobre a fé de Gideão. Ele era um homem medroso, mas Deus o transformou em um guerreiro valente. Submisso, temente e obediente à voz de Deus, ele estabeleceu uma reforma religiosa em meio ao seu povo, quando este adorava deuses pagãos e sofria duras perdas por parte de seus inimigos, os midianitas e povos do deserto.

Muitos judeus foram mortos pelos inimigos e, além do mais, todo o ganho que era obtido pela agricultura era roubado, fazendo com que Israel vivesse na miséria e fosse expulso de suas próprias casas – havia um número muito grande de israelitas tinham que viver em cavernas.

Gideão, chamado por Deus para ser um juiz sobre eles, foi levantado pelo Senhor e os libertou de seus inimigos; desta maneira, Israel se viu livre para prosperar novamente. Agora, a nação, pela ajuda divina, estava livre para continuar a sua vida, e todos estavam felizes. A felicidade momentânea é um sentimento encantador, entretanto, pode fazer com que tiremos os nossos olhares de Deus, fechemos nossos ouvidos para Ele, e deixemos de servi-Lo, devido aos interesses pessoais.

Desse modo, a fé, que antes era verdadeira, passa a ser substituída por uma fé falsa, egoísta e interesseira, pois o que mais importa é um futuro próspero neste mundo, sem a obrigação de aceitar uma correção divina e um compromisso sério com o SENHOR.

A pessoa se ilude com o seu momento agradável e, descuidadamente, passa a caminhar numa direção oposta à que Deus determinou. Há dois textos nas Escrituras Sagradas que eu quero destacar:

A Sabedoria divina diz:

& Há caminhos que parecem certos (honestos, corretos, convenientes), mas podem acabar levando para a morte (ao afastamento de Deus e da vida abundante por Ele oferecida). (Pv.14:12 NTLH)

O apóstolo Paulo adverte:

& Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair. (1 Co.10:12 NTLH)

Em outras palavras: “Todo aquele que tem uma opinião própria, que considera a si mesmo firme na fé, ou seja, que estabelece a si mesmo uma condição espiritual e moral boa, que tome cuidado para não descender de um lugar mais alto para um mais baixo.”

A nossa meditação se baseia nessas verdades e veremos que tanto o povo de Deus como Gideão, deram passos errados, os quais trariam novos transtornos à estabilidade espiritual, social e econômica no futuro.

Texto Base:

& 22 Os homens de Israel disseram a Gideão: — Você nos salvou dos midianitas. Portanto, seja nosso governador. E, depois de você, o seu filho e o seu neto. 23 Gideão respondeu: — Eu não serei governador de vocês, e o meu filho também não. O SENHOR Deus é quem será o governador de vocês. 24 E continuou: — Mas vou fazer um pedido: cada um me dê um dos brincos que tirou dos vencidos. Os midianitas usavam argolas de ouro nas orelhas porque eram gente do deserto. 25 Os homens de Gideão responderam: — Nós os daremos com prazer a você. Então estenderam uma capa, e cada um pôs nela os brincos que tinha tomado dos midianitas. 26 Os brincos de ouro que Gideão pediu pesaram quase trinta quilos. Isso fora os enfeites, os colares e as roupas de púrpura que os chefes de Midiã usavam. E sem contar também os enfeites que estavam no pescoço dos seus camelos. 27 Com o ouro Gideão fez um ídolo e o colocou em Ofra, a sua cidade. Então todos os israelitas abandonaram a Deus e iam lá para adorar o ídolo. E isso foi uma armadilha para Gideão e a sua gente. (Jz.8:22-27 NTLH)

1. O povo pede que Gideão se torne rei sobre Israel, mas ele rejeita o pedido. (vs.22,23)

& 22 Os homens de Israel disseram a Gideão: — Você nos salvou dos midianitas. Portanto, seja nosso governador (rei, soberano, dominador). E, depois de você, o seu filho e o seu neto. 23 Gideão respondeu: — Eu não serei governador de vocês, e o meu filho também não. O SENHOR Deus é quem será o governador (rei, soberano, dominador) de vocês. (NTLH)

O povo se esqueceu rapidamente de Deus, pois foi Ele que fez com que Gideão e 300 homens derrotassem milhares de guerrilheiros nômades. Além do mais, os inimigos começaram a guerrear contra si mesmos no seu próprio acampamento. O povo, erroneamente, coloca o valor daquela vitória sobre os ombros de Gideão, e diz: “Você nos salvou dos midianitas”.

Então, estupidamente, os israelitas pediram que Gideão os governasse, ou seja, que os dominasse como qualquer rei dos povos pagãos, que eles tinham conhecimento.

Eles estão olhando para um homem de Deus e tiram o seu foco do SENHOR, transferem a glória de Deus para um homem, que há pouco, era medroso e totalmente inseguro, e pedem que ele os domine! O que eles estão fazendo? Eles estão idolatrando Gideão!

A Bíblia não ensina que você não deve seguir um líder escolhido por Deus, desde que este seja um seguidor fiel de Jesus e o faça seguir a Cristo como ele o faz, porém, você não deve colocar sobre o tal líder a grandeza que pertence somente a Deus. O princípio da idolatria é quando você coloca os atributos de Deus sobre uma pessoa, ou sobre qualquer outra coisa. Assim sendo, essa pessoa ou qualquer objeto passam a ocupar a posição que deveríamos dar a Deus em nossas vidas.

Não é necessário fazer um esforço descomunal para observarmos acerca de quantos líderes religiosos são idolatrados pelos seus seguidores. Eles são tratados como intermediários entre Deus e os homens, sendo que essa posição pertence somente a Jesus, o Único Intermediário entre o Céu e a Terra, ou seja, somente Ele é que pode unir os homens a Deus. (cf. 1 Tm.2:5)

Gideão, de pronto, rejeitou esse pedido, pois sabia no seu íntimo que tal pedido não possuía a aprovação divina. Esse pedido era fruto do sentimento de felicidade de todos, pois acreditavam quem Gideão os salvaria sempre de todos os seus inimigos. Porém, o homem de Deus não roubou a alegria do SENHOR para si e aos seus descendentes, mas disse: “O SENHOR é quem será o Governador (ou Rei, ou Dominador) sobre vocês!” Gideão rejeitou um reino hereditário para si e os seus sobre Israel.

Israel pensou estar de pé, tanto espiritual como moralmente, mas deu um passo de cima para baixo. Querendo honrar o homem de Deus, desonrou ao SENHOR e mostrou que a idolatria ainda reinava em seus corações! Eles não buscaram a direção de Deus para o pedido que fizeram a Gideão.

# Portanto, faça com que Deus seja o dirigente máximo da sua vida por
meio de Cristo e Seu Evangelho.

2. Gideão pede ouro e o seu pedido é prontamente atendido. (vs. 24-27)

& 24 E continuou: — Mas vou fazer um pedido: cada um me dê um dos brincos que tirou dos vencidos. Os midianitas usavam argolas de ouro nas orelhas porque eram gente do deserto. 25 Os homens de Gideão responderam: — Nós os daremos com prazer (de bom grado, com alegre confiança e compromisso) a você. Então estenderam uma capa, e cada um pôs nela os brincos que tinha tomado dos midianitas. 26 Os brincos de ouro que Gideão pediu pesaram quase trinta quilos. Isso fora os enfeites, os colares e as roupas de púrpura que os chefes de Midiã usavam. E sem contar também os enfeites que estavam no pescoço dos seus camelos. (NTLH)

Ao ler a história de Gideão, você perceberá que antes desse momento, foi Deus que sempre o procurou e o orientou. Ele, confiantemente, se submeteu em tudo às ordens divinas. Ele foi obediente e agiu pela fé. Porém, sem consultar a Deus, Gideão pediu que os israelitas trouxessem parte do espólio ou despojo em ouro, que eles tomaram dos inimigos.

Gideão fez o que fez e foi quem ele foi pelo poder e ação divina na sua vida. Deus o liderou e o orientou em todas as coisas, e ele sempre O ouviu. Porém, nesse momento da sua vida, Deus não falou com ele e, por sua vez, Gideão não buscou a Deus em oração para fazer o pedido que fez ao povo.

O que ele desejava com esse pedido? Quando Deus o chamou, uma de suas primeiras ações foi destruir o altar do deus pagão Baal, em Ofra, e construir um altar para Deus, chamando-o de “O SENHOR É PAZ”. Ele quase foi morto por essa ação! Tudo o que fez foi pela direção divina, e não segundo os seus impulsos pessoais. (cf. Jz.6:24 e seguintes)

Ele queria colocar em Ofra uma representação da glória divina, a fim de que todos pudessem engrandecer a Deus. Seus motivos podiam ser corretos, mas a sua atitude independente fez com que ele errasse o alvo e, portanto, pecasse contra Deus.

Então, ao pedir o ouro dos despojos de guerra, Gideão comete um grave erro: ele age com independência de Deus e a sua atitude o conduziria a outro erro muito grave, sobre o qual nós veremos mais à frente.

Deus, nas Suas decisões, sempre tem como propósito dar vida elevada aos Seus. Portanto, quando seguimos as Suas orientações, é certo que seremos abençoados e experimentaremos essa vida elevada com todos os seus recursos. Todavia, quando não seguimos a direção divina, ocorre o oposto!

Certa vez, Jesus havia feito uma cura no dia de sábado e os religiosos começaram a persegui-Lo por isso. Os tais líderes ensinavam que no dia de sábado, nada podia ser feito e, portanto, Jesus estava infringindo as leis religiosas. Porém Ele lhes disse:

& Eu afirmo a vocês que isto é verdade: o Filho não pode fazer nada por sua própria conta (por consideração), pois ele só faz o que vê o Pai fazer (por meio do discernimento, pelo entendimento ou observação cuidadosa). Tudo o que o Pai faz o Filho faz também. (Jo.5:19 NTLH)

Gideão pensava possuir uma condição espiritual e moral suficientemente boa, e agiu. Ele pensou estar de pé, mas deu um passo de cima para baixo.

# Cuidado ao tomar decisões independentes dos ensinamentos de Deus, pois elas prejudicarão a sua vida e as de outras pessoas!

3. Gideão confecciona uma estola sacerdotal, a qual virou objeto de adoração e culto. (v.27)

& 27 Com o ouro Gideão fez um ídolo (em hebraico: ‘ephod, uma vestimenta sacerdotal, usada somente pelo sumo sacerdote) e o colocou em Ofra, a sua cidade. Então todos os israelitas abandonaram a Deus e iam lá para adorar o ídolo. E isso foi uma armadilha (uma isca, um laço, um chamariz) para Gideão e a sua gente. (NTLH)

A palavra “ídolo” se refere a uma vestimenta sacerdotal e, embora Gideão tivesse uma boa intenção, essa vestimenta se tornou um objeto de culto e veneração – tomou o lugar de Deus! Gideão era um homem bom e queria o bem para o seu povo, mas descuidadamente, deixou de observar que as pessoas ainda eram supersticiosas, pelo fato de não conhecerem o caráter e a grandeza de Deus.

Deus não pediu que Gideão fizesse tal coisa, mas ele fez, e cometeu um grande pecado! Gideão reconduziu o povo à idolatria! O texto bíblico nos diz que “isso foi uma armadilha para Gideão e a sua gente.

Gideão não agiu como aprendiz ou discípulo do SENHOR, mas tomou o lugar de Deus e ofereceu ao povo a velha religião, a qual fez com fossem castigados pelo Todo-Poderoso. A sua confecção fez com que o esplendor de Deus se transformasse em ruínas nos corações das pessoas.

Aquele povo experimentaria 40 anos de paz, mas, devido às suas escolhas, o legado que deixariam aos seus descendentes e a muitos que ainda estariam vivos seria novamente o de grandes transtornos e perdas.

Deus abomina a idolatria, pois ela não afeta somente a nossa geração, mas as posteriores também. Infelizmente, o que Gideão fez é o que muitos estão fazendo na igreja hoje em dia, dando às pessoas objetos que servem de substitutos a uma fé verdadeira em Deus, fazendo com que elas voltem às mesmas práticas das quais o SENHOR as libertou no passado.

Muitos irmãos e líderes estão cheios de boas intenções, mas erram o alvo! O pecado pode ser definido de muitas maneiras, mas lhe apresento duas:

  • Há aqueles que querem acertar, mas erram o alvo. São cheios de boas intenções, mas as suas práticas os impedem de agradar a Deus.
  • Há aqueles que vivem longe de Deus e não se preocupam com os Seus alvos para suas vidas. Estes são os ímpios ou rebeldes.

Gideão pensou estar de pé ao liderar o povo à adoração do seu ídolo, mas fez com que todos caíssem, inclusive ele!

# Cuidado com a autossuficiência, pois ela lhe dará um deus falso e o afastará do verdadeiro!

Que Deus sempre nos proteja de vivermos por impulsos próprios e de pensarmos somente em nós mesmos. Que nós permitamos que Deus nos dirija, por meio de Cristo Jesus, a fim de termos uma vida abençoada por Ele e desfrutemos dos Seus recursos enquanto estivermos na Terra.

Que as nossas decisões não prejudiquem nem a nós nem ao nosso próximo, e que andemos sempre em comunhão com o nosso Pai Eterno; para isso, que sigamos os ensinamentos de Jesus, os quais nos darão uma vida alinhada com o SENHOR e a vida eterna!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail