A fé é mais do que acreditar - Parte 39: A fé de Gideão (4) - A fé verdadeira nos conduz à Palavra de Deus

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Hebreus 11:32

Texto Bíblico:

& O que mais posso dizer? O tempo é pouco para falar de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas. (Hb.11:32 NTLH)

Israel viveu um período de bonança, mas, nesse tempo, descuidou do seu relacionamento com Deus e Sua Palavra, pelo fato de ter adotado uma atitude de apatia espiritual e moral. Quando a situação se tornou insustentável, o povo pediu a ajuda de Deus. Porém, e como já vimos, aquelas pessoas precisavam ser disciplinadas pelo SENHOR.

Os israelitas queriam toda a ajuda divina. Eles precisavam dela, mas não estavam preparados espiritualmente nem moralmente falando, para ouvirem e entenderem os conselhos de Deus. Eles viveram anos de apatia espiritual, tornaram-se idólatras e praticantes de uma cultura pagã. Deus precisava lhes falar, mas através de uma pessoa comprometida com Ele, e essa pessoa foi Gideão.

Nós vimos que a apatia espiritual:

  • Cria uma imagem distorcida de Deus.
  • Faz com que coloquemos obstáculos aos propósitos divinos, julgando-nos frágeis e incapazes.
  • Não nos impossibilita que acreditemos em Deus.
  • Faz com que ofereçamos a Deus apenas nossos ritos religiosos.
  • É superada quando todo o nosso interior se enche de temor e passamos a oferecer a Deus uma verdadeira adoração.

Antes de Deus agir a nosso favor, precisamos ser vencidos por Ele, ou seja, a nossa apatia, egoísmo, orgulho e a nossa desconfiança acerca do que o SENHOR pretende fazer em e através de nossas vidas. Deus nunca age somente para nos beneficiar, mas Ele pensa em Seus outros filhos e nos usará para realizar algo na vida deles por nosso intermédio.

Como já vimos, nós não podemos dizer que uma pessoa apática às práticas espirituais corretas não acredita em Deus. Ela acredita que Deus existe, mas não tem fé para andar em harmonia ou fidelidade com Ele.

Por essa razão é que temos visto que “A FÉ É MAIS DO QUE ACREDITAR”! A fé deve nos levar a uma atitude de temor, adoração, confiança, rendição, compromisso aos planos de Deus, por meio de tudo o que nos fala pela Sua Palavra.

Vimos também que Deus vê em nós, ao nosso redor e no curso de nossas vidas, as coisas que não vemos. Deus nos faz enxergar além de nós mesmos, para que sejamos as pessoas que Ele planejou desde a eternidade. (cf. Sl. 139:13-16)

Deus tinha um plano para a vida de Gideão, o qual havia sido divinamente escrito desde a eternidade. O mesmo acontece para cada um de nós. É muito comum ouvirmos dentro das igrejas que Deus tem um plano para este, outro para aquele, mas ninguém descobre qual é! O plano divino a uma pessoa envolve o preparo da sua vida individual, a fim de fortalecer outras pessoas, tanto as que estão na Igreja (fortalecimento, discipulado) como as que não estão (evangelismo).

Gideão precisava aprender a ouvir a voz de Deus, a fim de se comprometer com a Sua palavra e ser obediente. Porém, como os demais, Gideão vivia de modo apático às coisas divinas, e por isso, vivia inseguro e amedrontado. Aquele que é apático e rejeita o conhecimento de Deus, viverá prisioneiro tanto da insegurança como do medo.

Recordemos o que Deus disse a Gideão:

& Então o Anjo do SENHOR apareceu a ele [Gideão] e disse: — Você é corajoso, e o SENHOR está com você! (Jz.6:12 NTLH)

Deus queria que Gideão visse na sua vida as qualidades que somente Ele podia enxergar! Aquela declaração divina despertou nele um grande espanto! Gideão “acreditava” em Deus, mas a exemplo de todos à sua volta, ele era possuidor de uma fé apenas histórica e, naturalmente, improdutiva.

Nós vimos que Gideão, após ter visto quando o Anjo do SENHOR consumiu o alimento com o fogo que brotou da rocha e desapareceu de diante dos seus olhos, percebeu que estava diante do próprio Deus! Recordemos o que ele disse:

& Aí Gideão compreendeu [perceber após examinar, considerar] que era mesmo o Anjo do SENHOR [Jesus, no Velho Testamento] que ele tinha visto. E disse, apavorado: — Ai de mim, SENHOR, meu Deus! Eu vi o Anjo do SENHOR face a face! (Jz.6:22 NTLH)

Para darmos sequência à nossa meditação sobre o desenvolvimento da fé de Gideão, vamos ler Juízes 6:25-29:

& 25 Naquela noite o SENHOR disse a Gideão: — Leve o touro que pertence a seu pai e outro touro de sete anos e derrube o altar do deus Baal que é do seu pai e também o Poste-ídolo que está ao seu lado. 26 Nesse lugar alto e seguro, faça para o SENHOR, seu Deus, um altar de pedras bem arrumadas. Depois pegue o segundo touro e a madeira do poste arrancado e queime tudo no altar como sacrifício. 27 Gideão levou dez dos seus empregados e fez o que o SENHOR tinha dito. Porém, como estava com medo da sua família e do povo da cidade, em vez de fazer isso de dia, fez de noite. 28 De madrugada, quando os homens da cidade se levantaram, acharam o altar de Baal e o Poste-ídolo derrubados e o segundo touro queimado no altar que tinha sido construído ali. 29 E perguntavam: — Quem será que fez isso? Procuraram saber e descobriram que tinha sido Gideão, filho de Joás. (Jz.6:25-29 NTLH)

Nós podemos perceber no texto que lemos, que Deus não precisa se manifestar fisicamente para continuar falando com a pessoa que recuperou a sua fé. Muitas pessoas me perguntam sobre como ouvir a voz de Deus, mas como a ouvirão se vivem para Ele de modo apático? Gideão teve um encontro com o Anjo do SENHOR (o modo como Jesus se manifestava no Velho Testamento) e, através Dele, passou a discernir a voz do Pai Eterno.

  1. 1.Deus tem propósitos ao falar com Seus filhos.
  1. 1.1.A Palavra de Deus revela a realidade de nossas vidas.

Deus fala conosco por meio da Sua Palavra e ela é capaz de nos encher de vida! Ela é mais cortante do que uma espada romana, a qual possuía gumes dos dois lados, dividindo rapidamente e de modo profundo os nossos pensamentos e os nossos desejos mais íntimos em todos os seus detalhes, mostrando-nos quem somos na realidade.

Ela nos mostra se apenas “acreditamos” em Deus ou estamos “dispostos a sermos comprometidos” com Ele. Gideão era medroso, quando, na verdade, por meio da graça divina, era corajoso.

& Pois a palavra de Deus é viva e poderosa e corta mais do que qualquer espada afiada dos dois lados. Ela vai até o lugar mais fundo da alma e do espírito, vai até o íntimo das pessoas e julga os desejos e pensamentos do coração delas. (Hb.4:12 NTLH)

  1. 1.2.A Palavra de Deus nos ensina a viver de modo correto.

Deus fala conosco através da Bíblia e ela é a Sua inspiração para nós. Portanto, ela é útil para nos ensinar o que é verdadeiro e para nos fazer compreender o que está errado em nossas vidas; ela nos endireita e nos ajuda a fazer o que é correto.

& 16 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso para que o servo de Deus esteja completamente preparado e pronto para fazer todo tipo de boas ações. (2 Tm.3:16,17 NTLH)

  1. 1.3.Jesus é a Palavra de Deus e é por meio Dele que ouvimos a Deus e O conhecemos.

& A Palavra (de Deus) se tornou um ser humano (Jesus - o “Anjo do SENHOR” no Velho Testamento) e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E nós vimos a revelação da sua natureza divina, natureza que ele recebeu como Filho único do Pai. (Jo.1:14)

Somente quando estamos abertos para Jesus é que podemos ver a Deus e ouvi-Lo.

& "— O meu Pai me deu todas as coisas. Ninguém sabe quem é o Filho (Jesus), a não ser o Pai (Deus); e ninguém sabe quem é o Pai, a não ser o Filho e também aqueles a quem o Filho quiser mostrar quem o Pai é." (Lc.10:22 NTLH)

Jesus disse:

& Só poderão vir a mim aqueles que forem trazidos pelo Pai, que me enviou, e eu os ressuscitarei no último dia. (Jo.6:44 NTLH)

As pessoas, na época de Gideão, procuraram a ajuda de Deus, mas os motivos eram egoístas, ou seja, os seus interesses pessoais e não tinham como objetivo pedirem perdão, a fim de se alinharem novamente com Deus. Essa busca era como uma atitude pela “tábua de salvação” e, portanto, faltava sinceridade.

Assim como Gideão, conduzido por Deus, viu a natureza (a realidade) divina na pessoa do “Anjo do SENHOR”, nós vimos e vemos a mesma natureza gloriosa de Deus na Pessoa de Jesus Cristo. A Bíblia é a Palavra de Deus e, portanto, toda Palavra escrita na Bíblia é a revelação da Pessoa de Jesus. (cf. Lc.24:27) Quando ouvimos os ensinamentos da Bíblia, ouvimos o que Deus tem a nos dizer por meio de Cristo.

A condição espiritual e moral de Gideão o impedia de ouvir a Deus e de ter um relacionamento profundo e verdadeiro com Ele. Por essa razão, Deus se manifestou visivelmente, ou de forma corpórea, como o “Anjo do SENHOR” a ele, a fim de que seus olhos espirituais fossem abertos e pudesse perceber a grandeza divina.

O mesmo se deu quando Jesus veio a este mundo, pois Deus precisava revelar à humanidade a sua apatia espiritual e moral em relação aos princípios divinos como a crença meramente histórica que a maioria professava.

& 1 HÁ MUITO TEMPO Deus falou de muitas maneiras diferentes aos nossos pais por intermédio dos profetas (em visões, em sonhos e até face a face), contando-lhes pouco a pouco os seus planos. 2 Mas agora, nos dias atuais, Ele nos falou por intermédio do seu Filho a quem Ele deu todas as coisas e por meio de quem Ele fez o mundo e tudo quanto existe. 3 O Filho de Deus resplandece com a glória de Deus e tudo quanto o Filho de Deus é e faz revela que Ele é Deus (...). (Hb.1:1-3ª NTLH)

O povo de Deus ouvia a mensagem divina por meio de homens e mulheres que viviam em comunhão com Ele, e por isso, o SENHOR falava com essas pessoas através de visões e até face a face! Entretanto, a condição espiritual e moral das pessoas as impedia que tivessem a mesma experiência. Essa é a razão de Deus levantar homens consagrados a Ele, a fim de dar às pessoas a mensagem divina.

Isso durou até a vinda de Jesus, quando Deus, deu através Dele, a mensagem do Seu Evangelho, ou seja, a boa notícia àqueles que estavam dispostos a abandonar uma crença histórica e terem uma fé verdadeira e comprometida com o Reino de Deus.

É observando e aprendendo sobre o caráter, a vida e as obras de Jesus, que nós compreendemos quem é Deus e como Ele fala conosco, pois quando O aceitamos em nossas vidas, assumimos o compromisso de procurarmos agir como Jesus sempre agiu, tanto em relação ao Pai como às pessoas.

O meu desejo é que todos nós aprendamos a agir nas diferentes situações com a coragem que Deus nos dá, de acordo com os princípios bíblicos ensinados por Cristo. Jesus disse a Gideão que ele era valente para confiar e fazer a Sua vontade. Portanto, que nós não temamos em nossos dias a confiarmos em Deus e seguirmos os Seus planos.

Na próxima semana, se Deus permitir, continuarei no mesmo texto, procurando explicar que se queremos toda a ajuda divina e ser verdadeiramente abençoados por Ele, nós precisamos romper com as crenças erradas e seguir pelo caminho correto, segundo a Palavra de Deus.

Que nós aprendamos que a fé só é bíblica ou verdadeira, quando somos conduzidos por Deus a Jesus, “a Palavra de Deus que se fez carne”, e só por meio Dele é que aprendemos a ver, ouvir e obedecer ao Pai Eterno.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail