A fé é mais do que acreditar - Parte 34: A fé de Raabe (3) - Tenha medo de Deus

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Hebreus 11:31

Texto Bíblico:

& Foi pela fé que Raabe, a prostituta, não morreu com os que tinham desobedecido a Deus, pois ela havia recebido bem [sob os termos de Deus, em harmonia com Deus] os espiões israelitas. (Hb.11:31 NTLH)

O que nós vimos na semana passada?

  • A fé verdadeira não procede somente “do esforço intelectual”, o qual nos convence de que algo é verdadeiro e pode ser feito.
  • A fé verdadeira não é proveniente somente de “uma série de emoções” que nos dá uma falsa convicção de que Deus agirá de acordo com o que estamos sentindo.
  • A fé verdadeira não resulta somente “da nossa força de vontade”, a qual nos inspira a agirmos de modo corajoso, porém insano.

Vimos também que a fé verdadeira faz com que o intelecto, emoções e a nossa vontade trabalhem juntamente com o Espírito Santo e a Palavra de Deus, a serviço do SENHOR, e não para as nossas conveniências.

A fé verdadeira, antes de tudo, “age na nossa mente”, a fim de que ela receba instruções divinas. A seguir, “as nossas emoções” recebem o saudável estímulo divino, a fim de que “a nossa vontade” se disponha a obedecer às ordens de Deus.

Vamos voltar ao texto histórico no Velho Testamento, o qual se encontra em Josué 2:8-11.

& 8 Antes que os espiões fossem dormir, Raabe subiu ao terraço e disse a eles: 9 — Eu sei que o SENHOR deu esta terra a vocês, os israelitas. (intelecto) Para dizer a verdade, todos nós estamos morrendo de medo [aterrorizados, desmaiados, apavorados]. 10 Soubemos que o SENHOR secou o mar Vermelho diante de vocês quando saíram do Egito. Também ficamos sabendo como, a leste do rio Jordão, vocês mataram Seom e Ogue, os reis dos amorreus, e destruíram os seus exércitos. 11 Quando ouvimos essas coisas, perdemos a coragem e todos nós ficamos com muito medo por causa de vocês. O Deus de vocês, o SENHOR, é Deus lá em cima no céu e aqui em baixo na terra. [submeteu o intelecto e as emoções à realidade divina] (Js.2:8-11 NTLH)

No texto que acabamos de ler, nós percebemos que os habitantes de Jericó, inclusive Raabe, ficaram amedrontados ou aterrorizados com a chegada dos israelitas.

1. O que é o medo?

O medo é o estado emocional provocado pela consciência ou conhecimento que se tem diante do perigo, ou seja, aquilo que provoca essa consciência. Grande inquietação em relação a alguma situação desagradável, a qual pode acarretar na possibilidade de um insucesso ou em perdas pessoais. O pavor ou o terror é a ênfase do medo. Então, você pode ser tomado pela preocupação intensa ou ansiedade aflitiva.

2. Aceite a proposta divina para colocar a sua ansiedade sob o Seu poder e cuidado.

O medo faz com que você pense por antecipação sobre algo ruim, desagradável ou trágico que está para acontecer, e uma preocupação intensa se instala, gerando em seu ser uma enorme aflição ou ansiedade. A proposta divina é que confiemos no Seu cuidado e que entreguemos a Ele as nossas aflições.

Como o apóstolo Pedro orienta os cristãos acerca da preocupação ou ansiedade?

& Entreguem todas as suas preocupações [ansiedade] a Deus, pois ele cuida [está cuidando] de vocês. (1 Pe.5:7 NTLH)

Este verso não pode ser interpretado isoladamente do seu contexto. O apóstolo Pedro dá essa orientação a quem está disposto a se colocar sob a poderosa mão de Deus, a fim de ser honrado no tempo certo. (cf. 1 Pe.5:6) A seguir, ele diz as razões de entregarmos as nossas preocupações a Deus:

  • A ansiedade nos cega a tal ponto, que deixamos de vigiar sobre as ações do Diabo, a fim de destruir a nossa fé. (cf. 1 Pe.5:8)
  • A ansiedade faz com deixemos de lutar contra o mal, devido ao enfraquecimento da fé. (cf. 1 Pe.5:9)
  • A ansiedade faz com que pensemos que somos os únicos sofredores neste mundo. (cf. 1 Pe.5:9)
  • A ansiedade faz com que deixemos de olhar para o amor divino, para a nossa comunhão com Cristo e para o trabalho divino em aperfeiçoar a nossa fé Nele. (cf. 1 Pe.5:10)
  • A ansiedade faz com que deixemos de confiar no poder eterno de Deus. (cf. 1 Pe.5:11)

O texto nos diz que Raabe ficou amedrontada com a presença do povo de Deus nas proximidades de Jericó, porém, diferentemente dos outros moradores da cidade, ela entregou os seus caminhos a Deus. Apesar do pouco conhecimento que possuía do SENHOR, ela confiou Nele. Como veremos em outras meditações sobre Raabe, no tempo certo, Deus honrou a sua fé, ou seja, a sua fidelidade e obediência ao Eterno.

3. “Tema ao SENHOR” e permaneça sempre ao lado Dele, pois essa decisão fará com que você tenha uma vida abençoada.

Nunca se esqueça do que Moisés disse ao povo de Deus antes da travessia do rio Jordão, rumo à Terra Prometida:

& E Moisés disse ao povo: — Hoje vou deixar que vocês escolham [“permito que se comprometam..., que se estabeleçam...”] se querem bênção ou maldição. (Dt.11:26 NTLH)

Sempre que alguém ouve a mensagem divina, terá que escolher sobre o que estabelecerá a sua vida: sobre os princípios divinos ou sobre a cultura mundana, a qual está afastada de Deus. Concordo que essa decisão não é fácil ao ser humano, mas Deus exige tal escolha!

Essa escolha não se baseia sobre as coisas materiais que você ou eu podemos receber de Deus. Não é a escolha entre ser curado ou continuar doente, entre a satisfação ou êxito pessoal e o infortúnio, entre ganhos e perdas, mas entre ter a vida ou ser condenado à morte, ou seja, ter uma vida afastada de Deus, tanto aqui como eternamente. Todo aquele que ouve o Evangelho terá que decidir entre o Céu e o Inferno, entre a vida e a morte!

Não é exagero dizer que o medo entra em cena! Se eu me entregar a Deus, serei outra pessoa? Terei que abandonar certos hábitos, amigos, lugares, prazeres e até vir a perder certos bens ou regalias? SIM! Deus determinará o que é nocivo ou não a cada um, e a pessoa deverá andar sob o Seu governo, a fim de retomar o caminho que lhe foi traçado pelo Eterno antes até do seu nascimento.

A decisão não deve ser postergada ou adiada, mas deve ser tomada imediatamente. Uma vez que você toma uma decisão ao lado da Verdade divina, entrará em um processo de aperfeiçoamento da fé, e o próprio SENHOR levantará pessoas para fortalecê-lo na sua caminhada em comunhão com Ele.

Os habitantes de Jericó experimentaram a ênfase do medo, ou seja, o pavor ou o terror da situação. Imagine uma cidade não tão grande, mas cercada por milhões de pessoas que vieram para tomá-la e destruí-la. Os habitantes de Jericó sentiram medo de perder o que possuíam e o que conquistaram ao longo dos anos. Então, nada mais que natural sentirem-se amedrontados, quase ao ponto de desmaiarem!

Entretanto, em vez de agirem como Raabe, que confiou em Deus, eles confiaram nas muralhas, como se elas pudessem deter o poder do Grande e Poderoso Deus, que havia vencido o poderoso exército do Faraó e que abriu o Mar Vermelho! Raabe, por sua vez, agiu com confiança e determinou a si mesma a entregar ao SENHOR tudo o que ela possuía, tanto o seu presente como o seu futuro ao governo de Deus.

Raabe agiu com temor a Deus, ou seja, ela O respeitou, teve uma atitude reverente e se alinhou com Ele. Enquanto isso, os outros moradores pensaram somente no que perderiam e confiaram em pedras edificadas para protegê-los.

Muitas mensagens que se dizem cristãs, apenas levam as pessoas a decidirem por um conjunto de “boa sorte” em suas vidas. Elas não decidem por Deus, mas pelo que querem. Por que agem assim? Porque têm medo! Medo de perderem o que têm e por medo de não terem fé para alcançar o que querem, elas aceitam comprar todo tipo de “amuletos gospel” e participar de certas práticas que visam lhes dar a garantia divina de que elas serão atendidas.

Então, como não conhecem o caráter divino, elas são ensinadas a vê-Lo como Alguém bondoso, amoroso, que odeia o pobre e ama o rico, que sempre dá riquezas a todos que creem, que cura a todos, que destrói todos os inimigos à frente e que reparte o Seu poder com qualquer pessoa que crê. Entretanto, essas pessoas nem sabem em quem estão crendo, pois o que lhes é passado é uma imagem distorcida do verdadeiro caráter do Todo-Poderoso. Ele é quase tudo o que afirmam ser, mas Deus é justo, odeia tanto o pecado como aquele que não o abandona.

Todos nós aprendemos que de Deus não se zomba, pois aquilo que plantamos será o que colheremos. Nós temos que “decidir” sobre o que iremos plantar em nossas mentes e em nossas vidas. Nós devemos “decidir” se plantaremos em nós o “temor ao SENHOR” ou o medo, tanto do futuro como dos homens.

Jesus certa vez disse:

& 4 Jesus continuou: — Eu afirmo a vocês, meus amigos: não tenham medo daqueles que matam o corpo, mas depois não podem fazer mais nada. 5 Vou mostrar a vocês de quem devem ter medo: tenham medo de Deus, que, depois de matar o corpo, tem poder para jogar a pessoa no inferno. Sim, repito: tenham medo de Deus. (Lc.12:4,5 NTLH)

As palavras de Jesus são claras! “Tenham medo de Deus!” O Evangelho exige compromisso com o SENHOR e os princípios que regem o Seu Reino ou Governo. Ao ingressar na vida com Cristo, você terá que se posicionar de modo contrário para com certas práticas que antes você aprovava, venham elas de homens ou de circunstâncias, mas que são desaprovadas por Deus.

Isso lhe causará certos incômodos e até medo, mas, em vez de temer aos homens, tenha medo de Deus, pois o “temor ao SENHOR” é o caminho para se alcançar uma vida digna e sábia, a fim de adquirir a verdadeira compreensão das coisas. (cf. Pv.1:7; 9:10; 15:33; Jó 28:28; Sl.111:10)

A fé bíblica é mais do que acreditar, mas ela nos leva a um compromisso sério com Deus, por meio do Evangelho de Cristo. A fé verdadeira ou bíblica não é regida por atitudes fanáticas, as quais são formadas na escola da “ignorância cristã”, mas ela age pelo poder do Espírito Santo e da Palavra de Deus no nosso íntimo e nos enche de coragem, do poder do Alto, de amor, e nos torna pessoas equilibradas.

Leia comigo as palavras do apóstolo Paulo:

& "Pois o Espírito que Deus nos deu não nos torna medrosos [tímidos, covardes]; pelo contrário, o Espírito nos enche de poder [virtude espiritual e moral] e de amor [boa vontade, benevolência] e nos torna prudentes [disciplinados mentalmente e emocionalmente controlados pelo uso da razão, quando aconselhados ou censurados]." (1 Tm.1:7 NTLH)

A minha esperança é que não tentemos nos colocar contra Deus! Que não fechemos as portas da nossa alma para Ele! Esse mundo em que vivemos será destruído – totalmente exterminado. Então, o que faremos? Desistiremos de tudo?

Sejamos as pessoas que Deus espera que sejamos. Que nós saibamos abençoar prudentemente as pessoas que Ele próprio nos traz. Que sejamos úteis à nossa sociedade, pelos princípios do Reino de Deus. Que a exemplo de Jesus, sejamos tementes a Deus até a hora da nossa morte.

O meu desejo é que todos nós alcancemos a Sua misericórdia e, aprovados por Ele, vivamos pelos princípios da “Vida Eterna” que Jesus nos deu, e nela moremos eternamente!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail