A fé é mais do que acreditar - Parte 28: A fé de Moisés (2) - A fé de Moisés

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Hebreus 11:24-27

Texto Bíblico:

& 24 Foi pela fé que Moisés, quando já era adulto, não quis ser chamado de filho da filha de Faraó. 25 Ele preferiu sofrer com o povo de Deus em vez de gozar, por pouco tempo, os prazeres do pecado. 26 Ele achou que era muito melhor sofrer o desprezo por causa do Messias do que possuir todos os tesouros do Egito. É que ele tinha os olhos fixos na recompensa futura. 27 Foi pela fé que Moisés saiu do Egito, sem ter medo da raiva do rei, e continuou firme, como se estivesse vendo o Deus invisível. (Hb.11:23-27 NTLH)

A fé de Moisés nos ensina o seguinte: a fé bíblica ou a verdadeira nos capacita a abrir mão de muitas coisas, a considerá-las como objetos de segundo plano, por causa da vontade de Deus em nossas vidas. Porém, que coisas? Segundo o nosso texto, posição social, riquezas e uma vida sem sofrimentos e rejeições.

A fé bíblica vai além de simplesmente acreditarmos em Deus, pois ela sempre faz com que nos movamos de um ponto a outro, segundo a vontade do Criador, o Deus Todo-Poderoso. A fé bíblica sempre nos leva, no sentido exato do termo, a andarmos com Deus e fazermos a Sua vontade.

Como seremos capazes de trocar os nossos próprios interesses pelos de Deus? Isso ocorre quando permitimos que a Palavra estruture nossas vidas sobre a Verdade divina. A Verdade do SENHOR entra de tal maneira em nossos corações, a ponto de desprezarmos a nós mesmos para desejarmos agradar a Deus, pois a Sua recompensa é muito melhor.

& Sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai a ele precisa crer que ele existe e que recompensa os que procuram conhecê-lo melhor. (Hb:11:6 NTLH)

Como já afirmei acima, a fé verdadeira é mais do que acreditar em Deus, pois quando ela age em nós, sempre nos moverá de uma dimensão para outra, de um lugar para outro, segundo a vontade de Deus. O mesmo princípio se aplica na vida natural, ou seja, quando você gosta de uma pessoa, confia e se casa com ela, você deixa o conforto da casa de seus pais por causa de alguém muito especial.

Quantos jovens não gostariam de estar na posição de Moisés? O Egito era uma potência e possuía técnicas de extração de minério, sistemas de irrigação, técnicas de produção agrícola e uma medicina avançada para a sua época.

O país dispunha de um sistema de matemática e engenharia muito avançado para o seu tempo. Construiu pirâmides, palácios, obeliscos e grandiosos templos, obras estas ainda admiradas nos dias atuais.

O Egito era um centro cultural, artístico e literário. Era uma terra com muitas riquezas e oportunidades. Moisés, ainda jovem, vivia em meio a tudo e, por ser filho da filha de Faraó, era conhecido, importante e até invejado por muitos.

Hoje em dia, muitos lutam e se sacrificam para conseguir um lugar de destaque e prosperidade, a fim de alcançarem uma posição social privilegiada. Os sonhos de deixar a vida comum e conquistar a fama, dinheiro e poder estão no coração da maioria dos homens. Moisés alcançou tudo isso e, de repente, resolveu abandonar todas essas coisas! O que ele desprezou?

Primeiro: Moisés despreza a sua posição social e os prazeres que essa condição lhe dava. (v.24,25)

& 24 Foi pela fé que Moisés, quando já era adulto, não quis ser chamado de filho da filha de Faraó. 25 Ele preferiu sofrer com o povo de Deus em vez de gozar, por pouco tempo, os prazeres do pecado. (NTLH)

Segundo: Moisés despreza as riquezas do Egito, em troca da recompensa divina. (v.26)

& 26 Ele achou que era muito melhor sofrer o desprezo por causa do Messias do que possuir todos os tesouros do Egito. É que ele tinha os olhos fixos na recompensa futura. (NTLH)

Terceiro: Moisés despreza as ameaças do Faraó e sai do Egito seguindo as orientações divinas. (v.27)

& 27 Foi pela fé que Moisés saiu do Egito, sem ter medo da raiva do rei, e continuou firme, como se estivesse vendo o Deus invisível. (NTLH)

Pense:

  • Como Moisés desprezou a sua condição social e os prazeres da sua juventude?
  • Como Moisés desprezou as riquezas que ele possuía no Egito?
  • Como Moisés teve coragem para enfrentar a fúria do Faraó?

A pretensão do meu questionamento é levá-lo a pensar acerca do meio usado por Moisés, com o qual ele preteriu ou desprezou todas essas coisas, as quais a maioria das pessoas do nosso tempo não desprezaria. O meio foi a fé! Por causa do Messias – Jesus, o Cristo!

Porém, como podemos dizer que Moisés possuía fé em Deus, se ele vivia no palácio do Faraó? Não se esqueça do que vimos na semana passada, quando Deus fez com que ele fosse criado pela sua própria mãe, com a permissão da princesa egípcia.

Quando estava grande, ou seja, já educado por sua mãe, Joquebede, Moisés foi entregue por ela à princesa. Porém, antes de ir ao palácio, conforme o combinado, ele aprendeu as histórias do seu povo e do futuro Messias – Jesus, o Único e eterno Libertador! Como é importante que os pais eduquem seus filhos nos caminhos de Deus, por meio das Sagradas Escrituras! (cf. Pv.22:6)

& Eduque [dedique-se a treinar, a ensinar] a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele. (Pv.22:6 NTLH)

A semente divina foi plantada no coração do menino Moisés por sua mãe e nunca mais saiu de lá, mesmo vivendo em um ambiente “mundano” e oposto ao de seus patrícios hebreus. Ainda que não entendesse, dentro de Moisés, o SENHOR semeou um chamado, uma missão que o transformaria no libertador do povo de Israel da escravidão do Egito.

A atitude de fé por parte de Moisés fez com que ele desprezasse todas as coisas que possuía no Egito e não permitiu que elas tomassem o lugar de Deus na sua vida e, por conseguinte, a missão divina que já estava no seu coração. Ele não tinha pleno conhecimento da sua missão, mas se condoeu com o sofrimento do seu povo. Ele teria que ser treinado por Deus, o que se deu no deserto do Sinai.

Então você me questiona: "Walter, para seguir a Deus eu terei que abandonar a minha posição social? Todas as coisas materiais que possuo? Desrespeitar plenamente o princípio de autoridade?" É claro que não! Você não foi chamado para ser “um ou uma Moisés”, mas Deus lhe chamou para pertencer totalmente a Ele e também para conduzir pessoas para fora de ambientes ou circunstâncias, a fim de que passem a servir ao Eterno.

O que nós podemos aprender com a fé de Moisés?

1. A família é o berço da fé. Então, pais, treinem os seus filhos a terem fé em Deus, por meio da Palavra de Deus.

Onde a fé começa? Dentro da sua própria casa! Como pais cristãos, vocês têm o dever de treinar seus filhos a amarem a Deus, ao Seu povo, a Igreja e aquele que longe Dele está. Porém, como vocês farão isso se o Reino de Deus não ocupa o primeiro lugar em suas vidas?

Reflita sobre como você está se relacionando com seus filhos:

  • Se vocês conversam apenas sobre dinheiro, os seus filhos crescerão materialistas, mesquinhos, pensando que a vida se resume em conseguir riquezas. (veja 1 Timóteo 6:10,11)
  • Se você fala sobre o quanto espera que eles sejam grandes, importantes, que alcancem o topo da vida a qualquer custo, a quem eles respeitarão e servirão? (veja Mateus 20:26-28)
  • Se com os seus filhos vocês conversam o tempo todo sobre mágoas e tristezas que revelam a falta de perdão às pessoas, eles crescerão cheios de ódio, nunca aprenderão a perdoar e nunca superarão as suas próprias mágoas, pois estão sendo educados em um ambiente cheio de ódio. (veja 1 Coríntios 13; Colossenses 3:13)
  • Porém, se vocês derem o exemplo de uma fé bíblica sobre como amar a Deus, de um comprometimento sincero com a Sua Igreja, com o Seu povo e sobre os Seus planos futuros, eles serão treinados para servirem e respeitarem a "mensagem" (o Evangelho) do SENHOR. Eles aprenderão a buscar, primeiramente, o Reino de Deus, o modo de vida que O agrade, e serão pessoas dignas e abençoadoras. (veja Mateus 6:33; João 2:17; Filipenses 1:27; Mateus 5:16; Gálatas 6:2; Atos 20:35)

Cuidado com as suas conversas informais!

O mesmo se aplica ao seu relacionamento com outras pessoas, pois elas o conhecerão por meio das suas palavras. Segundo o Senhor Jesus, “pois a boca fala do que o coração está cheio.” (cf. Mateus 12:34)

Entenda que nada deve ocupar o lugar de Deus e da sua missão em Cristo neste mundo.

Moisés, com certeza, aprendeu com os seus pais a consagrar a Deus a sua vida e a colocar em segundo o seu próprio prazer ou interesses pessoais, a fim de que ele não fosse impedido de alcançar as recompensas divinas, as quais são maiores do que tudo o que ele e nós podemos ter e ver!

Para Joquebede, Moisés era a sua maior riqueza, e ela, pela vontade de Deus, o entregou aos Seus cuidados. Os pais de Moisés nunca duvidaram dos planos divinos, tanto para a sua família como para o povo de Deus. Eles tinham fé nas promessas acerca de um novo lugar para o povo de Deus – a “Terra Prometida”. Moisés seguiu o exemplo de seus pais, pelas sementes que foram plantadas no seu coração.

Você não é “um Moisés”, mas foi chamado para conduzir pessoas para fora da morte para a vida em Cristo.

Você, a exemplo de Moisés, foi chamado para fazer por outras pessoas o que elas não conseguem e não sabem como fazer por si mesmas, ou seja, conhecer os caminhos de Deus, por meio de Cristo, o Messias. (cf. v. 26)

Como eu já disse, seja na sua casa ou em qualquer outro lugar, Deus colocará pessoas no seu caminho para que você as conduza a Ele, por meio do Evangelho de Cristo. Elas não sabem como fazer isso! Para tanto, você terá que se despir de muitos sonhos pessoais, do orgulho, do egoísmo e, muitas vezes, dos seus interesses para abençoar o seu próximo.

A coisa mais difícil neste mundo é desistirmos do que queremos e sonhamos para nos submetermos a Cristo Jesus com toda a confiança na Sua graça e poder.

Eu gostaria de terminar esta meditação, voltando ao verso 26 do nosso texto base e destacar duas razões, que fizeram com que Moisés desistisse do que era para ser a pessoa que Deus planejou:

& 26 Ele achou que era muito melhor sofrer o desprezo por causa do Messias do que possuir todos os tesouros do Egito. É que ele tinha os olhos fixos na recompensa futura. (NTLH)

Ele aprendeu sobre o Messias, o Cristo, ou seja, Jesus. Ele não olhou para o momento, mas para o futuro, para a eternidade! A fé de Moisés expressava a mesma atitude que aprendemos de Jesus:

& Porque vocês já conhecem o grande amor do nosso Senhor Jesus Cristo: ele era rico [abundante nas virtudes espirituais e posses eternas], mas, por amor a [no lugar de] vocês, ele se tornou pobre [aceitou a impotência, a pobreza humana] a fim de que vocês se tornassem ricos [ricamente supridos com as Suas virtudes espirituais e riquezas eternas] por meio da pobreza dele. (2 Co.8:9 NTLH)

Nós não sabíamos como alcançar a Deus. Nós tínhamos uma ideia Dele, mas não um relacionamento com Ele. Tínhamos uma religião, mas não estávamos conectados com o Pai Eterno. Então, por meio de Jesus, nós reconhecemos a nossa pobreza espiritual e moral, a fim de nos submetermos ao Seu Governo (Reino de Deus), o qual é, por hora, espiritual, mas que se estabelecerá sobre a Terra, e então, todos os grandes e pequenos reconhecerão a Sua soberania.

O apóstolo Paulo diz:

& 5 Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar que Cristo Jesus tinha: 6 Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. 7 Pelo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano, 8 ele foi humilde e obedeceu a Deus até a morte — morte de cruz. 9 Por isso Deus deu a Jesus a mais alta honra e pôs nele o nome que é o mais importante de todos os nomes, 10 para que, em homenagem ao nome de Jesus, todas as criaturas no céu, na terra e no mundo dos mortos, caiam de joelhos 11 e declarem abertamente que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus, o Pai. (Fp.2:5-11 NTLH)

A minha esperança é que você enxergue este mundo como Moisés e sua família o viram em seu tempo: ele se tornará cada vez pior e a única saída é deixá-lo. Entretanto, como faremos isso? Por nós mesmos é impossível! Nós precisamos de um “Libertador”, e a exemplo de Moisés, Deus já nos deu! O Seu nome é Jesus! Ele é quem nos levará para o destino final de nossas vidas – o Céu, a Eternidade, a “dimensão que Deus preparou para todos aqueles que O amam, O obedecem e andam com Ele com prazer!”

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail