A fé é mais do que acreditar - Parte 22: A fé de Isaque - Comum, mas extraordinário!

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Hebreus 11:20

Texto Bíblico:

& Foi pela fé que Isaque prometeu bênçãos para o futuro a Jacó e a Esaú. (Hb.11:20 NTLH)

Nós precisamos entender que:

  • Deus não avalia as pessoas do mesmo modo que a sociedade moderna.
  • Todo aquele que se alinha com Deus deve aprender a romper seus laços com as tradições humanas e a confiar nas orientações divinas.

1. A sociedade moderna exalta os célebres, sem observar seu caráter.

Como é a sociedade em que vivemos? Vivemos em uma sociedade que valoriza aquilo que é grande e sensacional, sem dar importância se os princípios usados são sadios ou não. Se algo for sensacional e der resultados, será aceito por ela. Desse modo, a sociedade se torna fria, opressora, e na maioria das vezes, desumana. Nos dias atuais, as celebridades ou famosos são exaltados pela maioria da sociedade.

É incrível como a sociedade moderna exalta pessoas, sem se importar se o comportamento exibido por elas é bom ou mal. O que importa é o que elas fazem de grande, sensacional, extraordinário, e se oferecem alguma vantagem. Há poucos anos atrás, aqui no Brasil, nós ouvíamos a expressão de alguns para aceitar certas pessoas engajadas na vida pública: “Ele rouba, mas faz!

Infelizmente, a sociedade moderna se dispõe a acreditar e a confiar nas pessoas que produzem grandes resultados, sem questionar o caráter e os seus objetivos pessoais, desde que elas mostrem o caminho para o extremo prazer, alguma prosperidade material, vitórias pessoais, fama e grandeza.

2. Cuidado com os métodos e soluções mirabolantes!

Em referência à Igreja, muitos pastores, sabendo que é Deus quem chama pessoas para serem salvas (cf. Atos 2:47), desesperadamente atendem a certas conferências, nas quais lhes é prometido mirabolantes “métodos de crescimento financeiro, numérico e explosivo” da Igreja. Todavia, as que discutem sobre os assuntos de desenvolvimento do caráter espiritual, moral e ministerial não são tão assistidas pelos líderes cristãos.

Vários desses palestrantes que vêm ao Brasil têm tido problemas com a justiça em seus países, ou estão sob vigilância das autoridades legais, porém, o importante para muitos são os resultados que eles prometem, através dos seus métodos revolucionários. Parece que o que mais importa é o tamanho da pirâmide e não o caráter do construtor!

Muitos livros têm sido escritos, afirmando possuírem as chaves para solucionar todo tipo de situações adversas que nos afligem e poucos que falam do caráter, da Pessoa, dos planos divinos e da nossa obrigação em responder ao Seu chamado e à escolha divina que recebemos.

3. Aprenda com os simples de coração, os que verdadeiramente são comprometidos com Deus.

A verdade é que podemos aprender muito acerca de uma vida com Deus, por meio de pessoas simples e não famosas, pela comunhão e respeito que têm para com o SENHOR, devido ao conhecimento que possuem do Seu caráter.

Algumas dessas pessoas estão ao nosso lado e passam despercebidas, pois elas não nutrem os nossos sonhos pessoais. Porém, “quando mantemos comunhão” com os que a têm com Deus, em unidade com Cristo e Seu Evangelho, como não ter os olhos abertos para a realidade divina e a busca por uma vida elevada?

4. Tanto os grandes como os de menos expressão são importantes no Reino de Deus.

Em muitas conferências e pregações, os líderes cristãos gostam de citar os homens, tanto do passado como do presente, que reuniram e reúnem multidões diante das suas pregações. Porém, a Igreja, tanto a do presente como a do passado, não depende e não dependeu somente desses grandes homens, mas de todos os que verdadeiramente estão e estavam comprometidos com o Evangelho verdadeiro e exercendo o seu trabalho espiritual em Cristo Jesus.

Falando do tempo presente, muitos deles trabalham em pequenas cidades e aldeias desconhecidas, cumprindo o mesmo trabalho que esses grandes homens exercem em grandes centros urbanos e mega igrejas.

Nós, ao usarmos a Bíblia, citamos a fé de Enoque, Noé, Moisés, Gideão, Daniel, Pedro, Paulo e tantos outros que realmente demonstraram uma fé ardente e verdadeira. Porém, quantas pregações nós ouvimos sobre a “fé de Isaque”?

Enoque, pela fé, andou com Deus e foi levado aos Céus pelo SENHOR. Noé, pela fé, construiu uma arca. Moisés, pela fé, libertou o povo de Deus do Egito. Gideão, pela fé, lutou e venceu os inimigos do povo de Deus com poucos homens. Daniel, pela fé, não se sujeitou às exigências dos pagãos e saiu ileso da cova dos leões. Pedro e Paulo andaram pela fé, fizeram milagres, expulsaram demônios, fizeram prodígios e fortaleceram a Igreja. Porém, o que Isaque fez para ser citado na galeria dos homens de fé em Hebreus 11?

Isaque era o filho único de Abraão, e este, pela fé, obedeceu a Deus quando lhe pediu que oferecesse o seu filho em sacrifício no Monte Moriá. Isaque participou desse acontecimento e viu a fé do seu pai em ação.

Com toda a certeza, Isaque guardou aquele acontecimento na sua memória, assim como tantos outros. Seu pai foi um grande homem e, pela fé, agiu com grandeza espiritual perante o SENHOR. Porém, o que nós mais sabemos de Isaque é que ele foi filho único de Abraão, um pai muito famoso!

O que marcou a sua vida?

  • Seu nascimento foi um ato sobrenatural de Deus e, portanto, um milagre.
  • Isaque foi o alvo da promessa de Deus para abençoar todos os povos da Terra.
  • Ele não morreu em uma experiência significativa, devido aos planos de Deus.

A Bíblia não diz que ele foi profeta ou pregador, que curou pessoas, fez milagres ou expulsou demônios. Mas diz que ele acertou e errou várias vezes. Como nós, ele foi um homem comum com altos e baixos na sua experiência com Deus. Vejamos:

Ele errou, por medo de ser morto, ao dizer que Rebeca, a sua esposa, era apenas sua irmã. (cf. Gn.26:1-11)

  • Ele acertou ao permanecer na terra que Deus lhe disse para peregrinar. (cf. Gn.26:2-5,12-14)
  • Ele agiu corretamente, quando diante da inveja dos filisteus pela sua fortuna, teve paciência e confiou no SENHOR. (cf. Gn.26:15-25)
  • Ele errou, quando queria abençoar Esaú, o filho mais velho, em vez do filho mais novo (Jacó), mesmo tendo recebido as orientações de Deus sobre quem ele deveria abençoar. (cf. Gn.25:21-23)

Entretanto, há algo de interessante que eu gostaria de destacar no nosso texto base:

& 20 Foi pela fé que Isaque prometeu bênçãos para o futuro a Jacó e a Esaú. (NTLH)

5. Siga sempre o que Deus determinou, ainda que o seu coração fique abalado.

Segundo os costumes da época, o filho mais velho teria o direito da primogenitura, mas a vontade de Deus era mudar esse costume. Isaque se entristeceu por não abençoar o mais velho do mesmo modo como abençoou Jacó, o filho mais novo. Então, como pôde ter ele agido pela fé?

Essa bênção não era uma mera formalidade social, mas a afirmação ou a aprovação do próprio Deus, e Isaque acreditava nisso de todo o coração. Ao dar a bênção divina ao seu filho, Isaque estava declarando a sua fé em Deus, na Sua Palavra e nos Seus planos futuros para abençoar todas as pessoas da Terra. Isaque, ao abençoar Jacó e não Esaú, não voltou atrás e confirmou o seu ato feito com fé no SENHOR.

Por que a “sociedade cristã” não exalta Isaque? Por que não ouvimos tantas pregações sobre a fé de Isaque. Porque ele não buscou fama, não realizou algo extraordinário que arregalasse os nossos olhos! Ele é o tipo de pessoa que a nossa sociedade moderna também não exaltaria.

Todavia, Deus não diz que sem fama, sem prosperidade material ou alguém que é grandioso pelos seus feitos O agrada. Porém, Ele diz que:

& Sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai a ele precisa crer que ele existe e que recompensa os que procuram conhecê-lo melhor. (Hb.11:6 NTLH)

6. Confie na avaliação divina, aprenda com ela e você alcançará a felicidade.

A avaliação de Deus difere da nossa e Ele avaliou Isaque de acordo com os Seus critérios, da mesma maneira como considerou Elias, Noé, Ló, Davi, Pedro e tantos outros que tiveram seus altos e baixos na experiência de vida com o SENHOR.

Certa vez, uma mulher, ouvindo os ensinamentos de Jesus, disse:

& (...) Como é feliz a mulher que pôs o senhor no mundo e o amamentou! (Lc.11:27 NTLH)

Então, Jesus disse:

& Mas Jesus respondeu: — Mais felizes são aqueles que ouvem a mensagem de Deus e obedecem a ela. (Lc.11:28 NTLH)

Diante de todos os ensinamentos de Jesus, nós precisamos nos voltar para a base deles e tudo começa com este:

& Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois o Reino do Céu é delas. (Mt.5:3 NTLH)

Em vez de nos acharmos tão fortes e poderosos, tanto em nossas ações como nas nossas avaliações, deveríamos olhar para dentro de nós mesmos e concordarmos com Deus sobre quão longe Dele estamos. Nós precisamos considerar a nossa pobreza espiritual, moral e o nosso desejo de vivermos comprometidos com princípios que regem o Reino de Deus.

7. Sujeite-se a Jesus, pois Nele está toda a providência divina; assim você entenderá a razão da sua vida.

Nós precisamos aceitar humildemente o trabalho divino em nosso ser, o qual visa o nosso alinhamento com Ele. Que nos voltemos para Deus e permitamos que Ele dirija as nossas vidas com a confiança nas Suas provisões.

Para efeito histórico e cultural, muitos judeus tradicionais não aceitam Jesus como o Primogênito de Deus pela seguinte razão: o povo de Israel é chamado por Deus como o Seu primeiro filho (cf. Êx.4:22), entretanto, Jesus é maior do que Israel e que lhe dá prazer ou alegria. (cf. Cl.1:15; Mt.3:17; Is.42:1) A tradição diz que o primeiro tem a primazia sobre o segundo, mas isso pouco significa diante dos critérios de Deus.

Então, tanto Israel como tudo o que foi criado devem se sujeitar a Jesus, pois Ele, segundo Deus, é o “Primogênito” de toda a criação. Deus estabeleceu que o “Segundo” (Jesus) é maior do que o “primeiro” (Israel).

Todo o povo de Deus deveria lembrar que o SENHOR não se prende aos costumes humanos e Ele diz que as palavras de Jesus devem ser observadas, em vez da tradição humana.

Eu gostaria que você se lembrasse do que aconteceu no momento em que Jesus se transfigurou diante dos Seus discípulos: o que Deus disse?

& Enquanto Pedro estava falando, uma nuvem brilhante os cobriu, e dela veio uma voz, que disse: — Este é o meu Filho querido, que me dá muita alegria. Escutem o que ele diz! (Mt.17:5 NTLH)

Todo aquele que ouve e procura tanto se comprometer como obedecer aos ensinamentos e à missão dada por Jesus será abençoado por Deus. O apóstolo Paulo nos diz o seguinte:

& Agradeçamos ao Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo, pois ele nos tem abençoado por estarmos unidos com Cristo, dando-nos todos os dons espirituais do mundo celestial [com tudo o que é superior à humanidade e que pertence a Deus]. (Ef.1:3 NTLH)

É natural que a sociedade desprezará essa grande verdade e, infelizmente, muitos cristãos também a desprezam. Por essa razão é que todos eles perdem as mais ricas bênçãos de Deus, vivendo angustiados, inseguros, sem esperança e fragilizados tanto no espírito como na mente desistem!

Aos que se esforçam por uma vida em unidade com Cristo, Deus promete lhes dar recursos que ultrapassam a imaginação humana!

Em suma, Jesus realizou coisas extraordinárias e por que Ele não é exaltado pela maioria da sociedade humana? Porque Ele não ensinou aos Seus seguidores a serem grandes e famosos neste mundo! Pelo contrário, Jesus os ensinou a morrerem para si mesmos, a não viverem de modo egoísta, ou seja, colocando a todo o custo os interesses pessoais em primeiro plano.

Jesus ensinou que aquele que desejasse ser grande, deveria se tornar pequeno. Quem quisesse ser servido, antes disso, deveria aprender a servir. Quem desejasse ocupar o primeiro lugar, deveria se contentar com o último. Que em vez de odiar e se vingar, que o amor e o perdão fossem praticados. Que em vez de exaltar os grandes líderes da história humana, que se conhecesse o Deus de toda a história, por meio da educação bíblica. Jesus ensinou que focar a Vida Eterna deveria ter a primazia sobre a vida terrena.

Enfim, tudo o que Jesus ensinou foi para nos tornar pessoas poderosas em Deus, mas úteis a todos os homens, enquanto vivemos uma vida comum entre todos. Ele jamais nos ensinou a pensarmos somente em nós mesmos, mas sermos instrumentos das bênçãos de Deus às pessoas, pelo princípio de “uns para com os outros”. Você acha que o homem comum desejaria essas coisas? Sem a ajuda do Espírito de Deus seria impossível dar a ele essas convicções.

A minha esperança é que você não desanime da sua fé e dos seus valores cristãos, por não serem valorizados pelo mundo. Saiba que a sua fidelidade e o seu serviço cristão não são em vãos perante o SENHOR! Não procure a notoriedade, mas enquanto vive uma vida comum, considere-se extraordinário!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail