Como estou vivendo o tempo que Deus me deu?

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Eclesiastes 3:11

Se você está vivendo como o rei Salomão quando se afastou de Deus e procurou achar o sentido da vida nas coisas terrenas, verá como ele que, tudo neste mundo é inútil e sem sentido; é como correr atrás do vento. Isto aconteceu porque Salomão erroneamente nos mostra dois tipos de sabedoria: (1) a sabedoria que vem de Deus; (2) a sabedoria terrena, o conhecimento humano, um exercício do raciocínio lógico e filosófico.

O livro de Eclesiastes não traz os argumentos de Deus, mas sim, os registros de Deus sobre os argumentos do homem, como um legado, a fim de evitarmos as mesmas buscas insensatas, pois se tentarmos buscar significado em nossas realizações, e não em Deus, seremos sempre vazios, infelizes e perdidos, pois somente Nele entenderemos os Seus Propósitos.

“Deus marcou o tempo certo para cada coisa. Ele nos deu o desejo de entender as coisas que já aconteceram e as que ainda vão acontecer, porém não nos deixa compreender completamente o que ele faz.” (Eclesiastes 3:11)

Pelo fato de sermos criados à imagem de Deus, temos uma sede espiritual e um valor eterno, e isto implica que nada, a não ser o Deus eterno, é capaz de nos satisfazer verdadeiramente.

No seu tempo aqui na terra, Salomão nos mostra o melhor que o homem é capaz de fazer e possuir fora do Evangelho e da graça de Deus. Ele tentou encontrar felicidade na ciência, na filosofia, nos prazeres, na alegria, na bebida, nas edificações, nas possessões, nas riquezas, na música, nas plantações, no esplendor, nas honrarias, enfim, o mínimo capricho tinha de ser satisfeito de imediato. Ele experimentou a vida ao máximo, e por fim, assim inicia o livro de Eclesiastes:

“São estas as palavras do Sábio, que era filho de Davi e rei em Jerusalém, É ilusão, é ilusão, diz o Sábio. Tudo é ilusão.” (Eclesiastes 1:1,2)

Então, pense a respeito daquilo que você considera valioso em sua vida, em que você emprega seu tempo, sua energia e seu dinheiro. Será que um dia você olhará para trás e concluirá que todas estas coisas também eram vaidades?

Precisamos trabalhar e fazer tantas outras coisas, porém com moderação, separando tempo para cumprirmos os propósitos do Senhor e para desfrutarmos dos presentes que Ele nos concede, pois é Ele quem dá tanto as tarefas como as recompensas.

Saiba que tudo, sem Deus, é nada, mas o pouco que verdadeiramente vem de Deus se torna tão grande e importante que pode tornar-se no que desejamos ou precisamos.

“Portanto, quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10:31 NTLH)

Por isso, precisamos ter as iniciativas certas e não olharmos para as dificuldades, ou nunca teremos tempo para ler e meditar na Bíblia, a igreja ideal para congregarmos ou o ministério certo para servirmos. Não podemos esperar por condições que talvez nunca existirão!

Salomão nos aconselha a sermos felizes, mas que devemos buscar o nosso Criador cedo, para não permitirmos que o vigor da juventude nos impeça de termos uma intimidade com Deus, pois a vida é curta, e ao seu fim, prestaremos conta a Deus de todos os nossos atos.

“E nenhum de vocês pode encompridar a sua vida, por mais que se preocupe com isso.” (Mateus 6:27 NTLH)

Despojados do amor de Deus, toda a nossa obra é fútil. Devemos colocar Deus em primeiro lugar, acima de tudo o que fazemos, porque sem Ele, nada temos e nada somos.

“Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas.” (Mateus 6:33 NTLH)

Por fim, Salomão chega à conclusão que só existe um caminho: temer a Deus e obedecer aos Seus mandamentos, pois foi para isto que Ele nos criou. 

1. Para temermos e obedecermos a Deus, precisamos nos tornar verdadeiros discípulos de Jesus Cristo, pois só Ele nos deu ensinamentos e exemplos de como devemos viver o nosso curto tempo neste mundo.

“Jesus respondeu: - Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim.” (João 14:6 NTLH)

Não podemos dizer que aceitamos Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas e vivermos somente pelos nossos próprios interesses, totalmente apegados às coisas terrenas, sendo influenciados e influenciando as pessoas a buscarem valores totalmente equivocados. Só conseguiremos evitar este grave erro cumprindo o mandamento mais importante que Jesus nos deixou, pois ele é a base do Evangelho:

“Jesus respondeu: - "Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente.“ Este é o maior mandamento e o mais importante. E o segundo mais importante é parecido com o primeiro: "Ame os outros como você ama a você mesmo.“” (Mateus 22:37-39 NTLH)

2. Para termos uma vida abençoada por Deus em Cristo Jesus, precisamos, diferentemente de Salomão, tirar o foco das coisas terrenas e escolher termos um relacionamento sadio com Deus e com o próximo, mas, para isto, temos que rever nossa escala de valores e gastar mais tempo, energia e dedicação a este propósito, pois se o amor a Deus e ao próximo vem primeiro, esta deve ser a nossa maior prioridade.

Neste mundo, temos sido ensinados a inverter estes valores e a priorizar somente realizações pessoais.

Apesar de a Palavra de Deus denunciar a inutilidade destas buscas, vários líderes religiosos fazem uso das mesmas, para multiplicarem e iludirem seus seguidores, pois, em suas mensagens, prometem sucesso, prosperidade financeira, fama, poder e uma felicidade terrena que não existe.

Acabamos sendo enganados, pois apesar das nossas buscas se manifestarem em diferentes versões, todas elas convergem e manifestam a mesma necessidade: preencher um vazio existencial que há dentro de nós, porém, este vazio é o anseio pela eternidade, ou seja, a busca de uma relação íntima e permanente com Deus, capaz de nos libertar de tantas falsas esperanças e buscas infindáveis que se apresentam diante de nós.

Portanto, saibamos que:

  • Jesus pediu para nos relacionarmos com Deus e com o próximo, pois só assim, conseguiremos amá-los.
  • Um relacionamento saudável com Deus e com as pessoas tem o poder de impedir que as tarefas e os compromissos com as coisas deste mundo tirem a nossa paz e o nosso equilíbrio.
  • Deus não exige que realizemos grandes coisas, mas sim, que aspiremos a excelência dos nossos relacionamentos, primeiro com Ele, e depois com as pessoas.
  • Somente com uma fé verdadeira seremos livres de certas tarefas e preocupações, pois se acharmos que é nossa responsabilidade cuidar de nós mesmos, sem Deus, nossas prioridades serão tolas.
  • Não podemos tornar nossas tarefas mais importantes do que as pessoas para quem realizamos estas tarefas.
  • Nosso Pai quer que gastemos tempo mostrando sentimentos e atitudes de amor por Ele e pelos nossos irmãos.
  • Jesus nos ensina que valores concorrentes não podem coexistir, pois não podemos servir a Deus e agradar ao mundo.
  • Precisamos ter cuidado ao escolhermos as atitudes menos importantes, pois elas são prazerosas, não exigem fé nem esforço, porém, elas não cumprem o que prometem, não nos edificam e não agradam a Deus.

Devemos desejar, ao final, poder declarar como o apostolo Paulo:

“Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.” (2 Timóteo 4:7 NVI)

Ao meditarmos nos versículos seguintes, percebemos que Paulo define combate como sendo o empenho e o esforço do melhor de sua capacidade física, emocional e intelectual na missão de fazer conhecido a todos, o presente de Deus: “Cristo Jesus, em quem estão todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento”.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail