A fé é mais do que acreditar - Parte 1: A fé nos leva a orar sem desanimar

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Lucas 18:8

Eu pretendo estar compartilhando com você durante algumas semanas sobre a “fé”, a qual está presente em todas as religiões. No entanto, ela faz parte do cotidiano de cada pessoa, mesmo que ela não tenha nenhuma religião, pois, de alguma maneira, cada ser expressa fé em alguma coisa ou pessoa.

Quando nós estudamos a Bíblia, encontramos pessoas com uma fé vazia, falsa, pequena, poderosa e a que é verdadeira, ou seja, aquela que agrada a Deus. Não há como negar que por causa da fé, muitos homens e mulheres foram martirizados e rejeitados pelos que viviam à sua volta.

Por que eu gostaria de compartilhar acerca desse assunto com você? Jesus declarou algo que deve causar assombro no coração de todo cristão verdadeiro.

Texto Bíblico:

& Eu afirmo a vocês que ele julgará a favor do seu povo e fará isso bem depressa. Mas, quando o Filho do Homem vier, será que vai encontrar fé na terra? (Lc.18:8 NTLH)

Estas palavras fazem parte de uma parábola citada por Jesus, sobre a necessidade de perseverarmos em oração. (cf. Lc.18:1-7)

&  1 Jesus contou a seguinte parábola, mostrando aos discípulos que deviam orar sempre e nunca desanimar: 2 — Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus e não respeitava ninguém. 3 Nessa cidade morava uma viúva que sempre o procurava para pedir justiça, dizendo: “Ajude-me e julgue o meu caso contra o meu adversário! ” 4 — Durante muito tempo o juiz não quis julgar o caso da viúva, mas afinal pensou assim: “É verdade que eu não temo a Deus e também não respeito ninguém. 5 Porém, como esta viúva continua me aborrecendo, vou dar a sentença a favor dela. Se eu não fizer isso, ela não vai parar de vir me amolar até acabar comigo.” 6 E o Senhor continuou: — Prestem atenção naquilo que aquele juiz desonesto disse. 7 Será, então, que Deus não vai fazer justiça a favor do seu próprio povo, que grita por socorro dia e noite? Será que ele vai demorar para ajudá-lo? (Lc.18:1-7 NTLH)

1. Ore sempre e não desanime. (v.1)

A lição é clara: Jesus está ensinando os Seus discípulos a não desanimarem diante das injustiças, em um mundo que não respeita a Deus nem a própria justiça. Nós vivemos em um mundo totalmente “poluído”, espiritual e moralmente falando. Essa “poluição” pode afetar o nosso relacionamento com Deus e, portanto, enfraquecer-nos tanto na esfera espiritual como moral.

Então, a oração é a busca pela pureza Divina e devemos ser constantes nessa prática. (cf. 1 Ts.5:17) Entretanto, o que significa “orar sempre ou sem cessar”? O sentido não é o de ficar repetindo palavras, pois o próprio Jesus nos advertiu quanto a isso. (cf. Mt.5:5-15) A oração deve ser uma prática natural de todos os que amam a Deus, pois ela transcende o ato de pronunciar palavras, sendo a expressão de um coração humilde pela pessoa de Deus.

Orar sem cessar significa manter no coração os desejos elevados de Deus, a fim de permanecermos em plena comunhão com os Seus pensamentos, caminhos elevados e pedirmos que sejamos abençoados por Ele, ou seja, que o Senhor nos mostre o Seu favor, Sua graça e poder em nossas vidas neste mundo caótico.

Eu diria que a oração se parece ao tanque de oxigênio que o mergulhador carrega nas suas costas. Ele está submerso, sob pressão, precisa mover o seu corpo, e como faria isso sem o ar para respirar? Ele traz consigo o ar respirável da atmosfera. Como nós podemos viver em um mundo poluído sem o ar dos “Altos Céus”? Como podemos ter força para caminhar neste mundo sem a capacidade que só Deus pode dar? Então, ou nós oramos ou desanimamos! Ou nós buscamos o Pai Eterno, ou nos entregamos às pressões de um ambiente que irá esmagar ou matar nossa esperança!

2. Não tente subornar a Deus para conseguir o que deseja. (vs.2-5)

Na época de Jesus, um tribunal não era um prédio bonito ou requintado como conhecemos hoje, mas era uma tenda, a qual era levada de um lado para outro, e no percurso, o juiz é que determinava o expediente, por meio da ajuda dos seus assistentes. Qualquer pessoa poderia assistir o desenvolvimento dos processos, desde que ficasse do lado de fora da tenda. No entanto, se uma pessoa quisesse ter acesso ao juiz, a fim de ter a sua causa julgada, ela deveria conseguir isso por meio dos assistentes, pois eram eles que levavam os casos ao juiz.

Então, a mulher da parábola precisava superar alguns obstáculos:

  • O obstáculo do sexo, pois a mulher não era contada naquela sociedade.
  • O obstáculoda condição social, pois uma viúva não tinha um homem que a representasse.
  • O obstáculo da pobreza, pois nem que quisesse, poderia pagar o suborno (coisa comum naquela época) aos assistentes do juiz, a fim de eles levassem a sua causa ao juiz.

Como muitos que se dizem cristãos tentam subornar a Deus, a fim de conseguirem o que desejam? Antes, nós precisamos entender que suborno é o ato oferecer dinheiro a alguém com o objetivo de conseguir algo ilegal. É a tentativa de corromper alguém para alcançar interesses próprios. Segundo o texto bíblico, a viúva não estava tentando subornar os assistentes nem o próprio juiz, para que a sua causa fosse julgada.

Há muitas pessoas que vão às igrejas locais fazendo promessas absurdas a Deus e oferecem tanto dinheiro como bens materiais a certos líderes religiosos, a fim de obter vantagens do Pai, aquilo que no momento não lhes é próprio ou adequado. Elas não querem a justiça Divina, mas facilidades, primazias ou privilégios. Elas se esquecem que Deus é Justo, Verdadeiro e que julga cada causa com justiça absoluta.

Em vez de oferecer suborno, a viúva resolveu andar ao redor da tenda do juiz e aborrecê-lo com o seu clamor incessante por justiça. Por quê?

  • Ela não tinha promessas sociais, sobre as quais pudesse se apegar.
  • Ela suplicava em meio à sua pobreza, esperando que houvesse alguma boa vontade da parte de homens corruptos e injustos.
  • Ela não possuía amigos próximos que pudessem ajudá-la.

O que nós aprendemos de Deus nesse trecho da parábola? Jesus está ensinando sobre o contraste que existe entre a viúva e os verdadeiros filhos de Deus. Portanto:

2.1. Busque a presença de Deus, pois Ele sempre estará disponível a lhe ajudar.

Diferente da viúva, todo cristão tem livre acesso à presença de Deus em todo e qualquer momento.

& 14 Portanto, fiquemos firmes na fé que anunciamos, pois temos um Grande Sacerdote poderoso, Jesus, o Filho de Deus, o qual entrou na própria presença de Deus. 15 O nosso Grande Sacerdote não é como aqueles que não são capazes de compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um Grande Sacerdote que foi tentado do mesmo modo que nós, mas não pecou. 16 Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do trono divino, onde está a graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos graça sempre que precisarmos de ajuda. (Hb.4:14-16 NTLH)

2.2. Corrija os seus caminhos e confie em Jesus para defendê-lo diante do Pai.

Diferente da viúva, que não possuía amigos próximos que a conduzissem ao juiz, nós temos Jesus que nos defende diante de Deus.

& Meus filhinhos, escrevo isso a vocês para que não pequem. Porém, se alguém pecar, temos Jesus Cristo, que faz o que é correto; ele nos defende diante do Pai. (1 Jo.2:1 NTLH)

2.3. Apegue-se às promessas e à ajuda do Espírito de Deus e confie na Sua justiça.

As normas da sociedade não davam à viúva nenhuma segurança de que pudesse ser recebida pelo juiz e ter a sua causa julgada com justiça. Porém, cristão tem as promessas de Deus e toda a ajuda do Espírito Santo a seu favor.

& 26 Assim também o Espírito de Deus vem nos ajudar na nossa fraqueza. Pois não sabemos como devemos orar, mas o Espírito de Deus, com gemidos que não podem ser explicados por palavras, pede a Deus em nosso favor. 27 E Deus, que vê o que está dentro do coração, sabe qual é o pensamento do Espírito. Porque o Espírito pede em favor do povo de Deus e pede de acordo com a vontade de Deus. (Rm.8:26,27 NTLH)

2.4. Confie nas provisões de Deus à sua vida, por meio de Jesus Cristo.

A viúva suplicou em meio à sua pobreza ou falta de recursos, enquanto nós temos pela graça de Deus, riquezas que ultrapassam a nossa imaginação, a fim de nos capacitar a enfrentarmos as injustiças deste mundo.

& 19 E o meu Deus, de acordo com as gloriosas riquezas que ele tem para oferecer por meio de Cristo Jesus, lhes dará tudo o que vocês precisam. 20 Ao Deus e Pai seja dada glória para todo o sempre! Amém! (Fp.4:19,20 NTLH)

3. Considere Deus como um Ser Justo e não injusto. (vs.6-8ª)

Na parábola, percebemos que o juiz só ajudou a viúva por medo e incômodo, ou seja, por interesses próprios e não por generosidade. Ele se preocupou com a sua reputação e não com a justiça em si.

Quando Deus responde as nossas orações, Ele assim o faz tanto para a Sua glória como para o nosso próprio bem, ou seja, para o nosso benefício dentro do Seu Reino e não para atender aos nossos interesses pessoais.

Talvez, você me pergunte: “Por que Deus demora em responder às orações?” A demora de Deus não corresponde à Sua falta de ação, mas à Sua preparação, ou seja, se estamos pedindo de acordo com a Sua vontade e o nosso pedido é justo, então Ele nos prepara para o que julga ser “necessário” a nós. (cf. 1 Jo.5:14,15)

Em muitas ocasiões, nós não O vemos agindo no momento que queremos, mas isso não significa de que Ele não esteja trabalhando a nosso favor. (cf. Rm.8:28,29) Tudo o que Deus nos dá deve cooperar para a realização dos Seus propósitos e não para saciar o nosso egoísmo ou interesses pessoais.

Deus sempre age no tempo certo e não no nosso e, portanto, quando cooperamos com Ele para que a Sua vontade se realize em nossas vidas, ficamos assombrados com os Seus feitos! Percebemos então, que tudo ocorreu na hora certa, no momento oportuno e de uma maneira maravilhosa e edificante.

O nosso versículo base está associado ao contexto de Lucas 17:22-37. Jesus deixou claro que antes do Dilúvio, quase não havia fé sobre a Terra, pois apenas oito pessoas foram salvas naqueles dias. Nos dias de Ló, somente quatro conseguiram sair de lá e uma se perdeu no caminho. Nos dias atuais, a fé está se extinguindo e quantos de nós iremos para a eternidade?

Deus não tardou com Noé nem com Ló, mas os honrou por confiarem Nele e deu a chance a todos de se arrependerem de seus maus caminhos. A futura vinda de Jesus não é tardia, mas ele está dando a chance de nos arrependermos, de nos alinharmos com Ele e, com certeza, o Senhor honrará aqueles que Nele confiam.

Que nós nos esforcemos para sermos fiéis a Deus, por meio de Jesus Cristo e Seu Evangelho, para que depois de termos superado todas as injustiças deste mundo, possamos estar com o Senhor na eternidade e, por fim, nós descansarmos de todas as lágrimas, tristezas e desfrutarmos da Vida Eterna, que Ele nos prometeu. Este é o grande prêmio aos que perseveram pela Verdade Divina.

Essa é a minha esperança!

& Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam. (Tg.1:12 NTLH)

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail