Confie nos propósitos de Deus

 FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Atos 7.9-14

Deus nem sempre nos livra das adversidades, porém, em muitas ocasiões, Ele as usa para aperfeiçoar o nosso caráter, tanto espiritual como moral. Entretanto, Ele nunca nos abandona. Deus sempre abençoa aqueles que são fiéis a Ele em todo o tempo e os capacita a perdoar e abençoar outras pessoas.

Texto Bíblico:

& 9 Estêvão continuou: - Os irmãos de José tinham inveja dele e o venderam para ser escravo no Egito. Mas Deus estava com ele 10 e o livrou de todas as suas aflições. Quando José apareceu diante de Faraó, rei do Egito, Deus lhe deu sabedoria e modos agradáveis. E Faraó o nomeou governador do Egito e do palácio do rei. 11 Depois houve falta de alimentos e muito sofrimento no Egito e em Canaã, e os nossos antepassados não tinham mais o que comer. 12 Mais tarde, Jacó ouviu dizer que no Egito havia trigo e mandou pela primeira vez os nossos antepassados até lá. 13 Na segunda vez José contou aos seus irmãos quem ele era, e Faraó ficou sabendo da família de José. 14 "Então José mandou buscar o seu pai Jacó e todos os seus parentes, a fim de irem para o Egito; eram setenta e cinco pessoas ao todo." (Atos 7:9-14 NtLH)

Constantemente, eu ouço pessoas dizendo: "Você que está passando por dificuldades, acredite que Deus tem algo muito bom para você!" O fato de que Deus tem algo bom para nós, quando passamos por dificuldades e depois delas, não deixa de ser um princípio bíblico. Isso é verdadeiro. (cf. Rm.8:28) Essa declaração pode ser dada àquelas pessoas fiéis e tementes a Deus, em qualquer tempo.

No entanto, quando essa outra declaração, "A sua luta está no fim, em breve Deus te dará a vitória!", quem pode garantir que assim acontecerá a todos que crêem em Deus?

Convenhamos: afirmar a uma pessoa que a sua luta está no fim e que em breve a vitória chegará é uma declaração um tanto duvidosa! Por que eu afirmo isso? Somente Deus tem propósitos específicos para cada um de nós, a fim de aperfeiçoar o nosso caráter, tanto espiritual como moral e, por isso, essa declaração não deve ser dada para todas as pessoas que estão passando por tristezas.

Quando alguém declara algo, dizendo que o que diz é da parte de Deus, essa pessoa precisa estar plenamente convicta de que a sua mensagem vem realmente da parte do Senhor, pois caso ela esteja usando o nome de Deus em vão poderá ser disciplinada pelo Altíssimo. Não se brinca com a Palavra de Deus, pois ela revela o caráter do Senhor.

No Velho Testamento, havia uma advertência muito séria àqueles que se atreviam falar em nome de Deus equivocadamente e sem temor no coração:

& (...) Se um profeta tiver o atrevimento de dar uma mensagem em meu nome, quando eu não lhe tiver dito nada, ou se ele falar em nome de outros deuses, deverá ser morto.” (Dt.18:20 NTLH)

Há outra coisa muito importante, a qual nós precisamos aprender: o trabalho de Deus em nossas vidas afeta outras pessoas também, tanto as que estão dentro do Seu Reino (Seu povo) como aquelas que Ele pretende chamar e revelar a Sua glória. Um exemplo disso é a vida de José, o filho de Jacó.

A vida de José é uma das mais lindas histórias da Bíblia. Ele foi um homem fiel aos seus pais, obediente e temente a Deus. Ele foi fiel a Deus tanto na adversidade como na prosperidade material. Ele suportou momentos difíceis e injustos, porém, sendo humilde sob a poderosa mão de Deus, viu o Senhor honrar a sua vida de fidelidade.

Quando olhamos para a vida de José no Velho Testamento, nós podemos compará-lo à vida de Jesus no Novo Testamento: Ele sempre foi amado pelo Pai, desceu ao Egito foi traído e vendido, foi perseguido injustamente, foi abandonado, porém, José foi honrado após suas aflições, tornando-se o salvador do seu povo.

O que nós podemos aprender com a sua vida?

1. Mesmo que Deus não o livre das suas adversidades, seja fiel a Ele em meio a elas, pois você sempre terá a Sua presença e ajuda. (v.9)

& 9 Estêvão continuou: - Os irmãos de José tinham inveja dele e o venderam para ser escravo no Egito. Mas Deus estava com ele. (NTLH)

1.1. A sua vida com Deus poderá lhe trazer o desprezo e o abandono. (cf. Gn.37:3-22)

José foi desprezado pelos seus irmãos, pois ele era muito amado pelo seu pai Jacó. Seus irmãos permitiram que seus corações se enchessem de inveja e ódio contra José. Eles também o chamavam de “sonhador”, devido aos sonhos proféticos que o próprio Deus lhe dava.

Ele, José, amava a sua família, respeitava seu pai, era temente a Deus e cultivava uma vida de integridade. Em vez de seus irmãos o imitarem, eles preferiram odiá-lo e a planejar a sua morte!

Não foi isso o que aconteceu a Jesus, o nosso Senhor? Ele foi desprezado e abandonado pelo Seu próprio povo. Além do mais, Jesus, em vez de receber ouvidos às Suas palavras, recebeu o ódio, a crucificação e a morte.

1.2. A sua vida com Deus poderá torná-lo em alguém sem importância ou necessidade para este mundo. (cf. Gn.37:23-28)

Os seus irmãos jogaram José em um poço fundo, não deram ouvidos às suas palavras e lá o abandonaram! Aqueles irmãos que deveriam amá-lo, pelo fato de serem mais velhos, o desprezaram e o abandonaram dentro daquele poço escuro.

Ele foi vendido a uma caravana que por lá passava e depois revendido no Egito, para ser escravo. Um menino respeitador, íntegro, que temia a Deus, que era amado pelo seu pai, que recebia a Palavra de Deus, agora está sem dignidade em uma terra estranha! José, um ser servo de Deus se torna no Egito numa simples mercadoria!

Ele poderia ter se revoltado contra o Todo-Poderoso, mas continuou íntegro. Sem entender momentaneamente toda aquela situação, não perdeu a sua fé ou fidelidade a Deus.

Jesus foi tachado como um comilão, beberrão e alguém que não deveria fazer parte tanto da sociedade como da liderança judaica. Ele deveria ser descartado, pois para os propósitos ou interesses humanos, Jesus não era necessário – Ele os atrapalhava!

1.3. A sua vida com Deus é uma ameaça aos padrões morais deste mundo e ele tentará destruir o seu caráter espiritual e moral. (cf. Gn.39:1-19)

José era um jovem adolescente e possivelmente muito bonito, porém, trazia as marcas psicológicas que sofreu pelo abandono de seus irmãos, da perda da sua dignidade, da ausência de seu pai e família. Ele tinha tudo para ceder aos apelos irresistíveis da esposa de Potifar.

Como resultado da sua integridade, ele foi preso injustamente. De novo, ele se vê no fundo do poço e agora, por anos! Entretanto, José tinha a presença de Deus e toda a Sua ajuda, mas isso não veio automaticamente, pois ele tinha que cultivar essas coisas na sua vida, mesmo em meio a tanta adversidade. Mesmo sofrendo e não entendendo nada do que lhe estava acontecendo, José semeou o caráter e os propósitos de Deus no seu próprio coração. Ele continuou fiel ao Criador.

Assim como José, Jesus representou e representa uma ameaça aos padrões espirituais e morais deste mundo. Constantemente, surgem documentários que tentam colocar em cheque a Sua vida moral, Sua ressurreição e até mesmo a Sua existência! O mundo odeia a Verdade e Jesus é a Verdade que expressa todo o caráter, planos e propósitos de Deus.

Jesus foi fiel aos propósitos de Deus à Sua vida e nunca permitiu que Seu coração se afastasse da presença do Eterno. Ele agiu desse modo para nos servir de exemplo, a nós que vivemos em um mundo decadente, afastado de Deus, infiel a Ele e da Sua Verdade.

2. Creia que Deus reconhecerá a sua fidelidade a Ele e, no tempo certo, o honrará com a Sua graça e sabedoria. (v.10)

& 10 e o livrou de todas as suas aflições. Quando José apareceu diante de Faraó, rei do Egito, Deus lhe deu sabedoria e modos agradáveis [graça, favor]. E Faraó o nomeou governador do Egito e do palácio do rei. (NTLH)

2.2. A sua fidelidade a Deus poderá lhe trazer humilhações, porém confie na graça e na ajuda Divina.

José foi humilhado pelos seus irmãos, pela esposa do seu patrão e na prisão por 13 anos! Porém, Deus o consolou, o encorajou em meio aos seus dilemas e o exaltou, dando-lhe graça e sabedoria ao revelar os sonhos do Faraó. José não apenas revelou seus sonhos, mas, de acordo com a Palavra recebida de Deus, lhe mostrou o que deveria fazer. José aconselhou o grande Faraó do Egito sobre como preservar o seu reino durante a forte seca que viria.

O apóstolo Pedro disse:

& Portanto, sejam humildes debaixo da poderosa mão de Deus para que ele os honre no tempo certo. (1 Pe.5:6 NTLH)

Tudo o que José passou não foi por acaso, mas as circunstâncias da sua vida faziam parte de um grande propósito Divino: salvar toda a sua família e o os seres humanos da fome e da morte.

Logicamente, José não podia entender tudo o que lhe estava acontecendo, mas nunca deixou de confiar na bondade e nos propósitos de Deus à sua vida. Ele ficou firme, foi abençoado e abençoou a muitos!

Jesus foi humilde e sempre desejou que a vontade de Deus fosse realizada através da Sua vida e, por isso, foi exaltado pelo Eterno na Sua ressurreição e hoje está à direita de Deus Pai, aguardando aqueles que forem fieis à Verdade como Ele foi.

3. Nem sempre Deus o livrará das injustiças, porém, Ele as para aperfeiçoar o nosso caráter, a fim de que sejamos abençoados para abençoar a muitos. (vs.11-14)

& 11 Depois houve falta de alimentos e muito sofrimento no Egito e em Canaã, e os nossos antepassados não tinham mais o que comer. 12 Mais tarde, Jacó ouviu dizer que no Egito havia trigo e mandou pela primeira vez os nossos antepassados até lá. 13 Na segunda vez José contou aos seus irmãos quem ele era, e Faraó ficou sabendo da família de José. 14 "Então José mandou buscar o seu pai Jacó e todos os seus parentes, a fim de irem para o Egito; eram setenta e cinco pessoas ao todo." (NTLH)

3.1. Creia que Deus pode usar o mal que é dirigido a você em algo bom, útil para abençoar muitas pessoas.

José disse aos seus irmãos para que não se entristecessem e que não se culpassem por tê-lo vendido, porque Deus estava por trás de todos os acontecimentos. Disse que Deus o enviou ao Egito para salvar a vida de todos. Ele não se alimentou com o ódio, que poderia levá-lo ao revanchismo. Pelo contrário, ele os amou e os perdoou! (cf. Gn.45:5,,8,20)

Eu tenho falado com vocês que a vida cristã está baseada no Grande Mandamento (Mt.22:36-39) – “amar a Deus ao próximo”. Esse é o caminho para uma vida abençoada, pois foi assim que Jesus viveu. Foi para cumprir esse mandamento que Ele morreu e ressuscitou – para nos abençoar! Jesus nos deu vida, quando ainda estávamos mortos ou desalinhados com Deus, por causa de nossos erros e pecados.

Nós merecíamos a morte, mas Ele nos deu vida e esta, de acordo com a nossa perseverança e fidelidade a Deus, nos conduzirá à eternidade!

Muitas vezes, os nossos caminhos são cheio de espinhos, de inimigos terríveis e que querem a nossa destruição. Muitas vezes, a luz se perde nas sombras, as nossas alegrias se convertem em lágrimas de choro, os risos em gritos de tristeza e a saúde em doença. Noutras oportunidades, nós perdemos o que ganhamos.

Porém, todos esses infortúnios não frustram os propósitos de Deus às nossas vidas. Se Ele permite que tais coisas nos aconteçam, sempre haverá uma grande e maravilhosa razão!

Entretanto, nunca cultive a idéia de que a vida deve ser um “mar de rosas”. Que as circunstâncias não devem sofrer abalos ou mudanças, que nunca lhe ocorrerá opressões, desprezo e abandono por parte de quem você menos espera.

Todavia, nunca deixe de confiar em Deus e seja fiel a Ele em todas as coisas. Cria no seu coração que Ele está no controle de tudo, pois é o Eterno Soberano, Senhor da história e, portanto, é Ele que conhece e prepara o melhor para todos nós.

Em Jesus Cristo, eu, juntamente com vocês, persevero para ser uma bênção nas mãos de Deus e para abençoar o próximo, para que a Sua vontade seja feita e não a minha.

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail