O Evangelho de Deus e o reino de Satanás e seus demônios

 FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Marcos 1:21-28

Texto Bíblico:

&  21 Jesus e os discípulos chegaram à cidade de Cafarnaum, e, no sábado, ele foi ensinar na sinagoga. 22 As pessoas que o escutavam ficaram muito admiradas com a sua maneira de ensinar. É que Jesus ensinava com a autoridade dele mesmo e não como os mestres da Lei. 23 Então chegou ali um homem que estava dominado por um espírito mau. O homem gritou: 24 - O que quer de nós, Jesus de Nazaré? Você veio para nos destruir? Sei muito bem quem é você: é o Santo que Deus enviou! 25 Então Jesus ordenou ao espírito mau: - Cale a boca e saia desse homem! 26 Aí o espírito sacudiu o homem com violência e, dando um grito, saiu dele. 27 Todos ficaram espantados e diziam uns para os outros: - Que quer dizer isso? É um novo ensinamento dado com autoridade. Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem. 28 E a fama de Jesus se espalhou depressa por toda a região da Galiléia.  (Mc.1:21-28 NTLH)

Nós temos visto que o Evangelho de Deus,

  • Fala da vinda de Jesus à Terra como o único Filho de Deus – Ele é o Próprio Deus encarnado.
  • É a Pessoa de Jesus Cristo.
  • Alinha o homem com os princípios de Deus (arrependimento).
  • Mostra ao homem como viver em fidelidade (fé) e obediência a Deus.
  • Revela a soberania Divina por meio de Jesus Cristo.
  • Revela os princípios do Reino, para que o homem saiba como negar a si mesmo.
  • Não esconde do homem que ele pode causar sofrimentos e também vitórias nesta vida.
  • Propõe ao homem a seguir Jesus sem demora.
  • Exerce autoridade sobre o reino de Satanás e seus demônios.

O Evangelho de Marcos nos fala muito sobre Jesus como "o Servo de Deus". Porém, ele salienta em todas as suas páginas a autoridade de Jesus, tanto em palavras como através dos Seus atos. A Sua autoridade é demonstrada em duas áreas: no ensino e sobre os demônios.

Vamos ver primeiramente duas coisas:

  • A autoridade de Jesus ao ensinar. (vs.21,22)
  • A autoridade de Jesus sobre os demônios. (vs. 23-28)

1. A autoridade de Jesus ao ensinar. (vs.21,22)

& 21 Jesus e os discípulos chegaram à cidade de Cafarnaum, e, no sábado, ele foi ensinar na sinagoga. 22 As pessoas que o escutavam ficaram muito admiradas com a sua maneira de ensinar. É que Jesus ensinava com a autoridade dele mesmo e não como os mestres da Lei. (NTLH)

No verso 21, Marcos diz que “Jesus e os discípulos” foram para a cidade de Cafarnaum. Esses discípulos são os quatro que ele havia chamado: Pedro, André, Tiago e João. A cidade de Cafarnaum possuía uma população de cerca de 10.000 pessoas, e entre elas, haviam pescadores, comerciantes, artesãos, trabalhadores em geral com suas esposas e filhos.

Marcos diz que Jesus deixa as margens do Lago da Galiléia (o lugar dos pescadores), e no “dia sagrado para os judeus” (Shabath), Ele se dirige a uma sinagoga (era (e é) o lugar de reunião dos judeus para adorar a Deus, agradecê-Lo pelo trabalho semanal e aprender as Escrituras).

Marcos enfatiza a forma do ensinamento de Jesus e não diretamente o seu conteúdo ou assunto. O ensino de Jesus não era derivado de várias fontes, ou seja, de mestres reconhecidos da cultura religiosa judaica. O Seu ensino não se baseava na Sua aprendizagem, na capacidade de citar as palavras de autoridades religiosas ou da tradição judaica. Ele falava com a autoridade, por ser Ele mesmo a fonte de toda a Verdade.

O ensino de Jesus era independente da “tradição oral”, ou seja, ensinamentos que eram passados de pais para filhos na cultura judaica. Essa era uma das razões pelas quais Ele representava uma ameaça ao poder dos líderes religiosos, os quais controlavam as pessoas com uma autoridade falsa e tradicional, sem terem como base as Escrituras Sagradas.

Marcos diz que “As pessoas que o escutavam ficaram muito admiradas com a sua maneira de ensinar.” O sentido é de assombro ou de espanto! Jesus não ensinava tradições religiosas, mas a essência da Verdade, a mente e os caminhos de Deus.

Ao longo dos séculos, o Cristianismo vem sendo construído sobre tradições humanas, ou seja, ensinamentos que são passados de pais para filhos, sem nenhuma base bíblica. Nós denominamos esse procedimento como "o ensino tradicional" e cometemos os mesmos erros das pessoas que viviam na época de Jesus.

Infelizmente, nós temos dado mais atenção às tradições do que ao cerne da Verdade de Deus, que é encontrado nas Escrituras Sagradas. Temos deixado a Bíblia de lado, para ficarmos com as tradições orais! Essa atitude enfraquece a fé em Deus, nas Sagradas Escrituras e destrói a autoridade que o próprio Jesus deu à Sua Igreja.

Além do mais, é notório percebermos o controle ou a manipulação da massa religiosa, por meio de líderes que ensinam falsas doutrinas, as quais não possuem base bíblica, mas que são provenientes das tradições orais e até culturais.

Perceba o número de cristãos que se apegam a amuletos ou a métodos humanos, a fim de superarem ou vencerem suas adversidades e demônios que os atormentam. Muitos cristãos carregam fitas benzidas, derramam sobre seus corpos um tipo de água santificada, fazem uso de galhos de arruda, óleo ou azeite santificado, vassouras, sapatos, meias, camisetas e muitas outras, pois, a eles é ensinado que essas coisas os ajudarão a serem mais fortes em Deus e que os tornarão vencedores contra todo tipo de mal.

O salmista disse:

& 162 Como sou feliz por causa das tuas promessas [Torah, Palavra de Deus], tão feliz [prazer, regozijo] como alguém que encontra um grande tesouro! 163 Odeio e detesto a mentira [o engano, a fraude], mas amo a tua lei [Torah]. (Sl.119:162,163 NTLH)

Portanto, procure construir a sua fé sobre a Palavra de Deus e nunca sobre tradições humanas.

2. A autoridade de Jesus sobre os demônios. (vs. 23-28)

& 23 Então chegou ali um homem que estava dominado por um espírito mau. O homem gritou: 24 - O que quer de nós, Jesus de Nazaré? Você veio para nos destruir? Sei muito bem quem é você: é o Santo que Deus enviou! 25 Então Jesus ordenou ao espírito mau: - Cale a boca e saia desse homem! 26 Aí o espírito sacudiu o homem com violência e, dando um grito, saiu dele. 27 Todos ficaram espantados e diziam uns para os outros: - Que quer dizer isso? É um novo ensinamento dado com autoridade. Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem. 28 E a fama de Jesus se espalhou depressa por toda a região da Galiléia. (NTLH)

Marcos diz que “chegou ali um homem que estava dominado por um espírito mau.” Esses versos seguem um fluxo:

  • O encontro de Jesus com os demônios.
  • A defesa dos demônios.
  • A ordem e a autoridade de Jesus sobre os demônios.
  • A resposta dos demônios.
  • A reação das pessoas diante da autoridade de Jesus.

2.1. O encontro de Jesus com os demônios. (v.23)

& 23 Então chegou ali um homem que estava dominado por um espírito mau. (NTLH)

Foi surpreendente para todos que, dentro de uma sinagoga, um espaço sagrado, houvesse um espírito imundo, ou seja, um demônio possuindo a vida de um homem. Saiba que os demônios não andam apenas em lugares impuros nem sobre túmulos ou que agem por meio animais que muitas pessoas consideram como suspeitos.

O texto sugere que Jesus invadiu o território desse espírito mal, por meio do que Ele estava ensinando. Portanto, o ensino da Palavra de Deus enfraquece, assusta e obriga os demônios a se exporem e, então, são expulsos por meio da autoridade Divina.

2.2. A defesa dos demônios. (v.23,24)

& 23 Então chegou ali um homem que estava dominado por um espírito mau. O homem gritou: 24 - O que quer de nós, Jesus de Nazaré? Você veio para nos destruir? Sei muito bem quem é você: é o Santo que Deus enviou! (NTLH)

Por quanto tempo esse homem frequentava a sinagoga? Por quanto tempo ele aprendia a “tradição religiosa”? Não sabemos. A falsificação satânica é terrível! Uma pessoa possuída por um demônio é a forma falsa da encarnação, a fim de matar, roubar e destruir a quem os demônios possuem. A pessoa fica plenamente dominada, sem direitos de escolha, de arbítrio ou vontade própria.

Para ir à sinagoga, o homem era um religioso e que cumpria seus atos religiosos, mas era alguém inteiramente afastado da Vida Divina e dos Seus princípios verdadeiros.

Marcos diz que “o homem gritou”, ou seja, ele manifestou um forte lamento ou choro contra a Verdade que estava sendo ensinada.

Repare que o demônio tinha uma crença muito forte sobre Jesus e disse Quem Ele era: “Sei muito bem quem é você: é o Santo que Deus enviou!” Entenda que a crença dos demônios em Deus não os absolve da condição em que estão. Do mesmo modo, a crença daquele homem em Deus não impediu que ele ficasse possuído por um espírito mau!

A fé não é uma questão de “cabeça”, mas de coração. A fé nos leva a amar a Verdade, a qual se torna um verdadeiro tesouro. O demônio sabe que Jesus é o Senhor, mas ele nunca dirá que Ele é o “seu Senhor”, pois ele e seus pares estão submetidos ao seu chefe, ou seja, a Satanás.

Há muitos cristãos que cantam hinos sobre o senhorio de Cristo, que oram em nome de Jesus, declaram a Sua grandeza, mas nunca O tornam o Senhor de suas vidas! Eles não tremem diante do poder e da soberania Divina. Eles estão em risco! Veja o que Tiago diz:

& Você crê que há somente um Deus? Ótimo! Os demônios também crêem e tremem de medo. (Tg.2:19 NTLH)

2.3. A ordem e a autoridade de Jesus sobre os demônios. (v.25)

& 25 Então Jesus ordenou ao espírito mau: - Cale a boca e saia desse homem! (NTLH)

Jesus não teve compaixão do demônio, mas sim do homem dominado por ele.

As tradições ensinavam vários métodos para se expulsar demônios:

  • Colocavam uma raiz de péssimo odor nas narinas da pessoa possuída, na esperança que o demônio não pudesse suportá-la.
  • Invocavam um espírito superior para se livrar do espírito inferior. Então, imagine o estudo que era feito sobre a hierarquia do inferno!
  • Além do mais, usavam canções, feitiços mágicos, fígado de galinhas e as mais fedorentas raízes de plantas.

Naquele dia, todo o povo assistiu a autoridade de Jesus sobre o mundo demoníaco sem o uso de subterfúgios ou estratégias ardis e mentirosas. Todos ficaram assombrados, pois Jesus não fez uso da tradição religiosa para libertar aquele homem do poder do mal.

Quando Jesus disse: “Cale a boca e saia desse homem!”, Ele usou a mesma palavra quando repreendeu o vento e o mar que assustavam os Seus discípulos, na travessia do Mar da Galileia. (cf. Mc.4:35-41)

2.4. A resposta dos demônios. (v.26)

& 26 Aí o espírito sacudiu o homem com violência e, dando um grito, saiu dele. (NTLH)

Ele fez exatamente o que Jesus lhe ordenou! Um ou mais demônios podem sair pela autoridade de Jesus de uma pessoa, mas se ela não manifestar uma vida de alinhamento com Deus (arrependimento) e de fé (obediência e fidelidade à Palavra de Deus), ela poderá ser possuída novamente, e a sua condição atual será pior do que a primeira.

Jesus ensinou essa verdade:

& 43 Jesus continuou: - Quando um espírito mau sai de alguém, anda por lugares sem água, procurando onde descansar, mas não encontra. 44 Então diz: “Vou voltar para a minha casa, de onde saí. ” Aí volta e encontra a casa vazia [sem compromisso com os serviços espirituais], limpa e arrumada. 45 Depois sai, vai buscar outros sete espíritos piores ainda, e todos ficam morando ali. Assim a situação daquela pessoa fica pior do que antes. E isso também acontecerá com esta gente má de hoje. (Mt.12:43-45 NTLH)

2.5. A reação das pessoas diante da autoridade de Jesus. (vs.27,28)

& 27 Todos ficaram espantados e diziam uns para os outros: - Que quer dizer isso? É um novo ensinamento dado com autoridade. Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem. 28 E a fama de Jesus se espalhou depressa por toda a região da Galiléia. (NTLH)

Novamente, todos ficaram assombrados! Todos questionavam se aquilo seria uma “nova tradição” que estava sendo manifestada. Jesus não usou de nenhum artefato ou magia para expulsar aquele demônio, mas entrou no terreno da mentira com o ensino da Verdade!

Meus irmãos amados, não se assustem com os demônios, mas tremam diante da Verdade Divina! Respeitem-na, amem a Palavra de Deus e ela será sempre o seu escudo e a sua proteção.

Quando nós buscamos aprender as Sagradas Escrituras, lançamos luz sobre as trevas, e a escuridão foge! Isso sim é bíblico! Quando nos dispomos a praticar a Verdade Divina por meio da obediência (), declaramos que o Reino de Jesus está perto e já dissipou todo o poder da escuridão!

Nós sempre travaremos uma batalha contra a nossa carne (paixões pessoais) e contra o reino mentiroso de Satanás e seus demônios, mas apegados à Palavra de Deus, atravessaremos os vales sóbrios até conquistarmos, pela misericórdia Divina, a “Luz” que nos espera na eternidade!

Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail