O Evangelho de Deus e o Seu Reino - Parte 5: Quando eu sei que estou dentro do Reino de Deus?


FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Marcos 1:14,15

Texto Bíblico:

&  14 Depois que João foi preso, Jesus seguiu para a região da Galiléia e ali anunciava a boa notícia que vem de Deus. 15 Ele dizia: - Chegou a hora, e o Reino de Deus está perto. Arrependam-se dos seus pecados e creiam no evangelho.  (Mc.1:14,15 NTLH)

Nós aprendemos que o Reino de Deus não é uma questão de sobrevivência pessoal neste mundo, mas uma vida comprometida com o Senhor e que envolve a alegria que o Espírito Santo dá àquele que vive sob os termos de Deus (paz), por meio de uma vida correta, ou seja, uma vida que O agrada e que seja útil, tanto a Ele como ao próximo.

& Pois o Reino de Deus não é uma questão de comida ou de bebida, mas de viver corretamente, em paz e com a alegria que o Espírito Santo dá. (Rm.14:17 NTLH)

Nós aprendemos também sobre a importância de buscarmos o Reino de Deus, pois o próprio Jesus enfatizou quanto a essa busca a todos os que O seguem como discípulos verdadeiros.

& Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas. (Mt.6:33 NTLH)

Em algumas versões da Bíblia aparece o verbo “buscar”, em vez de “pôr”. Porém, o sentido dessa busca é “procurar enfaticamente e descobrir pelo pensamento, meditação, raciocínio ou investigação”, a fim de alcançar afinidade ou vínculo com a Pessoa e a vontade do Senhor.

Essa busca deve evidenciar que queremos “colocar” o que Deus quer em primeiro lugar em nossas vidas. Entretanto, muitas pessoas ficam perdidas com relação à vontade de Deus em determinados momentos e não sabem como agir.

O Reino de Deus se manifesta por meio de princípios espirituais, os quais nós encontramos no início do ministério de ensino do Senhor Jesus, em Mateus 5:3-11. É por meio da prática desses princípios que nós sabemos que estamos agindo dentro da vontade de Deus, isto é, de que estamos dentro do Seu Reino.

Eu vou dividir as chamadas “Bem-Aventuranças” em quatro blocos, pois eu creio que você irá entendê-las melhor. Vejamos:

1. Primeiro: O meu desejo de possuir o Reino de Deus. (Mt.5:3)

1.1. Que eu reconheça a minha incapacidade espiritual e moral para agir como Deus quer. Eu preciso da capacitação Divina. (Mt.5:3)

& 3 - Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois o Reino do Céu é delas. (NTLH)

Este versículo declara a minha vontade de agir pelos princípios do Seu Reino. Portanto, essa atitude envolve as duas ações pessoais que Jesus pede de cada um de nós, em Marcos 1:15, ou seja, “arrependimento” (alinhamento com a vontade Divina) e “fé” (fidelidade ou obediência) na Sua direção ou Palavra.

2. Segundo: O meu desejo de servir a Deus e de me manter em comunhão com Ele. (Mt.5:4-6)

2.1. Que eu aprenda a lamentar a minha fragilidade espiritual e moral, a fim de receber toda a ajuda Divina. (Mt.5:4)

& 4 - Felizes as pessoas que choram, pois Deus as consolará. (NTLH)

Essa “ajuda” se refere à instrução, encorajamento e fortalecimento.

2.2. Que eu aprenda a me render integralmente a Deus, a fim de receber Suas promessas, ou seja, Seu Reino e toda a Sua ajuda. (Mt.5:5)

& 5 - Felizes as pessoas humildes, pois receberão o que Deus tem prometido. (NTLH)

2.3. Que eu tenha o desejo de fazer a vontade de Deus, pois sei que ficarei satisfeito ou alimentado em meu íntimo. (Mt.5:6)

& 6 - Felizes as pessoas que têm fome e sede de fazer a vontade de Deus, pois ele as deixará completamente satisfeitas. (NTLH)

3. Terceiro: O meu desejo de manifestar o Reino de Deus, servindo ou ajudando o próximo. (Mt.5:7-9)

3.1. Que eu aprenda a exercer a misericórdia Divina para com o próximo. (Mt.5:7)

& 7 - Felizes as pessoas que têm misericórdia dos outros, pois Deus terá misericórdia delas. (NTLH)

Entenda que “misericórdia” é levar ajuda a alguém que se encontra em aflição, sem caminho, sem direção, ou num estado de miséria tanto espiritual como moral. Ela não é uma atitude de filantropia ou humanitarismo, pois esse é dever de todos nós, mas é uma ação que procura conduzir o próximo a Deus e ao Seu Reino. Quando agimos desse modo, Deus também fará o mesmo conosco.

3.2. Que minhas ações em relação ao próximo não sejam de dominação ou de interesse próprio, mas do desejo de revelar a graça, a bondade e o poder de Deus. (Mt.5:8)

& 8 - Felizes as pessoas que têm o coração puro, pois elas verão a Deus. (NTLH)

Muitas pessoas na igreja exercem uma autoridade pelos princípios satânicos, ou seja, elas querem usar as pessoas para fins próprios, ou dominá-las para benefícios e interesses pessoais. Se eu ajo desse modo, eu não verei as ações de Deus na minha vida nem da do meu próximo, pois estarei agindo como se fosse o “deus” de mim mesmo e do próximo!

3.3. Que eu procure conduzir as pessoas a aceitarem os termos de Deus, ou seja, Seus princípios, valores e verdades. (Mt.5:9)

& 9 - Felizes as pessoas que trabalham pela paz, pois Deus as tratará como seus filhos. (NTLH)

Portanto, trabalhar pela “paz” não é o mesmo que suavizar o estado de alma de uma pessoa, mas mostrar a ela o caminho do “alinhamento” com Deus e da verdadeira “fé”, isto é, de uma vida de obediência aos princípios, valores e verdades da Palavra de Deus que são revelados pela Bíblia. Eu devo conduzir o meu próximo a entender o que é ser um filho obediente a Deus. Se assim eu ajo, Deus me tratará como filho obediente!

4. Quarto: A minha alegria constante em Deus e nas Suas promessas, quando perseguido ou injuriado por estar fazendo a Sua vontade. (Mt.5:10-12)

& 10 - Felizes as pessoas que sofrem perseguições por fazerem a vontade de Deus, pois o Reino do Céu é delas. (NTLH)

Nem sempre a vontade de Deus é aceita de bom grado. Muitas vezes, ao fazermos a vontade do Eterno, sofremos com zombarias, escárnios, injúrias e até sofrimentos! Basta lermos o Velho e o Novo Testamentos e teremos uma vasta noção de como sofreram os que fizeram a vontade do Senhor.

Porém, nós precisamos construir nossas vidas e ações dentro do Reino de Deus, confiando nas Suas promessas eternas. O que Jesus disse a seguir?

11 - Felizes são vocês quando os insultam, perseguem e dizem todo tipo de calúnia contra vocês por serem meus seguidores. 12 Fiquem alegres e felizes, pois uma grande recompensa está guardada no céu para vocês. Porque foi assim mesmo que perseguiram os profetas que viveram antes de vocês. (NTLH)

Todos esses princípios devem ser aprendidos muito bem e guardados no coração, isto é, no íntimo do nosso ser. Em muitas ocasiões, nós precisaremos confrontar nossos pensamentos, sentimentos e ações com eles, a fim de sabermos se agiremos de acordo com Deus ou segundo os nossos interesses pessoais.

Na semana que vem, e se Deus permitir, eu falarei um pouco mais sobre eles e para onde esses princípios nos levam, ou seja, o que eles produzem em nós, quando tivermos que lidar com situações pessoais ou com terceiros. Que Deus nos abençoe!

ImprimirEmail