Declarações verdadeiras - Parte 2

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Marcos 1:2,3

Texto Bíblico:

& 3 E o profeta escreveu também: “Alguém está gritando no deserto: Preparem o caminho para o Senhor passar! Abram estradas retas para ele!” 4 E foi assim que João Batista apareceu no deserto, batizando o povo e anunciando esta mensagem: - Arrependam-se dos seus pecados e sejam batizados, que Deus perdoará vocês. (Mc.1:2,3 NTLH)

Na semana passada, nós meditamos sobre a declaração de Marcos, acerca de Jesus:

& A boa notícia que fala a respeito de Jesus Cristo, Filho de Deus, começou a ser dada (Mc.1:1 NTLH)

Nesta declaração de Marcos nós aprendemos que Jesus não veio para ser um líder popular, um curandeiro ou um sensacionalista, mas que Ele veio para ser reconhecido como o “Filho de Deus”, o Messias e Cristo. Esses dois títulos de Jesus significam “Aquele que tem toda autoridade Divina” e, portanto, Jesus é Deus.

As Suas curas e milagres tinham propósitos reveladores, a fim de ensinarem as pessoas sobre o cuidado de Deus, a Sua Pessoa, Seu caráter e Seus planos para com os Seus.

Marcos, em sua declaração, testifica que o Evangelho é o próprio Jesus Cristo e que o que aceita o Seu Evangelho deve aceitar única e integralmente a Pessoa de Jesus, ou seja, Seu caráter, Sua obra, Sua Igreja, Seus ensinamentos, Seus planos e a missão que Ele dá aos Seus seguidores ou discípulos.

A primeira atitude daquele que aceita o Evangelho é aceitar a Jesus como o “Filho de Deus”.

Então, a primeira atitude daquele que se entrega ao Evangelho é aceitar a Jesus como o “Filho de Deus”, ou seja, a Sua soberania, Seu governo, Sua direção e orientações. Portanto, quem aceita o Evangelho aprende que deve se submeter à autoridade e governo de Cristo.

& Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim. (Gl.2:20 NTLH)

A segunda atitude daquele que aceita o Evangelho se dá pelo caminho do arrependimento.

A segunda atitude de quem vai ao Evangelho se encontra no nosso texto base. Só é possível submeter-se a Cristo aquele que verdadeiramente se “arrepende” de seus erros e pecados, testifica publicamente a sua fé no “Filho de Deus”, dizendo que morreu para si mesmo e ressuscitou em Cristo para uma nova vida, através do batismo nas águas. Dessa forma, a pessoa recebe o perdão ou a aceitação de Deus.

Jesus disse:

& Pois, se alguém tiver vergonha de mim e do meu ensinamento, então o Filho do Homem também terá vergonha dessa pessoa, quando ele vier na sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos. (Lc.9:26 NTLH)

2. A declaração dos profetas. (Mc.1:2,3)

As palavras de Marcos acerca de João Batista vêm dos textos de Isaías 40:3 e Malaquias 3:1.

A declaração do profeta Isaías:

& Alguém está gritando: “Preparem no deserto um caminho para o SENHOR, abram ali uma estrada reta para o nosso Deus passar!” (Is.40:3 NTLH)

Nos tempos antigos havia um costume oriental de enviar, antes dos reis em suas viagens, pessoas para nivelar as estradas e torná-las transitáveis a eles. No entanto, acerca do ministério de João Batista, o sentido é que ele deveria preparar as mentes das pessoas para dar ao Messias uma recepção apropriada e convencer ou testificar sobre as Suas bênçãos.

No tempo de Isaías, o Reino de Judá sofria ameaças de invasão tanto da Assíria como do Egito e somente por meio do arrependimento sincero do povo a Deus é que eles ficariam livres desses inimigos.

A declaração do profeta Malaquias:

& O SENHOR Todo-Poderoso diz: - Eu enviarei o meu mensageiro para preparar o meu caminho. E o Senhor a quem vocês estão procurando vai chegar de repente ao seu Templo. E está chegando o mensageiro que vocês esperam, aquele que vai trazer a aliança que farei com vocês. (Ml.3:1 NTLH)

Neste texto nós devemos reparar que Deus diz que João Batista prepararia o “Seu caminho”, e isso significa que ele não deveria pregar o que quisesse, mas a genuína mensagem do Senhor. O povo de Deus esperava pela vinda do Messias e o Senhor diz que Ele chegaria de repente e o que Jesus traria? Uma aliança, perdão ou aceitação Divina a todos que respondessem corretamente à mensagem estabelecida pelo Todo-Poderoso.

O caminho para Cristo.

Os dois textos, ou seja, tanto o de Isaías como o de Malaquias, nos falam sobre como os mensageiros do Evangelho devem proceder, a fim de conduzir as pessoas verdadeiramente a Cristo Jesus.

Portanto, a mensagem que João Batista anunciou deve ser a mesma daqueles que proclamam o Evangelho de Jesus às pessoas, assim como o Seu retorno para buscar a Sua Igreja. Então, a nossa mensagem deve ser como de uma “estrada reta”, ou seja, um caminho preparado e pronto para a passagem do Rei e não dos nossos conceitos.

A maioria das pessoas vive como em um deserto! Não sabe para onde ir, pois no deserto da vida falta-lhe o caminho. Devido a esse fato, muitos se sentem inseguros e aflitos em seu íntimo. Suas mentes estão sob o “império do medo” e vivem amarrados a síndromes e traumas, que só o Evangelho e a Pessoa de Cristo têm o poder de curar.

Continuamente, é o nosso dever cristão preparar o caminho para Jesus aos corações que ainda se encontrarão com Ele, ensinando-os e convencendo-os das Suas bênçãos eternas, preparando suas mentes para aceitá-Lo como o “Filho de Deus”, que veio ao mundo para perdoar os erros e pecados daqueles que sinceramente se arrependem e manifestam isso pelo batismo.

A importância do arrependimento.

O verdadeiro Evangelho prepara as pessoas para uma nova atitude de vida, ou seja, ele deve causar uma verdadeira transformação interior, para que se viva em uma novidade de vida através de Cristo.

O arrependimento na vida cristã deve ser constante, pois falhamos em muitos momentos. O arrependimento não é apenas uma confissão de que erramos e pronto. Não! Ele deve ser seguido por ações que revelam verdadeiramente que nos arrependemos.

Faço uso das palavras do apóstolo Paulo como princípio para dar base ao que disse acima:

& 28 Quem roubava que não roube mais, porém comece a trabalhar a fim de viver honestamente e poder ajudar os pobres. 29 Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas, que ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam, para que as coisas que vocês dizem façam bem aos que ouvem. (Ef.4:28,29 NTLH)

Em Cristo e no Seu Evangelho nós descobrimos o que desagrada e o que agrada a Deus, o nosso Pai Eterno. Então, caso descubramos que um procedimento O entristece, nós o confessamos, recebemos o Seu perdão e tomaremos outras atitudes de acordo com os Seus princípios, pois é dessa forma que Ele nos aceita.

Quando uma pessoa vive sob a aceitação de Deus, por meio de Cristo, ela passa a desfrutar da presença do Eterno. Ela recebe a Sua orientação e passa a entender os Seus propósitos para a sua vida neste mundo. Além do mais, a pessoa se alegra com as promessas eternas em Cristo do Bom Deus.

No nosso texto base nós encontramos as seguintes declarações:

  • Preparem o caminho do Senhor.
  • Abram estradas retas para Ele.
  • Arrependam-se dos seus pecados.
  • Sejam batizados.
  • Recebam o perdão de Deus.

Então,

1. Ande sempre no caminho que conduz a Cristo Jesus.

Há situações em que nós queremos dar soluções aos nossos problemas e, em vez de irmos a Cristo, o nosso Senhor, estabelecemos metas próprias e de interesses pessoais. Essa atitude faz com que nos tornemos mesquinhos e não generosos. Desejosos que a nossa vontade prevaleça, nós nos tornamos orgulhosos e egoístas.

Em Cristo, nós sempre encontraremos a maneira adequada para agirmos em qualquer situação, seja ela de alegria ou de tristeza. Nós fomos chamados por Deus para irmos sempre à Pessoa de Cristo e, por isso, precisamos ter nossas mentes cheias com os princípios do Evangelho, a fim de superarmos os nossos desertos!

2. Lidemos com os empecilhos do nosso coração, os quais impedem a vida de Cristo em nós.

Limpemos o terreno! Liberemos a passagem da vida do Senhor dentro de nossas mentes e O recebamos com alegria e muito prazer.

3. Andemos em novidade de vida.

Não vivamos o Cristianismo com um espírito pagão. Deus, em Cristo, nos fez novas criaturas, a fim de vivermos na Sua presença e desfrutarmos das Suas bênçãos, tanto na Terra como no Céu.

Se por acaso errarmos, confessemos os nossos erros a Deus imediatamente e passemos a viver de um modo que O agrade, para que desfrutemos da Sua aceitação e das Suas bênçãos sem fim. Afinal, nós morremos com Cristo e ressuscitamos com Ele, para uma vida que dá prazer a Deus.

4. Vivamos sob a aceitação de Deus.

O verdadeiro arrependimento produz seus frutos, ou seja, atitudes que se assemelham à vida de Jesus. Mudemos nossas atitudes! Lutemos contra os nossos desejos carnais que só nos afastam da Pessoa de Deus e das Suas bênçãos.

Não basta dizer que recebemos o perdão de Deus, mas é preciso manifestar o Seu poder através das nossas vidas. Quando Deus nos perdoa, Ele nos dá a capacitação para vivermos de um modo que O agrade. É essa capacitação que nos dá tranquilidade interior, tanto de mente como de alma.

Muitos vivem interiormente agitados, nervosos e inseguros. A razão disso se dá pelo fato de não viverem sob os termos de Deus, em Cristo. Eles estão lutando sozinhos, se estressam e entram em constantes depressões. Vivem amargurados e entediados com a vida, pois perderam o sentido exato da razão de estarem aqui.

O Evangelho nos conduz sempre a Cristo e não a um pregador ou a uma denominação. O Evangelho sempre nos leva ao poder de Cristo e não a métodos que prometem libertações, mas que só amarram pessoas a um ritual místico qualquer.

Jesus veio para ser o nosso “Libertador”, tanto do espírito do mundo como do poder satânico. Porém, Ele não nos liberta dos nossos desejos pessoais, os quais estão cheios de orgulho e egoísmo. No entanto, Ele nos orienta sobre como devemos agir nas diferentes situações da vida, a fim de negarmos a nós mesmos e confiarmos sempre na Sua direção.

Nem sempre a direção que Jesus nos dá é a que nós gostamos, mas ela é a melhor, pois não só nos abençoará como também abençoará outras pessoas. Antes de nos dar soluções, Jesus sempre trabalhará em nosso íntimo e, para isso, nós precisamos preparar um caminho para Ele retirar os obstáculos, sermos humildes e reconhecermos os nossos erros.

Desse modo, recebemos a Sua ajuda e o Seu poder, a fim de agirmos de um modo que demonstre que estamos sob a Sua aceitação. Se estivermos sob o poder do “Filho de Deus”, o “Soberano Eterno”, o que poderá nos separar do amor de Deus? Quem poderá roubar a alegria e a esperança do nosso coração?

A minha esperança é que voltemos ao verdadeiro Evangelho, o qual é a Pessoa de Jesus, o “Filho de Deus”! Que nós estejamos sempre caminhando na Sua direção e abrindo os nossos corações, a fim de que Jesus realize e conclua a Sua obra em nós e, então, desfrutaremos da paz que só o Senhor pode nos dar na eternidade!

ImprimirEmail