Declarações verdadeiras - Parte 1

FAÇA DOWNLOAD:

mp3 

Nota: tivemos problemas técnicos nos primeiros 20 minutos desta mensagem; portanto, o áudio, neste trecho, não está com boa qualidade, mas optamos por manter online mesmo assim, pois acreditamos que seu conteúdo seja mais importante do que as falhas ocorridas. Desculpem o transtorno.

Marcos 1:1

Sempre que alguém me perguntar sobre qual dos Evangelhos deveria ser lido primeiro, eu digo que é o de Marcos. O Evangelho de Marcos mostra em particular tanto a pessoa como a obra de Jesus, em relação à Sua vinda para salvar a humanidade do poder de Satanás e do mundo.

Texto Bíblico:

&  A boa notícia que fala a respeito de Jesus Cristo, Filho de Deus, começou a ser dada. (Mc.1:1 NTLH)

O nosso texto base fala de quatro testemunhos acerca de Jesus: o de Marcos, dos profetas, o de João Batista e o testemunho do próprio Deus. Todos esses testemunhos servem para declarar ou comprovar a divindade de Jesus Cristo e de que Ele é o Filho de Deus que deveria ver a Terra.

Ao longo dessa meditação nós veremos:

  1. A declaração de Marcos. (v.1)
  2. A declaração dos profetas. (vs.2,3)
  3. A declaração de João Batista. (vs.4-8)
  4. A declaração de Deus. (vs.9-11)

Esta semana eu estava meditando no capítulo 1 de Marcos e pensei que poderia falar desses quatro testemunhos ou declarações de uma vez só. Porém, no dia de hoje, meditaremos apenas na declaração de Marcos.

1. A declaração de Marcos. (v.1)

O Evangelho.

Em linhas gerais, Marcos declara que o início da boa notícia (evangelho) sobre a história grandiosa de Jesus, o Messias, o Filho de Deus, começa aqui. O Evangelho verdadeiro apresenta Jesus como o Filho de Deus, ou seja, a Sua divindade. Então, o Evangelho não é uma proposta simples, mas ele é uma Pessoa: Jesus, o Filho de Deus.

Essa é a grande notícia de Deus, que Jesus, Seu Único Filho, veio à Terra trazendo a salvação tanto do poder satânico como do mundano aos homens e preparar um caminho para a eternidade, aos que se arrependerem dos seus erros e pecados por crerem Nele.

O começo ou o início do Evangelho.

Marcos fala da “Boa Notícia que começou a ser dada” e que exalta a Pessoa de Jesus. Essa notícia fala de “um novo começo”, da “Luz” que entra na Terra caótica que está obscurecida pelo pecado, devido ao orgulho e egoísmo humano.

Esse texto me faz lembrar os quatro primeiros versículos do livro de Gênesis:

& 1 No começo Deus criou os céus e a terra. 2 A terra era um vazio, sem nenhum ser vivente, e estava coberta por um mar profundo. A escuridão cobria o mar, e o Espírito de Deus se movia por cima da água. 3 Então Deus disse: - Que haja luz! E a luz começou a existir. 4 Deus viu que a luz era boa e a separou da escuridão. (Gn.1:1-4 NTLH)

Esses versos bíblicos nos revelam a condição da Terra e o trabalho da luz. A Terra estava caótica e envolvida pela escuridão. A luz veio a existir sobre a Terra, penetrando na escuridão, e Deus viu que ela era boa, ou seja, era excelente, trazia felicidade, pois era conveniente ou útil àquele ambiente. Deus não destruiu a escuridão, mas a separou da luz. Portanto, isso é o que o Evangelho deve fazer: separar a luz da escuridão!

Jesus fez uma declaração, a qual nós devemos tê-la em nossos corações:

& (...) Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida. (Jo.8:12 NTLH)

Em outras palavras, Jesus está afirmando que Ele é a “Luz” que traz a verdade espiritual e moral, o poder do conhecimento e entendimento de Deus e sobre os Seus planos. Então, Ele diz “quem me segue”, ou seja, “quem está me seguindo e aprendendo comigo” não andará na ignorância acerca do caráter do Criador, mas terá o conhecimento e o entendimento da vida que é plena, ativa e verdadeiramente abençoada.

Esse é o Evangelho que todos deveriam aceitar, pois não há outro! O Evangelho é a Pessoa de Jesus e, portanto, não pode existir separado Dele.

O verdadeiro Evangelho não exalta pessoas, em qualquer tempo ou épocas, mas ele fala da pessoa e obra de Jesus na vida das pessoas. Da mesma forma, o verdadeiro Evangelho não exalta denominações ou instituições cristãs. Ninguém pode ou deve se colocar acima da Pessoa de Jesus.

O Evangelho ensina as pessoas sobre como elas devem andar com Deus, por meio de Cristo. O apóstolo João escreveu o seguinte:

& 5 A mensagem que Cristo nos deu e que anunciamos a vocês é esta: Deus é luz, e não há nele nenhuma escuridão. 6 Portanto, se dizemos que estamos unidos com Deus e ao mesmo tempo vivemos na escuridão, então estamos mentindo com palavras e ações. 7 Porém, se vivemos na luz, como Deus está na luz, então estamos unidos uns com os outros, e o sangue de Jesus, o seu Filho, nos limpa de todo pecado. (1 Jo.1:5-7 NTLH)

O apóstolo João declara que recebeu um anúncio da parte de Jesus, o qual deveria ser declarado as pessoas: "Deus é luz, e não há nele nenhuma escuridão." Nós já falamos sobre o significado da luz e da escuridão no curso desta meditação. Relembrando: a luz traz grandes benefícios como entendimento espiritual e moral, felicidade, vida abençoada e utilidade. A escuridão ou ignorância traz o oposto do que dissemos.

Nós aprendemos que a luz não se separa da escuridão ou da ignorância de Deus. Então, João conclui que se decidimos viver na ignorância, não nos unimos a Deus, pois mentimos com palavras e ações. Suas palavras nos mostram claramente sobre como Deus nos ajuda a pensarmos corretamente, pois é dos nossos pensamentos que surgem as nossas palavras e também as nossas ações.

Isso tudo quer dizer que Jesus Cristo deve interferir no nosso ser mais obscuro, ou seja, separar o certo do errado, a vida da morte. Quando nós não respeitamos o Evangelho, demonstramos que não respeitamos a Jesus como o Filho de Deus. Portanto, essa atitude prova que não queremos viver sob os princípios e o Senhorio de Cristo.

Quanto mais eu ouço e aprendo do Evangelho, mais conhecerei e respeitarei os princípios Divinos. Então, terei a Sua ajuda em diferentes situações, nas quais eu encontro dificuldades para tanto para agir como para reagir. Isso envolve todas as áreas da minha vida.

Eu devo crer que Deus conhece caminhos que eu desconheço e que em cada situação Ele pode me guiar pelo melhor caminho, caso eu persevere nos ensinamentos do Evangelho.

João também fala que quando andamos na Luz “estamos unidos uns com os outros”. Isso significa que nós não devemos buscar primeiramente a divisão ou a separação, mas a comunhão, a fraternidade e a amizade. Por quê? O nosso compromisso com os planos de Deus é abençoar as pessoas e para isso precisamos nos oferecer como ofertas de Deus a elas. Nós devemos ser úteis às pessoas, porque Jesus deve brilhar através de nós, que aceitamos o Seu Evangelho. Além do mais, o espírito de perdão e aceitação estará sempre presente.

A escuridão foge da luz, mas esta não foge daquela! Portanto, nunca devemos agir como ignorantes dos princípios da “Luz”, que é Cristo e Seu Evangelho. Deus não nos chamou para nos separarmos de pessoas, mas para que, acercando-nos delas, as aproximássemos Dele, por meio do que falamos e fazemos. (cf. Mt.6:14-16)

Tanto nossas palavras como ações devem ser feitas com delicadeza (educação) e amor (o que visa o melhor para o nosso próximo). Caso as pessoas não aceitem a mensagem do Evangelho, ou seja, da utilidade do mesmo em suas vidas, pela dureza de seus corações, elas mesmas estarão fugindo da “Luz” por vontade própria, pois desejam permanecer na escuridão.

Jesus disse o seguinte:

& E é assim que o julgamento é feito: Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão porque fazem o que é mau. (Jo.3:19 NTLH)

O Evangelho não veio para ser um canal de bênçãos terrenas, mas para nos trazer abundância de princípios espirituais e morais, a fim de que nos tornássemos pessoas dignas, ou seja, honestas e confiáveis.

Quando eu vejo as pessoas desconfiarem do Evangelho, devido aos nossos desvios espirituais e morais, tenho que supor de que não estamos proclamando o verdadeiro Evangelho. Quando as pessoas procuram as igrejas atrás de “um Jesus” popular, que promete soluções terrenas para que os interesses pessoais sejam saciados, não estamos pregando o verdadeiro Evangelho.

Ao iniciarmos a nossa carreira com Deus, o que Ele pede de nós, inicialmente, é que aceitemos o Evangelho, o qual nos esclarece acerca da nossa submissão ao Filho de Deus – Jesus! A nossa submissão a Ele deve nos afetar espiritual e moralmente nos nossos relacionamentos em todos os seus âmbitos, assim como a nossa vida profissional e social.

O Evangelho não visa sermos apenas frequentadores de igrejas, mas para sermos seguidores de Jesus Cristo, o Filho Único de Deus. Então, nós precisamos reencontrar nosso caminho, o qual prova que estamos unidos com Deus e Seu Evangelho.

Deus nunca abandonará aqueles que se unem a Ele! Pelo contrário, Ele é um Pai amoroso e que cuida dos Seus. Ele nos guiará nos “desertos” desta vida. Ele nos ensinará sobre como devemos agir em diferentes situações, visando sempre o melhor para nós sem prejudicarmos ou ferirmos o nosso semelhante. Isso tudo Ele fará por meio do Evangelho de Jesus, se, de fato, estamos dispostos a aprendermos seus ensinamentos.

Portanto,

  1. Aceite a mensagem do Evangelho de Deus, aceitando a Jesus como Senhor da sua vida.
  2. Disponha-se a sair da ignorância espiritual e moral, por meio do Evangelho.
  3. Decida a não andar na escuridão, ou seja, na ignorância acerca de Deus.
  4. Permita que Deus o ajude a controlar suas emoções, palavras e ações no dia a dia.
  5. Procure abençoar o seu próximo e não prejudicá-lo com palavras e ações.
  6. Procure criar um clima de perdão e aceitação em suas conversas e relacionamentos.
  7. Afaste-se do que é inútil aos olhos de Deus e siga os ensinamentos de Jesus.
  8. Ande na “Luz”!

ImprimirEmail