A Terra não é o Céu!

FAÇA DOWNLOAD:

mp3

Efésios 4:22-24

Texto Bíblico:

& 22 Portanto, abandonem (colocar de lado, tirar do caminho) a velha natureza de vocês, que fazia com que vocês vivessem uma vida de pecados e que estava sendo destruída (corromper, contaminar no sentido moral) pelos seus desejos enganosos. 23 É preciso que o coração e a mente de vocês sejam completamente renovados. 24 Vistam-se com a nova natureza, criada por Deus, que é parecida com a sua própria natureza e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele. (Ef.4:22-24 NTLH)

Por que Paulo está dando esse conselho? O motivo se encontra nos versículos anteriores (17-21), onde ele fala da filosofia de vida dos pagãos, os quais, afastados da vida de Deus, cometem todo tipo de atos indecentes, por causa de seus pensamentos vãos. Vivendo dessa forma, ou seja, preferindo a ignorância acerca dos princípios Divinos, eles se tornam deuses de si mesmos.

1. Cuidado com a influência satânica.

Ignorar os valores e princípios de Deus foi a tática que Satanás usou para influenciar Eva, no Jardim do Éden.

& Deus disse isso porque sabe que, quando vocês comerem a fruta dessa árvore, os seus olhos se abrirão, e vocês serão como Deus, conhecendo o bem e o mal. (Gn.3:5 NTLH)

Satanás foi um querubim no Céu, um líder angelical que convocava todos os anjos à adoração. Porém, o orgulho e o egoísmo tomaram conta de seu ser e ele tentou ser como Deus. Por causa do seu pecado, ele foi expulso do Céu, pois a restauração de um anjo se torna impossível quando ele peca.

Tanto o seu orgulho como o egoísmo fizeram com que ele buscasse o que supôs ser o melhor para si. Em seu íntimo, Ele pensou: "Por que eu tenho que ser dirigido por Deus? Eu também sou importante aqui! Eu exerço influência! Eu vou definir o meu futuro!" Na verdade, tudo o que ele procurou foi ser deus de si mesmo.

Quando ele disse à Eva que poderia adquirir o conhecimento do bem e do mal, naturalmente, ele não se referiu ao aspecto moral Divino, mas aos interesses pessoais de Eva. Em outras palavras, ele procurou influenciá-la a buscar o que poderia lhe trazer prazeres maiores. Trocando em miúdos: “Eva, você pode criar o seu ‘céu’ na Terra! Você pode escolher aquilo que pode lhe dar mais prazer!” Com certeza, Satanás não procurou influenciar Eva a buscar o mesmo conhecimento ético ou moral do bem e do mal.

2. Cuidado para não pensar somente em si mesmo, pois Jesus não viveu assim!

Satanás procurará que você sempre pense em si mesmo em primeiro lugar e não no bem-estar de outros. Esse é um princípio que demonstra a diferença entre o falso e o verdadeiro, entre o Cristianismo autêntico e o falso.

Os pagãos vivem para si, ou seja, para os seus próprios interesses e procuram ser deuses de si mesmos. Os cristãos verdadeiros, por sua vez, vivem pelo “princípio da servidão”, isto é, vivem como servos de Deus e, como instrumentos do Senhor, servem outras pessoas até que estas se encontrem com a graça, misericórdia e o poder de Deus. Eles não vivem para serem deuses de si mesmos, mas se submetem ao Único Deus, o Criador de todas as coisas.

Por que o cristão verdadeiro vive desse modo? Porque ele recebeu uma nova natureza, a de Cristo. Enquanto esteve na Terra, Jesus ensinou as pessoas sobre como viver uma vida submissa e em comunhão com Deus. Ele não viveu pelos impulsos da sua natureza humana, a qual recebeu ao nascer como ser humano, porém, viveu para agradar a Deus, e, por isso, vivia sob a influência tanto da Palavra como do Espírito de Deus.

Mesmo sendo Deus, Jesus nos deu o exemplo de como poderíamos agir como servos do Senhor e ajudar as pessoas a encontrarem o verdadeiro sentido de suas vidas sobre a Terra, naqueles dias difíceis.

3. A Terra não é o Céu, então, não se iluda com falsas promessas!

Jesus nunca deu às pessoas a falsa ilusão de uma vida fácil e cheia de prazeres neste mundo. É verdade que Ele curou muitas pessoas, ressuscitou outras, expulsou demônios, mas nunca ensinou caminhos para se adquirir riquezas e prazeres terrenos. Ele sempre ensinou sobre uma vida que agrada a Deus. Ele sempre ministrou às multidões e aos Seus discípulos uma vida de confiança na providência Divina.

Além do mais, Ele sempre instruía as pessoas a serem controladas ou dirigidas por Deus e a serem dedicadas a Ele, para que recebessem a soberana promessa, ou seja, a vida eterna ao lado do Pai.

Jesus nunca mencionou que a Terra, em algum momento, poderia ser o Céu para qualquer um de nós. No entanto, Ele disse que neste mundo, nós teríamos aflições e pediu para que tivéssemos coragem.

& (...) No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem (ter muita coragem com bom ânimo). Eu venci o mundo (por manter-se firme num espírito de fidelidade a Deus). (Jo.16:33 NTLH)

4. Seja fiel a Deus em qualquer situação.

O que Paulo pede no nosso texto bíblico é justamente uma atitude de fidelidade a Deus, pois, dessa maneira, nós seguiremos Seus valores e seremos transformados tanto em atitudes como no caráter, tanto em tempos como em situações difíceis.

Ao nos chamar, em Cristo, Deus nos convocou a mudarmos completamente a nossa maneira de pensar, a fim de não sermos como Deus, mas de parecermos com Cristo, tanto na maneira de pensar como ter agir.

5. Procure entender os objetivos de Deus tê-lo chamado.

O objetivo de Deus para as nossas vidas na Terra não é a nossa comodidade, mas o desenvolvimento do nosso caráter. Ele quer que cresçamos espiritualmente para que nos pareçamos com Cristo. Ele espera que nós aceitemos a Sua proposta nesse desafio, pois Ele nunca nos fará "clones" de Cristo, mas nos dará coragem para sermos Seus seguidores e aprendizes. Nós existimos para os propósitos de Deus!

A transformação que Deus opera em nós tem a ver com o nosso caráter e não com a nossa personalidade, pois Ele criou a cada um de nós de modo singular. Cada vez que nos esquecermos de que a transformação do nosso caráter é o propósito de Deus e agirmos nas circunstâncias pelo ímpeto da nossa personalidade, ficaremos frustrados ou decepcionados.

Muitas pessoas me questionam: "Por que isso está acontecendo comigo? Por que eu estou atravessando esse tempo tão difícil?" A resposta que eu posso dar a elas é que a Terra não é o Céu e que viver aqui se tornou muito difícil!

6. Cuidado para não distorcer a Palavra de Deus.

Muitos cristãos interpretam mal a promessa de Jesus acerca da “vida abundante ou completa”. (cf. Jo.10:10) Eles dão o sentido de saúde perfeita, um estilo de vida cômodo, felicidade permanente, a plena realização dos seus sonhos pessoais e alívio imediato dos problemas, através da fé e da oração. Eles esperam que a vida cristã seja fácil, ou seja, que o Céu esteja na Terra!

Essa perspectiva errada tenta tornar Deus como se Ele fosse "o gênio da lâmpada", que simplesmente existe para executar ou realizar os nossos desejos egoístas e de realizações pessoais. Esse pensamento distorce o caráter de Deus, pois Ele é o nosso Senhor e não nosso servo! Quando não aceitamos esta verdade, vivemos desiludidos e negamos a realidade.

6. Lembre-se sempre que a vida não gira em torno dos seus desejos pessoais.

Nós nunca devemos nos esquecer de que a vida não deve girar em torno dos nossos desejos. Deus não existe para os nossos propósitos, mas nós existimos para os Seus. Esse é o erro dos pagãos e que nós devemos tanto evitar como rejeitar.

Antes de conhecermos a Cristo, nós vivíamos para os nossos prazeres e desejos pessoais. Nós queríamos ser felizes à nossa maneira, ou seja, pensando somente em nós mesmos. Por que agíamos assim? Porque éramos pagãos (orgulhosos e egoístas) e, portanto, ignorantes acerca do caminho Divino. Vivíamos acumulando erros sobre erros morais, e tudo por causa dos nossos desejos enganosos.

Entretanto, Deus nos revelou a maravilha de uma nova vida em Cristo e a promessa de termos comunhão com Ele. Então, em Cristo, ele nos propõe que tanto o nosso ser interior como os nossos pensamentos sejam renovados, a fim de que não vivêssemos mais pelos princípios pagãos, que se baseiam no orgulho e egoísmo.

7. Cuidado para não viver de acordo com os impulsos da sua personalidade.

Deus não muda a nossa personalidade, e sim o nosso caráter, como já vimos. No entanto, revestidos com o caráter de Cristo, nós não devemos mais viver pelos impulsos da nossa personalidade e dos nossos desejos egoístas. Eu não sei o que o torna triste neste momento, porém, Deus lhe propõe que não aja de acordo com os desejos da sua natureza humana, mas que confie Nele.

A sua vida mudou drasticamente de um tempo para cá? Saiba que nada acontece sem a permissão de Deus! É possível que você tenha andado triste, devido ao que está acontecendo, mas não considere a sua tristeza como um pecado. Ele existirá, caso você abandone os princípios Divinos, por causa da sua tristeza.

Não se torne uma pessoa amarga! Não permita que o orgulho e o egoísmo definam o que bom ou mal, certo ou errado para você.

Se algo lhe foi tirado, seja em que área for (física ou psicológica), não considere como perda, mas como a vontade de Deus. Não permita que a sua tristeza feche os seus olhos para o que Deus está realizando em sua vida. Aceite o trabalho de Deus no seu íntimo, a fim de ser preparado e treinado tanto para servi-Lo como para ajudar outras pessoas.

Não manobre a si mesmo dentro da sua situação pelos princípios pagãos, mas pelos princípios da nova natureza em Cristo, que Deus lhe deu. Confie Nele, entregue seus caminhos a Ele e no tempo devido, você experimentará o esplendor da Sua graça.

Não tente ser deus de si mesmo. Não tente definir o seu futuro por si mesmo. Não tente, por si mesmo, decretar o que é bom ou o que é mal para a sua vida. Procure lembrar-se das palavras de Jesus no Jardim do Getsemani: "Não seja feita a minha vontade, mas a Tua!"

Isso significa que você deve buscar a Deus para saber sobre como deve agir dentro desse momento. Se você for sincero na sua oração e confiar em Deus e na Sua palavra, tenha certeza de que Ele lhe dará toda coragem e força para enfrentar seus dramas, medos e, principalmente, a sua natureza carnal, ou seja, a si mesmo.

A vida verdadeira, pela qual você deve agir, é correta e dedicada a Deus. Os princípios dessa “vida” se encontram tanto na vida como nos ensinamentos de Jesus, e eles agradam a Deus, pois quando as pessoas os praticam, assim o fazem por serem dedicadas a Ele.

A minha esperança é que nós sejamos dedicados a Deus, manifestando uma vida que O agrade em toda e qualquer situação. Que não vivamos como os pagãos, mas segundo Cristo!

ImprimirEmail